You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

23/11/2017
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Colunas

Colunas

TRINCHEIRA XLI

Cenário em Transição

A mudança de partido do governador Pedro Taques, saindo do PDT para o PSDB ou PSB pode provocar mudanças consideráveis no cenário político mato-grossense e por aqui, por Nobres, caso ele prefira tucanear. Como será que vão se comportar as lideranças tucanas no território de Nobres com a chegada de gente nova, tipo estranhos no ninho? Em nível de Estado, será uma espécie de ressurreição tucana no pós Dante de Oliveira. E novamente, outra alteração significativa, o tucanato vai pleitear cargos públicos. 

- Em Nobres, um novo terremoto pode abalar o ninho com a chegada dos “news” filhotinhos.

Bons Ventos

O novo diretor de operações da Votorantim, unidade de Nobres, Orlando Silva, ao retornar a Nobres, agora em outro cargo, trouxe consigo os bons fluídos de que o município precisava. Orlando tem se disponibilizado a fazer com que a Votorantim deixe impressa em Nobres uma marca profunda na área da responsabilidade social, tamanho tem sido o seu empenho e a sua receptividade ao diálogo com o setor público. A segunda parceria entre a Votorantim e o município através do Instituto Votorantim permitirá que especialistas em gestão pública, digamos, deem um empurrãozinho para que Nobres, na área pública de saúde, saiba onde, quando e como investir o pouco tem.

- Questionado sobre essa nova concepção da empresa, Orlando Silva destacou que ela seja decorrente da estabilidade política e do olhar social da empresa que representa.

Bons Ventos II

Quando se diz nova concepção, a citação é relativa a Nobres, considerando-se que a Votorantim e o seu instituto já trabalham com responsabilidade social há anos em outros municípios onde esteja em atividade. Mas a verdade é que esse questionamento precisava ser feito em que pese se ter a percepção de que entre um e outro comando hajam diferenças perceptíveis, mesmo aos olhos dos leigos. Pergunta feita, pergunta respondida, como diria Tony Ramos, a questão é de confiança. Como tudo tem a sua hora e o seu momento de acontecer, esse olhar mais apurado sobre Nobres começou agora, com Orlando Silva em seu retorno, quando deu início aos trabalhos no estabelecimento, de fato e por direito, da RPPN Tombador e do Planejo de Manejo para a Cachoeira do Tombador.

- Bom para Nobres e sua gente.

Clima Tenso

As coisas não andam nada 100% entre algumas pessoas ligadas ao trade turístico no setor de Nobres. A maioria quer algo de positivo e uma minoria quer puxar a coisa para baixo, como se torcessem contra Nobres ou se apresentam como se fosse o novo Cristóvão Colombo, descobrindo a América, de novo. Tudo eu, é a citação ou o crachá com que se apresenta um ou outro. Já estaria na hora da maioria começar a dar as cartas e jogar de mão. Recentemente, na sexta-feira, 27/03/15, quase vão as vias de fato aqui na cidade de Nobres. 

- O caso passa a ser de polícia e alguém com juízo, o bastante, precisa acabar, de vez, com esse tipo de comportamento. Isso é feio e característico de incivilidade.

Bicho Pegando

Parece que muita coisa que era empurrada para debaixo do tapete estaria aflorando com o tempo... nesse “new time” político e administrativo. Polícia prendendo polícia é qualquer coisa sobre aquela velha tese da biologia, em que uma espécie devoraria a outra. Diz uma notícia no site Midia News que “A Polícia Civil prendeu, na manhã desta quarta-feira (25), o chefe de Operações da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos (Derf) de Várzea Grande, o investigador Welinton Fernandes”. Bom... é colocar as barbas de molho e saber que a cobra está fumando e pipocando em todas as bandas.

- O cara focado em horóscopo diria que a Lua em transição com Saturno seria capaz de “desnudar” o que andava embaixo do tapete.

Veneno e Contraveneno

Mesmo ainda não estando na condição de réu, alguém, por mais avisado e ladino que seja, conceberia que Renan Calheiros e Dilma Roussef fossem tão rápidos no gatilho e fizessem criar uma lei de combate à corrupção... assim, feito Rubens Barrichello na Fórmula Um? Rápido demais, em tempo recorde, igual carro de boneca no “lava-jato”... vapt-vupt. Então tá! Você faz uma cama com colchão de pregos e deita-se nela só para ver se dá dor nas costas no outro dia.

- Até quem nasceu ontem, não acreditaria em tamanha bondade e preocupação com o c... dos outros. 

Fethab

Agora, o imposto que pertenceria (fi à fi) ao Estado e município, virou salvação para pagamento de folha salarial no Governo Silval e até para repasses ao setor privado. O Fethab é a Babilônia oficial e o deputado José Carlos do Pátio (Sd), parece que resolveu consertar tudo e está propondo que através do Fethab não se repasse nada ao pessoal da soja e do algodão. Os municípios, tadinhos, seguem com o pires nas mãos, cobrando pelo imposto que lhe é devido no meio a meio. Legislação sobre legislação no País das leis que pouco funcionam, mas, para não fugir a regra, o peso é o que vai no lombo do contribuinte.

- Somos, de fato, uma “pátria educadora” e as nossas melhores aulas são sobre como meter a mão nos bolsos do contribuinte.

Promessas & Promessas

A MT-241 é uma dessas fábulas que são contadas por aí e guardaria semelhanças com o “pé-de-garrafa” (ou seria pé-de-cana?), “boi-tatá” e “mula-sem-cabeça”, tantas são as histórias em torno desse trecho de 65 kms. Quando o assunto é a MT-241, o primeiro pensamento que vem é a preocupação com o voto do eleitor. Esses 65 kms de estrada ou os 1.200 metros, até a subestação, já renderam tantos votos. Em dezembro de 2014, na Câmara Municipal, falou-se até em bloqueio do trecho para chamar a atenção das autoridades. De repente e solitariamente, quem se dirigiu até a AL-MT e cobrou, foi apenas um vereador, segundo uma nota veiculada num portal de notícias de Cuiabá.

- A nota dizia que foi o vereador Joa quem cobrou de um deputado, lá em Cuiabá. O “bloqueio” foi mesmo nas nossas cabeças.

Barra Limpa

Para quem acreditava que os vereadores “brigões” em Rosário Oeste seriam cassados, estes também pode aguardar pelos ovos que alguma ‘coelha’ botará antes da Páscoa. Se tiver paciência, espere por Papai Noel. Faltou alguém com aquela cartolina com os dizeres: “Eu já sabia... que em nada daria”. Até rimou. A tal “Conclusões Finais” apresentada pelo vereador Acácio não existe e na segunda-feira, 23 de março, passaram o rodo no tal relatório conclusivo sobre a cassação dos vereadores Gerson Gigante e Anderson Churrasquinho.

- Nem cartão amarelo e nem vermelho, apenas o que já se previa, eles continuam vereador.  

Cenário Risível

Durante entrevista a um canal de tevê, o presidente da OAB, Maurício Aude, chamava a atenção para o encontro popular que trataria do tema predominante, atualmente, a “corrupção”. A reportagem foi exibida pela TV Centro América e ao fundo, sem ter nada a ver com a paçoca (se seria salgada ou não), uma pessoa lavava muro com a mangueira esguichando muita água em tempos de crise, onde pagamos pela água que temos e pela energia que sobra aqui, mas não nos pertence. Seria uma contribuição generosa à campanha do desperdício ou contra o desperdício?

- E nós sendo “embandeirados” por conta dos reservatórios vazios lá no Deserto do Atacama. Não é uma caceta?

Pagando o Pato

No Brasil, a criatividade para botar no c... do contribuinte é extremada e tem requintes de perversidade. Falta água lá no tal Estado Islâmico e nós é que pagamos pela bandeira vermelha. Se têm meia taça de água pra lá de Teerã, nós pagamos na bandeirada amarela. Se os bacanas metem a mão no “combustível” da moribunda Petrobrás, nós é que pagamos a conta. Pobre deveria pagar imposto único, sobre a “filharada” que faz e mais nada. Mas não, se o sujeito resolve gastar água lá na “caixa do chapéu”, nós que só lavamos muro e calçadas também pagamos, conforme as cercas embandeiradas que separam quintais...

- Raulzito, até tu ia ficar indignado com as atitudes desses Al Capone’s oficializados.

Energia Elétrica

Alguns atrativos turísticos localizados no PA Coqueiral/Quebó sofrem com a falta de energia elétrica por seguidas vezes, prejudicando sensivelmente essa atividade comercial. Turistas e proprietários de atrativos são prejudicados pela falta de interesse da concessionária de energia elétrica, que também não demonstra interesse em ir lá e trabalhar pela expansão e qualidade dos serviços. É lamentável que pessoas fiquem sem energia das 02:00 da madrugada até por volta das 10:00 horas da manhã. Aliás, não tem hora para faltar energia, mas são devidamente energizados e enérgicos na cobrança do produto ofertado.

- Isso é chato pra cacete.

Garoto Propaganda

O secretário Seneri Paludo, do Desenvolvimento Econômico, é uma espécie de abre alas do governo de MT em meio ao segmento feminino. Durante a Famtur em Nobres, fez o maior sucesso em meio à galera feminina e também entre aqueles que já deixaram o armário. Oxala!, Seneri consiga abrir caminho e contribuir para a solução dos problemas de energia elétrica junto à concessionária do setor e também dê uma forcinha na busca da definição dos recursos do Fethab.

- Capacidade e conhecimento não lhe faltam.

Filho Bonito

Quem conseguiu trazer para Nobres a nata da imprensa mato-grossense e secretários de Estado? O presidente do Comtur, sozinho, diz que conseguiu a façanha e assume pelo filho bonito. Faltaria a todo o empresariado ligado ao trade turístico de Nobres ter a consciência elevada sobre o uso do “Voucher Único”, uma espécie de moeda paralela que pode ajudar ao próprio setor. Bem, esse é o filho feio que um ou outro não quer.

- E a vida segue, com Nobres na berlinda.

Em Cuiabá

Espionagem comercial, espionagem industrial, espionagem na imprensa, o negócio está ficando brabo em todas as áreas. Tempos atrás, descobriu-se que havia agentes funerários, os chamados “papa-defuntos”, que tinham um rádio amador na frequência da PM, lá pelas bandas da Grande Cuiabá, e quando chegava a informação sobre acidente ou tiroteio, os “papas presuntos”, na maioria das vezes, chegavam primeiro que as autoridades no assunto. Rádio na frequência da PM, isso é coisa de gente artista, que gosta de espionar briga, principalmente em família.

- É o vale tudo que se vê por aí. Mas...

Combate à Pirataria

Dias atrás, foi noticiado que em Cuiabá algumas pessoas estariam sendo treinadas para o combate à pirataria. De fato, é uma atitude louvável, mas faltaria explicar de onde vêm os produtos comercializados no Shopping dos Camelôs. Aliás, a associação dos camelôs é quem financia as obras de revitalização no entorno do ginásio de esportes, “Manoel de Campos”, localizado atrás do camelódromo.

- Visto dessa forma...

Combate à Pirataria II

E por falar no Capitão Jack Sparrow, aqui na nossa ilha, além Caribe, o uso do “voucher único” não está totalmente na moda e tem gente ignorando a legislação pertinente. O secretário Roberto Dias disse que vai jogar duro quanto ao cumprimento da lei. E o Comtur, como veria esse desprestígio à Lei do Voucher? Os proprietários de atrativos e donos de agências precisam rever alguns conceitos, inclusive a exigência do cumprimento da legislação que torna obrigatório o uso do “voucher”.

- Escreveu e não leu... o pau comeu...

Famtur

Antes da chegada da comitiva de jornalistas e de pessoas ligadas aos negócios do turismo, o secretário municipal de Turismo de Nobres, Cleber de Oliveira Leite, rasgou o verbo e falou que as decisões tomadas à revelia da maioria no Comtur serão rechaçadas mais duramente daqui pra frente. Menos mal que a lavagem de roupa tenha ocorrido antes da chegada do pessoal da imprensa. Já imaginou se vaza isso?

- Como diria Téo... curuuuuzes!

Slogan da Dilma

“Pátria Educadora” é o novo slogan da Dilma nessa nova versão 2015. Mas já vimos um outro slogan: “País que vai pra frente”, “O Petróleo é nosso”, mas os “royaltie’s” ficam com a bandalheira institucionalizada, conforme Paulo Roberto Costa, Barusco e Youssef. Com relação ao “Pátria Educadora”, segundo a Revista Veja, na Coluna Radar, o Governo Federal deve às instituições que dão vida ao Pronatec algo em torno de 250 milhões de reais. Isso porque o Pronatec é a menina dos olhos da Dilma. 

- Pronatec Copa... 7 a 1 contra as instituições que organizam e garantem a execução do programa.

Festival de Hipocrisia

Com apenas um helicóptero para atender a demanda da Grande Cuiabá e do resto do Estado, enquanto outra aeronave estaria em manutenção, segundo se informou, aqui em Nobres, houve quem pensasse que fosse possível atender exclusivamente os interesses daqui. E depois veio a “briga” para se saber quem conseguiu esse grande feito. Enquanto isso, a angústia pela resposta sobre o desaparecimento do rapaz.

- Nas redes sociais, o oportunismo bombava.

Desafiador

Um rapaz, do tipo afoito atrás de uma tecla, desafiou e esculachou a polícia e as autoridades políticas locais. A página assinada pelo rapaz nas redes sociais demonstra o seu perfil, com fotos de alto nível e do “glamour” que representa as quebradas da vida. Foi ousado (até demais) ao afirmar que a polícia só sabe “desfilar” de carro pelas ruas da cidade. Provavelmente, ele desconheça o que sejam rondas ostensivas e sensação de segurança. Ganhou algumas curtidas de cartas do mesmo baralho... provavelmente, ases de paus.

- Francamente, Nobres é única, exclusiva, sui generis e atípica por conta de uma galera, ruim de escola e fissurada em rede. É local propício para aparecer e deixar o anonimato.

Cenário Inacreditável

Meu Deus! Quando determinadas pessoas de Nobres vão entender e parar de agir como abutres, que se utilizam das dores humanas para tirar partido político. Os bastidores do desaparecimento de um menino/rapaz, de sábado para domingo, ou seja, de 07 para 08 de março, foi realmente de dar pena e de desacreditar ainda mais a política. A disputa para se saber se viria ou não o helicóptero do Governo do Estado e se conhecer quem conseguiu o feito, foi realmente de enojar a qualquer um. O pai de um político teria procurado a família para dizer que o helicóptero “jamais” viria em atenção a um pedido de fulano.

- Para quem conhece ou já ouviu falar do papel de uma hiena em seu “habitat”, as semelhanças não são semelhanças... são cenas reais.

Cenário Inacreditável II

A família do menino desaparecido, naturalmente que em meio à dor e a angústia por não saber do seu paradeiro, vive dias do mais completo anestesiamento em relação à dor e as pontas de esperanças de reaver o ainda menino com vida. Ao redor, nem é possível saber quem realmente tem boa intenção e quem deseja tirar partido político desse momento, mas a verdade é que há um indisfarçável interesse tacanho por trás de algumas aparições e de certas demonstrações de solidariedade.

- A política, seria possível pensar assim, despertaria algumas paixões mórbidas?

Cenário Inacreditável III

Nas redes sociais, além dos trotes e conversas fiadas acerca do desaparecimento, alguns elementos, de vida social duvidosa, resolvem atacar as pessoas investidas em cargos de relevância política e as autoridades policiais, postando comentários que colocam em xeque o papel e a ação das autoridades na busca de respostas ao desaparecimento. A presença do cel. Chirolli e sua equipe, do Ciopaer, com o helicóptero, o envolvimento do delegado de Polícia e de sua equipe, a presença da PM na chegada do helicóptero ao centro do gramado do estádio “Balizão” são demonstrativos de que as ações estão sendo desenvolvidas, não na velocidade com que algumas pessoas desejam.

- As redes sociais se transformaram em território de ninguém, mesmo com o marco regulatório da internet na ativa. Isso até que alguém seja responsabilizado pelas próprias sandices, “despejadas” ali, supostamente, sem nenhum problema.

Cenário Inacreditável IV

Será que a população de Nobres sabe quem é o seu político e quem a representa? É preciso prestar atenção em todos eles e saber quais são as verdadeiras intenções de cada um deles. A disputa por espaço político em meio à dor de uma família e as ações ocorridas nos bastidores nos últimos dias é de causar enjoo e mal estar estomacal na mais desprezível das hienas embora se saiba ou se conheça o papel destas na cadeia alimentar da fauna animal... isso, lá em seu habitat natural e não aqui.

- Nessa nossa selva, não há dores e se houver, são sentimentos de poucos; o que interessa mais é o amanhã, que a nós não pertence. Uma de nossas riquezas são os sentimentos puros, existentes em poucos corações.

Absurdos Sociais

Uma família em pânico pelo desaparecimento de um jovem, de apenas 21 anos de idade, e uma ou outra pessoa ligando para passar trote na família. É lamentável ver esse tipo de comportamento, provavelmente, doentio, de se utilizar do momento para agir, feito uma hiena e tripudiar. Há que se respeitar a dor das pessoas e agir como ser humano em relação ao seu próximo.

- Condutas doentias em momento inoportuno.

Absurdos Sociais II

No Facebook, um ou outro elemento, provavelmente, desocupado, resolve tirar onda de “entendido” em gestão pública, se apresentando com o pseudônimo de “Lambadeiros de Nobres” e se dizendo representante de toda comunidade para falar abobrinhas na rede. A reclamação é um direito do cidadão e se alguém se sentir contrário ou sentir que falta algo em sua rua, no seu bairro ou alguma repartição pública não atenda o cidadão de forma satisfatória, tem que reclamar. Mas, o anonimato é condenável e cheira o anarquismo.

- Que falta de coragem e de respeito para consigo mesmo. Exerça o seu direito e mostre a cara, ninguém se aborrecerá com a cobrança de um cidadão.

Onde Está o João?

Joãozinho, jovem ainda, com seus 21 anos de idade, desapareceu há dias e a sua família está desesperada sem saber do seu paradeiro. João Ojeda, cuja foto está nas redes sociais, está sendo procurado pelos seus familiares e até agora nenhuma informação. Ajudem, compartilhem a informação e contribuam para amenizar essa dor.

- É o que se espera. 

 Paralelos Nada Iluminados

Quando falta energia elétrica por uma outra razão, por vezes, por conta de apagão, a concessionária de energia elétrica não costuma dar nenhuma satisfação ao consumidor. O fornecimento de energia elétrica pertence a iniciativa privada, mas os problemas são os mesmos de antigamente e a agravante é que, mesmo com a conta de energia paga, a terceirizada corta e não dá satisfação. Nada como uma boa ação judicial, incluindo o nome do prestador de serviço, para que haja mais respeito ao consumidor. No escritório da empresa, aqui em Nobres, até que há boa vontade, mas os prestadores de serviço costumam agir com polidez e acabam comprometendo todo o resto pela falta de sintonia.

 - É bem assim, quem não nasce para diplomata... fazer o quê? Sem diplomacia seguirá. Já no zap-zap, a rede tá na rede.

Mais PSF/Glória

De acordo com uma fonte informativa, o vereador Joel Júnior (PP) parece que cismou e vai buscar, de todas as formas, “melar” a aquisição do imóvel que seria para a construção do PSF, exatamente o imóvel que vinha sendo alugado há anos e onde estava o posto de saúde. Consta que ele esteve no local, ontem (terça-feira de Carnaval), em companhia de uma equipe de tevê para filmar. Consta que o vereador teria sugerido área maior, com boa localização e a preço menor. Será mesmo? O assunto promete outros capítulos embora diferentes daquele que resultou na aquisição de um terreno para uma igreja evangélica, “gongado” pelo TCE-MT.

- Sendo assim...

MT-010

O governador Pedro Taques prometeu que resolveria os problemas nas estradas estaduais que levam às cidades turísticas ou que realizam carnaval e de fato cumpriu o prometido. A MT-010, principalmente naquele trecho horrível, antes de chegar ao Posto Cabeça de Boi, recebeu recapeamento. Isso (os prejuízos pela má qualidade da obra) deveria ser debitado na conta de Blairo Maggi e de Silval Barbosa e que ninguém estranhe por que esses dois ex-governadores já foram unanimidade ou quase isso no estado. Em Nobres, muitos já subiram no palanque de Blairo Maggi e de Silval e pulam de galho e galho e nem adianta desmentir, temos fotos. Pedro Taques, atualmente é “o cara” e torcemos para que ele permaneça como começou e vá até o fim.

- E pra lá, e pra cá, parece que usaram pó de mico... que mico, hein!

MT-241

Tem gente já fazendo premonições sobre a qualidade do pavimento da MT-241, que não é essa Coca-Cola toda. A MT-494 e a MT-351, que integram o eixo com a MT-251, esta última com direção a Chapada dos Guimarães, também apresentam alguma agravantes e o “fenômeno” do vaso sanitário único pra família grande... nem todos podem cagar à mesma hora, minuto ou instante; tal e qual aquelas pontes, que mal cabem um carro na MT-351. O trecho asfaltado de Bom Jardim para cá, se não acabar antes que o trecho que vai daqui pra lá, é porque entramos no período da sorte.

- Que tal a Septu-MT dar uma fiscalizada(zinha) na MT-241? Vá de táxi, secretário.

Radialista?

Seria ofensa perguntar se não seria “fake” a postagem no Facebook que se apresenta como sendo Radialista de Deus? A postagem, em que há um sujeito oculto, parece que “elegeu” um ex-prefeito como seu personagem preferido, ora como atacante e em outras vezes na defesa. E por falar em radialista, que música linda, quase uma narrativa, a história de Serafim e seus filhos. Um trecho da letra diz: “Todo mundo dessas redondezas; Conta que o tal Lourenço não deu sossego... Serafim depois que viu o filho Lobisomem; Perdeu o juízo; Ê A Ô; E morreu sete vezes; Até abrir caminho pro paraíso”.

- Como dizem os humoristas Nico & Lau: “Tô ligado”. “Sintonizem” nessa postagem. Toca essa aí, amigo Pop.

Carretas e Buracos

Afinal, para que servem as leis criadas? É de autoria do então vereador Vidal Rodrigues de Souza (PT), lei que restringe tráfego de caminhões e carretas na área central da cidade. O DTTU, responsável pelo setor, precisa estabelecer parceria e fazer aplicar a lei. De outra parte, a associação da classe dos caminhoneiros precisa sair do anonimato e dar a sua contribuição contra o caos que se estabeleceu nas ruas e em cada esquina da cidade. No cruzamento da rua Mato Grosso com a Alagoas, no bairro São José, os sinais visíveis de algumas rodas de carreta que subiram pela calçada estão lá.

- Lei de gaveta?

Carretas e Buracos II

No cruzamento da avenida Marechal Rondon com a Tomé de Campos, foram inúmeras as vezes em que o ponto de recepção de águas pluviais foram “atropelados” pelas rodas das carretas; não bastassem os buracos no pavimento, bastante antigo e em vias de ser recuperado, após a implantação de drenagem profunda e superficial. Nobres, além de capital do cimento, tem tudo para ser reconhecida como a “capital do pessimismo”, onde até mesmo os seus políticos (carreiristas) tendem a “desacreditar” a cidade. É o mesmo que dizer: “moro ali naquela casa, mas ela não me convém, ‘só os frutos do seu quintal me saciam...”.

- Ninguém pode ajudar a sua cidade só estando no poder para fazer algo.

Visão Complicada

No exercício do poder, é preciso lembrar, o prefeito José Carlos da Silva (PP), acreditava que os membros do seu próprio partido o atrapalhavam e demitiu a todos por conta da máquina, que se apresentava emperrada. Trouxe a solução lá de longe porque os daqui, supostamente, não davam conta. Formou um novo grupo político e os dois últimos anos de sua gestão foram criativos e ‘solucionáticos’, para tudo se acabar em cinzas, feito a primeira quarta-feira após o carnaval. A rua Almerinda talvez tenha sido o pior pedrisco encontrado no sapato do Zé, em janeiro de 2.009. De sorte que ainda no primeiro tempo ele solucionou aquele problema.

- Após a quarta-feira de cinzas... andam por aí, aos “porres”, algumas dezenas de ações de ressarcimento por dano ao erário. E os amigos de palanque de 2012?

Imóvel na Berlinda

Após passar incólume por quatro anos alugado, de 2009 até 2012 e até agora, quando as condições do prédio já não davam mais, eis que a então sede do PSF do Jardim Glória foi transferida provisoriamente para um imóvel alugado. Sem a necessidade de adquirir o imóvel de um “atravessador”, busca-se a intermediação da Câmara Municipal de Nobres e a questão deve ter passado por análise jurídica até que se confirme a aprovação da proposta pelo Legislativo. A aquisição desse imóvel está igual à compra de peixe na Semana Santa... se na Feira do Porto o quilo de pescado pode custar até R$ 25,00 reais, negociado diretamente com o piscicultor, o quilo do pescado pode sair a R$ 12,00.

- Logo...

Poupança, será?

Especulações por aí dão conta de que em março o governo federal deverá “fuçar” nas cadernetas de poupança. Espera-se que isso seja apenas boato, porque o caos já está instalado com a alta abusiva dos preços, com a volta da Cide, que inCIDE diretamente nos preços dos combustíveis. Os afagos de antes da campanha, nem de longe revelariam esse “bote” econômico sobre o povo, inclusive do Bolsa Família. A imitação absurda de Fernando Collor, aí seria demais.

- Isso sim, é olhar para trás.

Sessão Legislativa

Na sessão ordinária de ontem (13/02), foi lembrado, de forma interessante, que passado, presente e futuro, apesar de não andarem na mesma calçada, servem como referência, como balizamento de ações futuras. E aí entrou Hiroshima e Nagazaki, falou-se sobre o 11 de Setembro, tragédias que não dá para esquecer e que se tornaram indeléveis, servindo como pontos marcantes para o combate ao terrorismo e para conhecimento das desgraças que trouxeram a bomba atômica. Esquecer o passado, a quem interessaria? Com menos átomos, nêutrons e pósitrons, mas com muita radioatividade... as bombas existentes por aqui são notadas pelos buracos nas ruas e “rombos” nos cofres públicos. Isso é como uma derrota do Corínthians, por goleada, para o São Paulo, por exemplo.

- Na segunda-feira é assunto chato... vamos esquecer porque foi ontem. A rosa radioativa, estúpida, inválida, sem cor e sem perfume, segundo os Secos & Molhados.

Mesas Opostas

Não convidem a um bom aperitivo à mesma mesa o vereador Joel Júnior, que não bebe, e o chefe do Executivo. A boa vontade demonstrada pelo atual presidente do Legislativo, vereador Odison Araújo, de dialogar com o prefeito e secretários foi quebrada pela forte divergência entre o parlamentar progressista e o prefeito. Joel assume postura oposicionista e que pode ser candidato majoritário, mas parece que os seus colegas vereadores não gostaram do seu comportamento e isso restou demonstrado durante a sessão ordinária de 13 de fevereiro.

- A sucessão municipal começa por aí.

Imóvel e Divergências

A proposta de aquisição do imóvel aonde funcionava até a pouco tempo o PSF do Jardim Glória gerou polêmica através do vereador Joel Júnior, que considerou a quantia como exorbitante. Virtual candidato a prefeito, Joel Júnior assume a postura de oposição ao atual governo, o que de fato não é proibido. Entretanto, a proprietária do imóvel teria revelado que o mesmo imóvel foi avaliado em R$ 230.000,00 por uma pessoa conhecida do vereador. Livre dos embaraços e de qualquer “atravessador”, o imóvel foi proposto por R$ 150.000,00, parcelado em cinco vezes, ao setor público. A maioria absoluta dos vereadores avaliou como possível e coerente o valor ofertado.

- Como em política o que vale é a maioria e considerando-se a avaliação que foi de R$ 230.000,00... vai acontecer.

Imóvel e Divergências II

A compra do imóvel para o PSF do Jardim Glória contou até com palpite de ex-vereador, o mesmo que assinou embaixo para as negociações entre a Encomind e a Prefeitura para aquisição da empresa que existia temporariamente em substituição a extinta Sanemat, hoje, transformada na ESAN. São poucas as reclamações em relação à ESAN, mas naquela época, a população não foi consultada e audiência pública, se existiu, só quem deve ter visto foram alguns ingleses. O poder é como um jogo de damas, quem está dentro vê pouco, já quem está de fora, como “piruieiro”, manda “comer”, leva ao “porco”, que é uma espécie de “xeque-mate” nas damas.

- No xadrez, a estratégia é ficar calado, cuidando da rainha e fodam-se os peões, bispos e nem que a torre caia. Palpite em jogo de xadrez não é bom.

Coisas de Nobres

Sob esse subtítulo, que inclusive daria um livro, já abordamos vários fatos. Um deles, por exemplo, é do tipo que só ocorre em Nobres, que é o caso de uma rua que foi asfaltada (sic!) e tempos depois um outro secretário foi e jogou cascalho sobre a rua por conta do asfalto que sumiu. O tema “Coisas de Nobres” daria de goleada no Livro dos Recordes e tem quem não goste desse assunto, mas que pode se sobressair e virar tema de bate-papo durante a campanha. E o pior, há quem admita que esse asfalto foi bastante “interesseiro” e interessante em um certo tempo da história, “nuestra, de tutti giorno”.

- Procura-se, um bom chargista, estiloso feito aqueles do francês Charlie Hebdo. O tema... andando sobre cascas de ovos.

Sucessão 2016

Tem muito bloco já colocado na rua ou na avenida, mas até o dia do “juízo final”, muitos “paredões” e algumas desistências deverão acontecer. A campanha municipal de 2016, apesar da crise financeira que já se faz presente após as maquiagens da Dilma, vai ter como principal combustível o cacife financeiro. Popularidade não leva a nada sem que se tenha uma estrutura financeira e uma boa retaguarda de grupo. A premonição que se faz é a de que poderá haver embate entre experiência e juventude; e nessa batalha, quem tiver melhor estratégia pode se dar bem.

- Apedrejadores com teto frágil estarão descartados.

Sucessão 2016 II

A Câmara de Vereadores, dentre os atuais parlamentares municipais, a reeleição só acontecerá se alguém tiver guardado “mantimento” para os dias de vacas magras em termos de votos. A população municipal está mais atenta que radar na Faixa de Gaza e o processo será atípico em relação ao que foi em 2012, quando muitos sentirão saudades de José... eita sujeito bacana!

- buy clomid online Mas, vamos à luta, afinal o poder é feito uma sereia e tem lá os seus encantos e seduz.  

Davi’s x Golias

O governador Pedro Taques (PDT) vem atirando para todos os lados, onde quer que pressinta que o alvo sejam aqueles que estiveram no poder nos últimos anos. Contra o governo de Silval o bombardeio tem sido mais intenso, já que os “rombos” aos cofres públicos citados pela mídia “brotam” que nem aquele capim de beira de estrada. Os “torpedos” disparados por Taques em direção a “fragata” de Silval são aplaudidos pelos aliados do atual governo. E, de fato, os problemas são muitos e nem foram quantificados totalmente.

- São problemas por metro, quilo... quadrado, cúbico e linear.

Davi’s  x Golias II

Se no Governo do Estado o atual governador de MT chia e é aplaudido, nos municípios, os atuais prefeitos não podem reclamar da herança maldita. Toda reclamação é rechaçada e invalidada. Qual a diferença? Obviamente, há uma diferença visível entre a atmosfera, a ionosfera e a estratosfera... e o ar que se respira nos municípios ou melhor dizendo, as contas municipais são mais modestas. Entre uma cratera e um búque (antigo buraco utilizado para jogos de bolitas ou bola de gude) há uma diferença. Ou seja, o “rombo” no estado é maior que nos municípios, mas o “jus esperneandi” é o mesmo. A dor de dente que dá no João tem a mesma intensidade que em Mané.

- Porque é bonita a reclamação do Pedro e as dos outros é feia e não pode? Algo a ver com o amanhã?

Pesquisa Antecipada...

...e encomendada por alguém estaria sendo feita em Nobres e a pergunta principal seria acerca da atual administração. Tudo indica que já esteja havendo a antecipação do processo político e com o anúncio, ainda que indireto, de que não vai à reeleição, o alvo parece ser o governante atual de Nobres. Atirando pedras sobre o telhado do atual governo, quem estiver abrigado ali pode ser atingido e outros também por tabela ou afinidade. Realmente, ainda não se pode vislumbrar um “xeque-mate” e quem queira antecipar o processo, muito antes do apito final, corre o risco de estar subindo no “VLT” errado.

- Alguma dúvida?

“Panfletagem Eletrônica”

Desde que o homem pisou na Lua, em 1969, que o sistema digital vem revolucionando o mundo. A chamada era cibernética abriu as portas do mundo para tudo quanto é parafernália eletrônica. Até a panfletagem, que era via papel, agora é eletrônica, via wathsapp. Recentemente, uma montagem de vídeo e imagem começou a circular pela rede social (wathsapp), com pista de que há interesse eleitoreiro no que foi colocado, inclusive com imagem de pessoas deitadas em maca num corredor, fato que não ocorreu aqui, nem nos piores anos de gestão administrativa.

- O sujeito manda montar o vídeo, coloca na rede e depois liga para o ofendido e diz: “que maldade, né?”. Como se vê...

 “Panfletagem da Antiga”

Quando a panfletagem era à moda antiga, qualquer que fosse a panfletagem, para esse tipo de ação já se tinha um “bode expiatório”. Em 2010, ali por volta de maio, uns panfletos amanheceram espalhados pela cidade e a dedução “number one” foi a de que o seu criador seria o velho bode expiatório. Entretanto, uma certa câmera de segurança, teria flagrado uma Bizz, cor azul, jogando a papelada, cujo veículo nunca mais foi visto em Nobres. A vítima e o criador do panfleto, supõe-se, teriam convivido até o fim dos dias... dezembro de 2012. Foram lançados ao mar feito âncoras, sem correntes.

- A não ser que tenha voltado do fundo mar com novos recursos de mídia... como uma âncora reciclada.

“Panfletagem da Antiga” II

Aquele panfleto da antiga, urdido em 2010, na verdade, foi uma premonição lançada na calada da noite, anunciando que os que se faziam de cego... na verdade, eram mesmo cegos, há muito tempo; se divorciaram do “guia” de cegos a partir do momento em que resolveram se estabelecer com as próprias pernas, “guiados” por alguém que sofria do mal de ceracotone por conveniência. Foi um período da história em que aqueles que enxergavam se tornaram cegos; e os que eram cegos, uma vez no poder, passaram a ver um mundo de possibilidades... que jamais existiu.

- Hoje, habitam a lendária cidade de Atlantis.

Na Rede

Os candidatáveis que se preparem, esse pessoal que está espalhado pela rede é criativo. Tem um menino que anda por aí com o celular recheado de cenas de sexo explícito de muita gente boa e o exibe a quem quiser. Na escola, dava um trabalhão para aprender e as notas eram aquelas que qualquer “cdf” renega... abaixo da linha do Equador, mas tira nota 10 na rede. Mesmo confuso nas cores, sabe, de cor e salteado, as cores, os fios, o tamanho e a largura de muitas pererecas que estão na rede dele. Vendo essas cenas no celular, não é difícil prever que faça justiça com as próprias mãos (ora na esquerda, ora na direita), enforcando o passarinho.

- Curuuuuzes, diria o blogueiro Teodoro Pereira.

Encafifado

 Como dizia minha querida vó, a Chá Nena, há dias em que se amanhece com alguma pulga atrás da orelha e quando isso acontece, é por alguma dúvida. Seria de toda tão mal a pergunta: “A gênese de todo mal que ‘brota’ na Câmara Municipal de Nobres teria origem no presidente, o de hoje e os de ontem?”. E olha que na Câmara de Vereadores já aconteceram coisas do arco da velha (não o arco da minha vó, é claro!). Em 2.008, após o fim de uma gestão, toda bronca foi parar no então presidente, algo em torno de R$ 47.000,00 de corridas de táxi. Alguém fez alguma auditoria ou checou essas contas, corridas, assinaturas e tudo mais?

- Então, ser presidente é estar à beira de um precipício, com muitos prontos a empurrar?

Encafifado II

Esse negócio de pajelança em restaurante começou quando? É complicado mas deve ser bom ser presidente, mesmo sabendo que essa “brincadeira” de empurra-empurra é ruim ou fica ruim depois. E aí vem a mesma pergunta: “Alguém mais letrado saberia apontar onde está á gênese disso tudo?”. É que o fumo só vai parar num cachimbo, mas a presidência é conveniente a muitos, mas muito mesmo, até aqueles mais economistas que o pessoal da FGV. Bem, é um jogo de damas e só quem está fora consegue ver e saber pra onde encaminhar a pedra. Mas é intrigante, saber que neste caso, quando o navio afunda, só o comandante fica na casa das máquinas.

- É... minha vó, nem só em Saramandaia tinha mistérios.

Encafifado III

Até hoje essa ...ôrra dessa pulga continua atrás de uma das minhas salientes orelhas. Carmelo foi empurrado ou pulou por sua conta no precipício? Fermino pulou ou foi empurrado? O que teria ocorrido com o presidente Rallide? Com Ódson o fato se repetirá? Seriam essas pessoas, eleitas pelo voto popular, de todas tão mal? A gênese se esconde aonde? A danada da filosofia só quer saber de perguntas..., mas é dela que vêm as respostas. De Platão vem o ensinamento: “Muitos odeiam a tirania apenas para que possam estabelecer a sua”. Mas, o que será que faz um presidente para ser cumprimentado e bastante abraçado na vitória, mas ao fim do seu mandato, apenas recebe o troféu do ostracismo?

- buy priligy Cogitar uma autobiografia dos dias presidenciáveis, isso revelaria alguma coisa?

Riscos de Trafegabilidade

A Câmara de Vereadores não poderá deixar passar a oportunidade de se pronunciar com relação à MT-241 e os riscos que a pista oferece em pequeno trecho, entre o Jardim Petrópolis até a localidade de Cancela. Postes à beira (mas à beira, mesmo) da pista e enormes valas abertas às margens da rodovia. Em frente à subestação de energia elétrica, o risco se apresenta maior para quem vem sentido zona rural/cidade, com a inclinação da pista e as enormes valas, coladas à margem. A tentativa de frenagem no cascalho aumenta o risco de ir parar no fundo da vala.

- Não esperem pelo pior.

Ser Chique

Um menor foi e roubou um cálice, banhado a ouro, de uma igreja, em Sinop, e vendeu a um adulto. O adulto e mais um foram tomar cerveja no “cabaré” utilizando o cálice, de valor material e espiritual inestimável, utilizado nas celebrações eucarísticas. Como o feito era inusitado, a rapaziada teve que curtir o porre atrás das grades, por receptação e, quem sabe, por ostentação, muito na moda no “funk”.

- Como diria Chico Buarque: “Pai, afasta de mim esse cálice...”. Já Roberto Carlos, diz: “Taças amargas derramadas mostram que é o fim da estrada...”.

Cargos Públicos

O governador Pedro Taques (PDT), que está no governo há um mês, só agora começa a conhecer o outro lado da moeda, o dos interesses que permeiam no epicentro do poder, Executivo, é claro. As nomeações às Ciretrans são apenas temporárias e os cargos serão exercidos por indicações políticas. Um deputado teria soltado um palavrão na Casa Civil por conta de uma nomeação que não fosse indicação sua, sem saber da realidade.

- Bem, isso é apenas o começo.

Cargos Públicos II

Em Nobres, um ou outro vereador disse que vai “exigir” nomeação em cargo público estadual. Há nomes que já estariam indicados e outros por indicar, contrariando totalmente a retórica do Pedro Taques candidato, acerca do “loteamento” de cargos em repartições públicas. Por aqui estaria surgindo uma nova situação na política, em que há o vereador e o que age por tabela ou pelo exercício do “ventriloquismo”. Ou fala um, ou não fale ninguém.  

- Nada como aguardar, com muita paciência.

Lupi, de Novo?

O governador Pedro Taques, diz-se, estaria sob olhares atentos do presidente nacional da sigla pedetista, ex-ministro Carlos Lupi. Fala-se em insatisfação com o processo político e a Mesa Diretora da Assembleia. Realmente, não dá nem para comparar entre um e outro, já que Lupi foi destronado do ministério por conta de fatos desabonadores. Quanto à eleição à Mesa Diretora da AL-MT, finalmente, o governador começa a descobrir que não se governa sozinho e que não se tem poder indefinido. Carlos Bezerra e Carlos Lupi tentaram dar palpites nesse jogo de damas, mas ninguém deu ouvidos a ambos.

- Zeca Viana parece que faz jogo de cena e mostra que estaria contra algumas decisões do governador. Será mesmo? Vai ter que conviver com todos no “puxadinho” da tribo Paiaguás, segundo o próprio Zeca.

Nada ao Zeca

O governador Pedro Taques, que não é de ficar calado e que não admite engolir sapo, até agora, se manteve alheio às críticas do deputado Zeca Viana. Não se sabe, porém, se vai manter essa calma toda até o carnaval. Aliado sim, palpiteiro, aí é que não daria certo. Esse Zeca Viana é realmente uma figuraça, daquelas que perseguem a perfeição na política, o que, convenhamos, não é ambiente propício a isso. Nem no alto clero da igreja não se consegue encontrar perfeição que, aliás, não é de nós, simples mortais.

- Esse é o tal do sujeito chato... pra cacete. Já já leva uma baforada de mata “pentelhador”.

Sonho de Ícaro

Um rapaz, que anda nas nuvens, teria gravado um vídeo e postado na internet, acerca da situação das ruas em dezembro de 2014. Não fosse ele aquele que abandonava as rodas de amigos e de cervejas para ir ter que responder “presente” na lista de chamada das reuniões do candidato derrotado em 2012, dir-se-ia que o seu interesse por Nobres seria dignificante. Mas como se trata de uma revanche, o crédito não foi tão grande assim. É louvável toda ação carregada de desejos de ver a cidade melhorar. Afinal, uma cidade com progresso e desenvolvimento é o desejo de todos, mas, infelizmente, não se voa com asas feita em cera, sob risco de se esborrachar no chão na aterrissagem forçada.

- Muita “munição” pra pouco efeito. NÃo VIRAÍ... é contramão.

Tirando da Reta

Dia desses, conversando com um desses “news” comendadores daqui da terra dos Nobres, o tema era a delação premiada, um modismo bastante atual com vistas a tirar o c... da reta. Enquanto o diálogo seguia, eis que surgia, pela retaguarda, alguém que já havia colocado essa mesma premonição na rede social. Para o Comendador Edson Luiz Pinto, caso a coisa fique preta para um ex-prefeito de Nobres, a alternativa correta seria a prerrogativa da delação premiada, já que não praticou o ato sozinho. Quem já havia sugerido isso passava pelo local, exatamente o ex-deputado estadual Jesus Gaeta. 

- Como se vê, as coincidências são tantas e o personagem é sempre o mesmo.

Tirando da Reta II

Os fatos nos remetem aos anos de 2009, 2010, 2011 e, principalmente, 2012, que podem ir parar no Fantástico ou ficar por aqui por MT, em mãos do Gaeco, TCE, MPE ou qualquer outra área investigativa. Experiente, o ex-deputado Gaeta teria cogitado isso no Facebook, ali por volta de 2013. O Comendador Preá acredita que pode vir mau tempo por aí, mas nenhuma chuva tão forte como a presença do repórter investigativo Eduardo Faustini, da revista eletrônica Fantástico. Em Ribas do Rio Pardo, no Mato Grosso do Sul, o presidente do Legislativo e mais alguns vereadores “rodaram”, enxurrada abaixo.

- A deduragem nunca esteve tão em moda. Em 1792, o Inconfidente Joaquim José da Silva Xavier, também conhecido por Tiradentes, foi morto enforcado e esquartejado por conta de um “X-9”, que tirou o seu da reta. Um tal Silvério dos Reis derrubou o serviço.

Bafão de Fim de Ano

As festas de confraternização que ocorrem no fim de ano, quando não rendem um bafão, não tem como registrar e não se torna “a festa”. Em Nobres, a “marvada” da cachaça rendeu muitos papos e alimentou muitos boatos. Em uma delas, um sujeito “bom de gole”, foi vencido pela quantidade ingerida e teria dançado na boquinha da garrafa. Só aí, já seria digno de registro, mas fecharam a noitada em um casamento, aonde o ‘cara’ teria dito ao noivo “feliz aniversário”. Uuuuui! Desculpe aí. Falha Nossa.

- Confraternização é sinal de altos babados. 

Bafão II

Nem no Vaticano escaparam de um “bafão”. O Papa Francisco desceu a “borduna” nos cardeais em seu discurso, bastante “homilia(ante)”. Um cruzado direto, não no queixo, mas na consciência dos antigos líderes católicos acerca da Igreja e daqueles que porventura sofram da “síndrome da imortalidade”, a “doença do lucro mundano”, entre outras “lavadas” no alto clero. São Francisco que nos livre desses “bafões”, alguns deles, com perda até do ganha pão. Na “boquinha da garrafa”, que tarefa difícil para um equilibrista.

- Virgindade sob ameaça. 

Reação

Quando o setor público retornar do recesso, que não foi geral, o prefeito Sebastião Gilmar terá que se reunir com o seu secretariado e, posteriormente, com as empresas que executam serviços em Nobres para cobrar daquelas maior regularidade na execução dos serviços. A obra que está sendo executada na área central da cidade, à avenida Getúlio Vargas, segue a passos de tartaruga e a coisa tem que andar, não bastasse a falta de habilidade quanto a sinalização sobre os riscos nas valas e buracos abertos. Em Nobres, a capital mundial dos críticos e dos reclamantes, a busca pela perfeição tem que ser perseguida.

- Uma nova etapa está começando e é tempo de abrir os olhos.

Contraponto

O histórico de Nobres como o município que costuma receber os aventureiros de braços abertos, chega a impressionar. O velho e saudoso Adriano Silva, da Pousada Kisono, costumava dizer que Nobres se assemelha a um garimpo, para onde vem os aventureiros fazer fortuna e depois arribar, com os bolsos cheios, obviamente. A farta comercialização de lotes por um espólio de político em Nobres também impressiona. Um ex-secretário de Educação municipal do início dos anos 90 foi embora de Nobres e até hoje seu nome é lembrado e não será por suas obras. Ali por volta do final de 2010, chegou um rapaz em Nobres, tão desconhecido, que ninguém sabe quem ele é até hoje, mas criou para si, abaixo do nariz do prefeito e com seu aval, uma super-secretaria, com poderes extremos. Onde está esse cidadão atualmente? 

- Que bela e apropriada frase pronunciada no filme A Dama e o Vagabundo, produzido por W. Disney: “Venha, criança, vamos colecionar lembranças.”.

Contraponto II

Entre 2011 e 2012, esse super-secretário fez tanto sucesso, que tinha gente que andava de braços dados com o mesmo pelos corredores palacianos. É inegável, trata-se de um sujeito perspicaz, inteligente e até corajoso pelo que fez em Nobres, promovendo uma confusão administrativa e financeira nunca vista, cujas provas constam de um Relatório Técnico produzido por auditores do TCE-MT que chega a “embaralhar” a cabeça de qualquer bom jogador de pôquer. O empreiteiro de uma obra, aditada várias vezes, recebia um cheque de R$ 2.000,00, enquanto uma outra empresa, que só produzia bons ventos, recebia por outra banda um polpudo cheque. E quem levantou isso foi o TCE-MT. O “cara” era querido, mas porque tinha a chave do sucesso... que levava ao “money” do povo de Nobres. 

- Alguém reclamava dele nas redes sociais? E ainda teria dito que setores do comércio de Nobres não gostavam de pagar impostos. Onde estaria essa mente privilegiada?

Contraponto III

Ainda hoje, tem gente inteligente e bem relacionada que faz questão de ignorar que os “rombos” nos cofres púbicos municipais não influenciam em nada e até pede para “esquecer” o passado. Alguns críticos de hoje são os que subiram no palanque em 2012, desejando a continuidade das ações praticadas por mais um “garimpeiro” que passou por Nobres. Nós só fazemos repetir o que diz o TCE-MT, através de relatório produzido por uma equipe técnica do conselheiro Valter Albano. Como as pessoas estão aqui há anos e não pretendem sair daqui, estas e contra estas saem coisas do arco da velha e há quem peça para passar uma régua no passado.

- De acordo com o escritor romeno Garabert Ibraleum (1871/1930): “Um tolo não diz coisas inteligentes, mas uma pessoa inteligente diz muitas asneiras”. 

 Empreiteiras/Rastro

As empresas comerciais e o comércio em geral de Nobres precisam estar atentos a um fenômeno que não é novo e ocorre com certa frequência por estas bandas. Algumas empreiteiras, mas só algumas, que prestam serviços na cidade em obras para o município, teriam dado calote no comércio. Ali por volta de 2010, o pessoal que construía os meio fios e as guias de sarjeta se apresentavam esquálidos, por absoluta falta de “bóia”, do “bagerê”, como dizem por estas bandas, e compravam fiado no comércio local. Nem receberam e nem pagaram. Alguns cheques “turbinados” (antigamente tinham asas) estariam sendo colocados na praça, recentemente, mas ninguém aceitou ou não quis pegar.

- Todo cuidado terá sido pouco em relação à possibilidade de “calote”. Temos que fazer prevalecer á lei de reserva de mercado em favor dos caloteiros que já temos por aqui.

Dança do Ximburé

Dizem que as pescarias feitas em algum tempo atrás lá pelas bandas do Cuiabazinho tem sido “felomenal”, segundo a galera que participa. Dia desses, uma certa “onça” (engarrafada) pegou uma dona e só foi escorregões pelo barranco quando ela praticava a “dança do ximburé”. Caiu n’água longe do cai n’água, de anágua e tudo. Realmente, com a invasão das matas para plantio de soja, a “onça” foi parar nas prateleiras e dali para a beira do rio, na pesca dos bagres, barbados, jiripocas e ximburés.

- Cuidado, prima, essa “onça” é braba, vá de camelo e tenha sempre uma boa ideia.

Prestando Contas

O Incra está notificando os ocupantes das áreas rurais localizadas na Forquilha do Rio Manso a apresentarem defesa em relação ao uso do imóvel. No Edital de Convocação constam os nomes dos titulares, dos prepostos e das transferências feitas. Na verdade, o que houve foram negociações financeiras informais dos imóveis, com transferência de “posse”. Conhecer cada realidade deve ser a proposta do Incra nesse mercado imobiliário informal com terras da reforma agrária, suas regras e exceções. Qual será o desfecho dessa ação é que ninguém sabe.

 - Tempo ao tempo para ver como é que fica.

Fethab/Bolo

Prefeitos já estariam na bronca com o governo de Pedro Taques por conta do “abocanhamento” dos recursos do Fethab pelo governo do Estado, adentrando na seara municipalista. Há um longo caminho a percorrer e o entendimento de que não será validado por inteiro o estilo de gestão do novo governador que, afinal, não conseguirá agradar a todos. A Assembleia Legislativa será uma das pedras a “entrar” no sapato do governador. Para o fortalecimento do governo, cada prefeitura representa as fontes que irrigam a máquina estatal e sem uma boa manutenção, os efeitos colaterais tendem a surgir e podem estabelecer um mal estar na formação geral desse corpo.

- buy kamagra Sob o slogan: “Eu sou a verdade e a vida...”, o choque frontal pode causar danos a ambos os lados.

Movimentação

Fala-se numa movimentação através das redes sociais afim de protestar contra a administração municipal de Nobres. Desde 2013, uma suposta líder desse movimento já vinha atacando um ou outro secretário municipal na rede social (Facebook) e as postagens se apresentavam como sendo muito mais de cunho pessoal que propriamente em relação à cidade como um todo. É livre a manifestação dos cidadãos em relação ao que possa estar errado na gestão municipal, desde que não seja por mero capricho pessoal porque não vai com a fachada do sujeito, nem sempre oculto.

- É aguardar pra ver. Será por que as estradas da Forquilha do Rio Manso não estariam tão boas?

MT-241

Nunca uma estrada estadual foi tão comentada como a MT-241. Só o vereador Joel Júnior (PP/Nobres), já teria pronunciado essa denominação ao menos um milhão de vezes, desde 2009. A última vez em que se abordou esse assunto foi no final de 2014, por ocasião de uma sessão ordinária, quando se falou sobre o deputado Nininho, suposto proprietário da empreiteira que realiza a obra, cujo aditivo vem encarecendo os serviços, segundo os vereadores. O pior mesmo foi o uso da obra como mote para “catar” votos dos eleitores com a promessa de que em 10 dias, pela bilionésima vez, cerca de 1200 metros seriam asfaltados, do Jardim Petrópolis sentido zona rural. E agora, o governador Pedro Taques (PDT) teria acabado com as farras do ex, Silval Barbosa, decretando a suspensão dos contratos e pagamentos por 120 dias ou mais.

- Será que botaram o nome da MT-241 na boca de algum sapo e costuraram? O anfíbio corre o risco de ter forte indigestão.

Ação de Graças

Quem diria? A Câmara Municipal de Rosário Oeste nem parece aquela de alguns meses atrás, onde ocorreu vias de fato (e sem direito). No ato de posse da nova Mesa Diretora, dia 1º de janeiro de 2015, o recinto até parecia um mosteiro, tamanho era o silêncio e os tratamentos amistosos, mas tão amistosos que até parecia jogo de compadres. Houve até um “mea culpa” por parte do vereador Gerson que, para quem não sabe, é o Gigante, este que quedou-se ante a necessidade do exercício das boas relações sociais. Gerson falou ao prefeito João Balbino em tom amistoso no Dia Mundial de Ação de Graças.

 - Está em Mateus, 19:26.: “...A Deus tudo é possível...” – Jesus. Depois do prêmio da Mega Sena da Virada... não se fala em outra coisa além do mosteiro beneditino.

Rosário/Posse

Em sua fala aos presentes, a vereadora Simone desejou bom ano novo a todos e sorte ao vereador Benvino como presidente nos “dois biênios”. Isso equivale a uma premonição quanto à reeleição do colega para 2017/2018. E ela referiu-se ao prefeito apenas como João e não sua “Excelência o prefeito, que ora nos visita”. João daqui, João de lá, a regra é clara na questão do tratamento entre autoridades durante atos públicos. Bem, essa passou, mas o que fica mesmo é a mudança de atitudes de um ou outro vereador em relação ao seu papel na comunidade. Que tudo fique apenas no campo dos debates de ideias e na busca do melhor para o município, sem a necessidade do revanchismo e nem da prática do MMA ou UFC.

- 2015 começa realmente cheio de esperanças.

Lixo Doméstico

Algumas pessoas reclamam (e muito!) do acúmulo de lixo nas vias. Nos últimos dias de 2014, o itinerário do caminhão de coleta de lixo na cidade de Nobres foi bastante questionado. Passava-se em uma determinada rua e as transversais ficavam para trás com o lixo acumulado. Aquela tática dos montes depositados na esquina, infelizmente, não deu certo. E mais, na próxima São Silvestre, pode inscrever esse pessoal que acompanha o caminhão, que eles estarão aptos a uma maratona após acompanhar o caminhão a mais de 40 por hora. Será mesmo?

- Bem mais preparados que aqueles que correm atrás de antílopes no Quênia. Ou que aqueles que fogem dos guepardos na Tanzânia.

Tarefa Inglória

“Meu Governo, torno a dizer, não será um valhacouto de pelintras e abusados. Contra estes vou empenhar tudo o que posso, toda a fibra que tiver. Se o exercício do poder tem uma função, que é melhorar a vida dos governados, e não o enriquecimento próprio. Nada para os boçais buy levitra online e criminosos. Quem não sabe o valor da coisa pública, não apoie o nosso Governo”. O recado foi do governador Pedro Taques durante a sua posse. É de se esperar que a Assembleia Legislativa também seja concebida desse espírito e que todos deem graça pela transformação da água em vinho das melhores vinícolas. A Câmara Municipal de Cuiabá, capital quase tricentenária, também precisa dar bons exemplos ao resto de MT.

- O Congresso Nacional e a Câmara dos Deputados... idem.    

Acima dos 40.000

Ao iniciarmos mais uma nova coluna, a de nº 41, e olhando para trás, os números, considerando-se que a cada 1.000 acessos nós pulamos uma casa, não é difícil dizer que passamos dos 40.000 acessos desde que esta coluna foi parar na internet. Temos alguns leitores cativos de anos e um desses ilustres é o João Hoepers. Ao longo dos anos ganhamos algumas amizades bastante fraternas, uma ou outra platônica e também colecionamos alguns inimigos e até adivinhos, querendo decifrar certos enigmas. A todos, indistintamente, os nossos agradecimentos e os desejos que 2.015 seja um ano de esperanças e de realizações.

- “E, uma vez que algo foi escrito, a composição, seja qual for, espalha-se por toda a parte, caindo em mãos não só dos que a compreendem mas também dos que não têm relação alguma com ela; não sabe como se dirigir às pessoas certas e não se dirigir às erradas”. Platão.

Papai Noel/Fuga

Certa vez, um sujeito bem fofoqueiro, encostou em um Papai Noel que prestava serviços numa loja e disse-lhe, bem baixinho: “Não olhe para trás e disfarce, ali vem um ‘cara’ a quem você deve, em nossa direção”. O bom velhinho, que nem aos 30 anos havia chegado, respirou fundo, empinou a barriga e bateu em retirada, rumo a um local aonde pudesse ver o seu credor passando. Foi só um teste feito pelo fofoqueiro, que mais tarde riu à beça com a informação... só pra contrariar. Mais tarde, sem perceber a traquinagem, Papai Noel disse: “Ufa! Essa foi por pouco, a bola bateu no travessão”.

- Nem Papai Noel está livre dos maldosos... e dos credores, também.

Entre Justos...

...e pecadores. Nunca um prefeito foi tão “chicoteado” como o daqui de Nobres nos últimos meses e sem dever, ou pelo fato de ser o comandante. A questão dos medicamentos gerou tantos e tantos descontentamentos, tantos e tantos reclames, que em 2015 será necessária uma reavaliação dos fatos. A questão dos medicamentos foi largamente explorada por adversários políticos e o setor competente manteve-se inerte, sem conseguir esclarecer publicamente os fatos, permitindo as “pedradas” contra o governante. A coisa esteve tal e qual o bloco carnavalesco integrado pelos “apanha quietos”, o que neste caso resultou em bordoadas a um só. É hora do “mea culpa” por quem de direito e após isso, uma reavaliação de tudo o que aconteceu nos últimos meses de 2014.

- A simples filosofia nos leva a questionar: “Como, por que, de que forma, em que circunstâncias?”.

Leitura Agradável

Lendo o livro do Auditor Contábil do TCE-MT, Reinaldo Thommen, intitulado “O lado pitoresco das auditorias”, vemos narrativas simples e agradáveis sobre as viagens a trabalho desse pessoal. Uma revelação nos chamou a atenção, a da página 76, que retrata a preocupação nas prefeituras com a chegada da equipe do TCE-MT para auditagem de contas públicas. Um auxiliar da equipe de auditoria, de codinome “Delegado”, causou o maior rebu numa determinada prefeitura. Foi quando um olheiro, “plantado” para acompanhar de perto os trabalhos, ouviu a repetência do nome “Delegado”, por diversas vezes e foi correndo contar ao prefeito: “Senhor prefeito, trate de dar o fora, pois desta vez eles trouxeram até um Delegado para lhe prender”, teria anunciado o olheiro. Mal sabia o olheiro que se tratava apenas de um apelido, mas o prefeito não esperou... nem pelo melhor e nem pelo pior.

- Alguma culpa em cartório? Simples e aprazível à leitura.

Entrada e Saída

Algo precisa ser feito e as autoridades políticas, as entidades mais influentes em Nobres, a sociedade organizada, enfim, precisa levantar a voz e buscar uma reação com relação ao que vem ocorrendo no denominado Trevo da Emal, de entrada e saída de Nobres. O nível de velocidade imprimido ali por quem trafega pela rodovia federal já causou quase uma dezena de mortes desde o início das alterações promovidas ali, nas proximidades de uma fábrica de artefatos de cimento. Algo está errado e vai além dos cálculos da engenharia de tráfego, considerando-se a incidência exagerada de infaustos acontecimentos num trecho de cerca de 200 metros.

- Esperar pela próxima vítima terá sido persistência no erro.  

Last Updated ( Wednesday, 08 April 2015 01:10 )

 

Do lado de cá do horizonte

A cidade de Nobres ou qualquer outra do interior do Brasil que tenha um gestor que preze pelo voto do eleitor, não vai, jamais, executar obras que não sejam vistosas, faraônicas ou estilosa, feito um elefante branco na paisagem de alguma savana, p

No nosso tempo...

No nosso tempo...
Read more...

E no Jardim clomid online do Éden...

Há um certo tempo atrás, em busca de votos dos eleitores de Nobres, um candidato teve a infelicidade de citar uma frase que se tornaria desagradável com o tempo, numa comparação absurda e equivocada entre Bonito, no Mato Grosso do Sul, e Nobres,

Pais salvem seus filhos que a guerra vai começar

Violência nos estádios gera morte. Estamos indignados e contra a violência no futebol, que tem ganhado as ruas na forma de brigas violentas entre torcidas organizadas.

         Membros de torcidas organizadas têm usado a internet para marc

“Tentativa de Definição”

Uma boa memória é aquela capaz de resgatar fatos do passado sem perder o foco no tempo presente. E, de repente, veio-nos à memória essas palavras, repetidas pelo inesquecível jornalista/radialista Alves de Oliveira, em sua “Crônica do Meio Di

buy propecia online O que Nobres espera

Independentemente de quem seja o futuro governador de Mato Grosso, a população de Nobres espera que os nossos deputados, que serão eleitos e reeleitos, deixem de se utilizar do município e de sua gente apenas para conquistar votos e ludibriar a a

Trincheira XL

Carcaças Previdenciárias

Desde o velho e desaparecido Ipemat que Mato Grosso está às voltas com a “mão leve” sobre o dinheiro dos fundos de previdência. MT Saúde, MT Prev, Bemat, Matoveg, todas essas instituições foram esbulhadas pelos go












Last Updated ( Wednesday, 14 January 2015 19:02 )

Por uma nova visão social

Todos os encaminhamentos e a percepção de que o Rotary Club de Nobres estampa uma nova visão social em relação ao município de Nobres só reforçam o papel que o clube de serviço já vem desempenhando ao longo dos anos nesta terra, carente da

Page 7 of 36

TRINCHEIRA LII

Bastidores da Política Há quem diga que o ex-prefeito Gilmarzinho da Ecoplan tenha saído de cena após o dia 31 de dezembro de 2016. Muito se tem ouvido falar sobre a sua permanência na militância política, segundo seus amigos mais próximos. Onde há fumaça é porque já houve fogo. Mas é qu

Persistência e desigualdade

Como fazer para reverter á desigualdade na luta contra os crimes ambientais nos rios de Nobres? A pergunta faz sentido na medida em que se sabe e se vem percebendo que o Rotary Club de Nobres vem insistindo na preservação e em muitos trechos na recuperação da mata ciliar dos rios Nobres e Serra