You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

23/11/2017
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Colunas

Colunas

TRINCHEIRA L

Feitiços e Feiticeiros

No notici√°rio de hoje (23/02), vimos uma not√≠cia surreal (nem tanto!), em que um casal morreu numa colis√£o de uma Blazer com um caminh√£o ba√ļ. N√£o fosse o casal dono de uma funer√°ria, o acidente seria considerado normal diante de tantos que ocorrem. Menos mal que a despesa fique por conta de quem partiu.

- √Č brinquedo n√£o!

Por Par√°bola

As empresas terceirizadas, em Nobres, se revelam como a par√°bola dos cegos ao apalparem o elefante, com conclus√Ķes individualizadas acerca do paquiderme, mas nenhuma conclus√£o l√≥gica sob o formato do objeto tocado. As cooperativas que surgem em Nobres, antigamente, os que eram cegos... nem faziam quest√£o de interpret√°-las. Hoje, os cegos de ontem passaram a enxergar e sabem a dimens√£o exata daquilo que antes n√£o viam. No que vai dar isso?

- Well! Só vejo vultos a se mobilizarem e nenhuma clareza sobre o que prejulgam.

Big Brother?

Sabe?, aquela impress√£o de estar sendo vigiado em seus passos... mesmo √† caminho de um cineminha. Isso √© coisa... sen√£o da Globo, √© um ‚Äúremake‚ÄĚ dos velhos tempos da ditadura. Fiscalizar? Deem liberdade e como bom pescador, soltem linha ao peixe. Liberdade vigiada √© melhor e mais √ļtil que liberdade tolhida. Carecendo de ser vigiado, eis que me torno vigiador.

- Os velhos clichês já estão fora de moda, agora é tudo virtual embora o respeito aos direitos tenha que ser real.

Reorganização

O PSD parece predisposto a se reorganizar em Nobres. O partido tem uma estrutura forte e tem tamb√©m a vice prefeita, tr√™s vereadores, dentre os quais o presidente da C√Ęmara Municipal de Nobres e ainda o sub prefeito, mas parece disperso e sem for√ßa. Pode ser o in√≠cio de uma ofensiva com vistas a reorganiza√ß√£o, podendo sair do encontro um pouco mais forte e com decis√£o, afinal, partido pol√≠tico n√£o √© a base do cada um por si.

- Sendo assim...

Sem Fim

Tem gente falando e n√£o se sabe quando e nem como ocorrer√° um ordenamento para a corre√ß√£o de fatos repetitivos, que √© exatamente o uso de carro p√ļblico nos dias de s√°bado, domingo ou feriado, salvo a extrema e urgente necessidade. Algu√©m precisa disciplinar essa coisa, do contr√°rio, vai continuar gerando muito ‚Äúbl√°-bl√°-bl√°‚ÄĚ.

- Há quem já faça uma novena (e uma resenha) para São Marcos.

Desconhecimento?

Algu√©m que more em Nobres, ser√° que n√£o passa, nem uma √ļnica vez, pela rua Corumb√°, aquela em que se situa a Escola Estadual ‚ÄúDr. F√°bio Silv√©rio de Faria‚ÄĚ?. Onde estaria a Vigil√Ęncia Sanit√°ria ou qualquer outro setor que possa verificar o cen√°rio existente naquela rua. √Āguas servidas escuras e f√©tidas bem em frente ao estabelecimento de ensino e ainda um galinheiro por perto. Lixo na via p√ļblica e um cen√°rio contrastante com as no√ß√Ķes de meio ambiente que se aprende na escola. E n√£o √© de hoje, isso est√° ali por meses e j√° falamos nisso at√© pessoalmente.

- Isso dep√Ķe contra qualquer interesse em melhorar a qualidade de vida.

Desconhecimento? II

√Č como diria Roberto Carlos: ‚Äú...de que vale o c√©u azul sempre a brilhar... se voc√™ n√£o vem...‚ÄĚ, para arrumar a rua. Que tal uma aula sobre meio ambiente saud√°vel a come√ßar com a urgente retirada da cria√ß√£o de galinha na √°rea central da cidade? E o lixo que sempre √© depositado ou mal acondicionado ali, o que fazer? Reza o or√ßamento p√ļblico que a receita deve ser utilizada em boa parte na presta√ß√£o de servi√ßos √† comunidade. Quem fiscalizaria as mini granjas existentes na cidade?

- Amar a pol√≠tica partid√°ria sobre todas as coisas... e as pol√≠ticas p√ļblicas que visem o bem estar bem de todos, well... isso vem depois. Quem fiscaliza quem?

Desconhecimento? III

Um terreno baldio nas imedia√ß√Ķes da Escola ‚ÄúF√°bio‚ÄĚ tamb√©m coloca em risco os alunos, notadamente no per√≠odo noturno. Se n√£o uma cobra, mas tamb√©m e, principalmente, os maus intencionados que se aproveitam do lugar ermo para perpetrar seus instintos tacanhos. De sorte que ainda n√£o houve registros de ataques a pessoas e prevenir ainda √© um rem√©dio eficaz. A n√£o ser que se v√° esperar pelo pior, mesmo com todo otimismo poss√≠vel.

- O Cavaleiro do Apocalipse est√° de volta? Nem sempre se traz bons press√°gios. Mas, onde estaria a dificuldade em ver isso?

Correios em Crise

De acordo com not√≠cia divulgada pelo G1, os Correios j√° deram in√≠cio a um PDV (Plano de Demiss√£o Volunt√°ria) com a ades√£o de ao menos tr√™s mil funcion√°rios. De acordo com a nota: ‚ÄúEm meio √† mais grave crise financeira de sua hist√≥ria, a Empresa Brasileira de Correios e Tel√©grafos (ECT) planeja tamb√©m fechar cerca de 200 ag√™ncias neste ano, al√©m de uma s√©rie de medidas de redu√ß√£o de custos e de reestrutura√ß√£o da folha de pagamentos‚ÄĚ. E ainda teve aquele probleminha com o esc√Ęndalo do mensal√£o, que abalou as estruturas dos Correios.

- De tanto ser roubado, o Brasil pena e a crise atinge setores importantes, com a agravante da Seguran√ßa P√ļblica. √ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā¬†

Correios em Crise II

Alvo de assaltos, as agências dos Correios que funcionam no interior não contam com seguranças e o atendimento é precário, com pouco material humano e os que estão ali trabalhando, além da exposição ao perigo, fazem o que podem para manter a agência aberta. Os funcionários dos Correios trabalham heroicamente para manter uma estrutura arcaica. Da mesma forma, o Banco do Brasil trabalha com o material mínimo necessário.

- O governo federal, os estados e municípios só querem administrar dinheiro e nada fazem pelos trabalhadores. A terceirização de mão de obra é a melhor saída.

Serviços

Nos municípios, um dia o regime trabalhista já foi com carteira assinada, mas passou-se para o regime estatutário, e ninguém mais quer saber de funcionário, principalmente daqueles que querem escolher prefeito para administrar para interesses classistas. Bem, existe um caso surreal de um gari que se tornou prefeito em MT. Será que os garis de lá o apoiaram? Em Nobres, a exemplo do Cabo Canaveral, tem uma plataforma sempre pronta para lançamento de médico a prefeito.

- Ninguém quer administrar problemas, só recursos.

Saque/Fundo

Em tempos de saques em contas inativas, o que mais se ouve falar √© no FGTS dos servidores p√ļblicos municipais de Nobres que estiveram com conta at√© por volta de 1997 e depois o dinheiro desapareceu. Algu√©m lesou os servidores p√ļblicos municipais e caberia, ainda hoje, ao sindicato classista, cobrar investiga√ß√£o da PF sobre os valores do FGTS que ‚Äúsumiram‚ÄĚ. Em 1.994, a Prefeitura de Nobres mudou do regime celetista para o regime estatut√°rio, ficando as contas inativas at√© hoje. Mas os valores sumiram e todos se calaram.

- A convers√£o dos valores em contas, hoje, daria uma ninharia, mas as contas foram zeradas. Algu√©m ‚Äúsurrupiou‚ÄĚ. Ou n√£o?

Saque/Fundo II

O sindicato classista foi criado anos depois, mas at√© hoje ningu√©m falou nada sobre o tema e s√≥ se ouve reclama√ß√Ķes isoladas acerca do FGTS que tomou rumo ignorado. Algu√©m lucrou com isso e seria hora de cobrar na Justi√ßa, afinal, sindicato √© para isso e os advogados est√£o a√≠, querendo trabalhar.

√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā¬†- Ser√° quem que levou essa bolada?

Falsidades 1000

Se h√° um territ√≥rio mais ‚Äúfake‚ÄĚ que as postagens ali inseridas, esse √© o Facebook. O(a) sujeito(a) √© feio que nem as capivaras mais leg√≠timas de Pocon√© e muitos colocam ali ‚Äúlinda‚ÄĚ, ‚Äúlindo‚ÄĚ. Ainda que seja por uma quest√£o de cortesia, n√£o √© bem assim que funciona ou que √© na realidade. Sejamos mais reais e digamos aquilo que √© necess√°rio, o tradicional ‚Äúparab√©ns a voc√™‚ÄĚ e acabou. Isso √© mais ‚Äúfake‚ÄĚ que abra√ßo de pol√≠tico em pol√≠tico advers√°rio. Na rede social, ao menos no ‚ÄúFace‚ÄĚ, a vida √© a de um lugar perfeito e um territ√≥rio bastante frequentado por pessoas imortais e f√≠sica, mental e corporalmente acima da perfei√ß√£o.

- No ‚ÄúFace‚ÄĚ, √© onde tem corimba no almo√ßo, mas o arroto √© puro salm√£o. Nem Freud explica essa ‚Äúp√īrra loka‚ÄĚ.

‚ÄúTarrafada‚ÄĚ

Que dois e dois s√£o quatro, at√© quem nasceu ontem sabe. E tamb√©m n√£o √© dif√≠cil imaginar quando vai acontecer √° primeira ‚Äútarrafada‚ÄĚ no governo para elimina√ß√£o de excedentes. A m√°quina fatalmente vai inchar e at√© hoje tem gente buscando emprego, alguns, sem ter disponibilidade de tempo, s√≥ o emprego interessa. Mas seria necess√°rio dizer ‚Äútrabalho‚ÄĚ ou ‚Äúaqui se trabalha‚ÄĚ. E quando o dia dessa primeira tarrafada chegar, a paci√™ncia nas redes sociais vai acabar. Falamos de Nobres, √© claro.

- Ocioso dizer que tarrafa aberta no rio n√£o escolhe peixe, mesmo o dourado vai... digamos, sai.

Chuvas/Avenida

As obras de infraestrutura tur√≠stica na √°rea central da cidade de Nobres est√£o bastante comprometidas e s√≥ pioram com as chuvas intermitentes. Chovendo e sem dinheiro, supostamente, a qualidade do pavimento n√£o √© das melhores. Mas, ser√° que o Governo do Estado vai checar isso da√≠? O dinheiro √© do Minist√©rio do Turismo e do jeito que o Minist√©rio P√ļblico Federal anda, √© bom exigir uma recupera√ß√£o de qualidade no pavimento.

- √Č o dinheiro do contribuinte que deteriora.

Em Risco

Se as pessoas soubessem o quanto √© dif√≠cil e custa caro ao pa√≠s e aos contribuintes, n√£o estariam fazendo racha ou andando de moto em alta velocidade, deitado sobre o banco do ve√≠culo. No domingo (12/02), por volta das 17:00 horas, quatro desses motoqueiros faziam gra√ßa na rodovia federal, pr√≥ximo a Ros√°rio Oeste. Provavelmente, pais e m√£es em casa e esses babacas em busca de fortes emo√ß√Ķes e ao mesmo tempo ‚Äėprovidenciando‚Äô adicionais gastos ao contribuinte.

- Livres, leves e soltos, vivendo perigosamente.

Sonho

Uma empresa em Nobres, que garante enormes chances para menores aprendizes, para onde todos sonham em ir trabalhar. Pois bem, quando conseguem o trabalho, pensam em adquirir uma moto, o que √© normal. Mas quando adquirem o ve√≠culo, vem o desejo de empinar, de fazer acrobacias e n√£o pensam nos riscos, principalmente em perder o emprego. Nada que uma boa palestra aos meninos n√£o resolva. Antes que, de empacotadores passem a ‚Äúempacotados‚ÄĚ.

- Bom trabalho, meninos... e como é bom trabalhar. Agradeçam pela oportunidade.

Comércio de Armas

‚ÄúDois homens foram presos em flagrante delito por policiais militares do Batalh√£o de Ronda Ostensiva T√°tica M√≥vel (Rotam), com apoio do 1¬ļ Batalh√£o. Eles estavam sendo monitorados pelo servi√ßo de intelig√™ncia do Rotam h√° alguns dias, diante da informa√ß√£o de que estariam envolvidos em com√©rcio de armas na regi√£o do Porto, em Cuiab√°. A pris√£o ocorreu por volta das 15h, na rua 13 de Junho. Conforme o oficial de plant√£o do Rotam, tenente Jo√£o Batista de Almeida Dorileo Junior, no momento da abordagem a dupla tentou fugir em uma picape Strada, quando bateu o ve√≠culo, ainda na rua 13 de Junho. Com isso, um foi pego e outro chegou a invadir uma rede de lojas situada na regi√£o, mas tamb√©m foi detido em flagrante‚ÄĚ.

- Informou a assessoria da PM-MT.

Fechando o Balaio

Pode até demorar mais alguns dias ou pode ser apenas uma questão de horas ou sabe-se lá, quando, mas o prefeito Leocir Hanel, de Nobres, vai ter que dar um basta no muito falar de algumas pessoas. Tem gente falando demais e o perigo serão as respostas positivas que podem ser de menos ou demoradas. Durante a campanha política, quando se deveria falar, rebater ou reagir, pouco se falou, só que agora, o muito falar pode atrapalhar.

- √Č s√≥ uma quest√£o de bom senso, j√° que a autoridade maior, tanto hier√°rquica, administrativa quanto pol√≠tica, √© do prefeito.

Fechando o Balaio

Pode até demorar mais alguns dias ou pode ser apenas uma questão de horas ou sabe-se lá, quando, mas o prefeito Leocir Hanel, de Nobres, vai ter que dar um basta no muito falar de algumas pessoas. Tem gente falando demais e o perigo serão as respostas positivas que podem ser de menos ou demoradas. Durante a campanha política, quando se deveria falar, rebater ou reagir, pouco se falou, só que agora, o muito falar pode atrapalhar.

- √Č s√≥ uma quest√£o de bom senso, j√° que a autoridade maior, tanto hier√°rquica, administrativa quanto pol√≠tica, √© do prefeito.

Fechando o Balaio II

Não é de se acreditar que o prefeito Leocir Hanel, a partir das alianças políticas de campanha, autorize alguém a rufar o pau nos seus aliados políticos. O período ainda é de construção de um projeto de governo que verdadeiramente saia do papel e que contemple o município como um todo, sendo necessário o aproveitamento da credibilidade, que não dura para sempre e não é imutável o humor dos cidadãos.

- Como diria o inimit√°vel Roberto Carlos, o momento est√° para o c√īncavo e o convexo...com a forma ideal e uma coincid√™ncia total... a cren√ßa no que pode ser feito.

Acomodamento

O PSD, que fechou quest√£o em torno do ent√£o candidato Leocir Hanel, elegeu tr√™s vereadores e a vice prefeita, tendo o atual presidente da C√Ęmara de Vereadores; √© presidido pelo ex-prefeito Gilmarzinho da Ecoplan, um dos articuladores da elei√ß√£o do atual prefeito, n√£o √© poss√≠vel que tenha uma avalia√ß√£o t√£o negativa assim. O PSD se nos parece em posi√ß√£o c√īmoda com as suas pe√ßas no governo e aparentemente alheio ao que acontece ao redor.

- E a unidade política?

Liderança

De alguma forma, e o passado confirma isso, o presidente municipal do PSD, Gilmarzinho da Ecoplan, √© um dos pol√≠ticos mais influentes dos √ļltimos anos em Nobres, raz√£o porque angariou simpatia e, n√£o raro, algumas antipatias. Mas ainda √© detentor de consider√°vel prest√≠gio pol√≠tico e n√£o h√° raz√£o para que seja alvo de compara√ß√Ķes equivocadas por parte de quem n√£o conhece bem o munic√≠pio de Nobres. Parece que Gilmarzinho da Ecoplan n√£o est√° alheio a isso.

- Obviamente, o prefeito Leocir pode (e deve) evitar que falem em seu nome ou em nome do governo.

Construção, Sim

Politicamente falando, o atual governo municipal de Nobres j√° tem uma cota consider√°vel de inimigos, dentro e fora do governo; e o momento √© de reconcilia√ß√£o, visando √† constru√ß√£o de um caminho de solu√ß√Ķes. Se um ou outro, isoladamente, se propor a buscar p√™lo em ovo ou se dar ao trabalho de jogar ao ch√£o o Jarro de Pandora, a ‚Äúesperan√ßa‚ÄĚ de uma alian√ßa de sucesso ficar√° √† merc√™ da sorte.

- Não é bom gargarejar com pedra hume?

Limpeza

O setor de intelig√™ncia dos organismos da Seguran√ßa P√ļblica de MT precisam dar uma olhada mais de perto em Nobres. Vez por outra some uma carreta e agora, est√£o dando para dar ‚Äúbaculejo‚ÄĚ em lanchonetes e at√© na rodovi√°ria. A marginalidade est√° dando as cartas e jogando de m√£o... algu√©m precisa levar essa galera para os costumes e at√© para tocar piano e causar uma boa impress√£o.

- Cabeça vazia... oficina do diabo.

Limpeza II

No Residencial Jardim das Palmeiras, est√£o roubando os equipamentos da ilumina√ß√£o p√ļblica por completo, com bra√ßadeira, capacete, l√Ęmpada e tudo. Como parte do material √© de alum√≠nio, quem faz a recepta√ß√£o desse material? T√° dif√≠cil, nem a ilumina√ß√£o p√ļblica t√° fora da lista dos itens que a malandragem ‚Äúgosta‚ÄĚ. E tem mais, com as ruas escuras, tudo fica facilitado.

- Diziam os mais velhos que antigamente a bala chegava antes da voz de pris√£o. Se tinham poucos malandros, n√£o disseram.

Bangu Reforçado

Antigamente, tamb√©m diziam que s√≥ pobre ia para a cadeia. Agora, roubar apetrechos da ilumina√ß√£o p√ļblica... d√° nada n√£o. E para n√£o dizer sobre as flores, o Bangu acaba de contratar Eike Batista, e j√° tinha S√©rgio Cabral como um grande atacante (dos cofres p√ļblicos). Realmente, Bangu est√° com um tima√ßo.

- Tem gente l√° batendo um bol√£o, batendo de efeito... de tr√™s dedos, sem riscar a tornozeleira.√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā¬†

Infraestrutura Turística

As obras de infraestrutura tur√≠stica que j√° deveriam estar conclu√≠das est√£o abandonadas ou a espera do per√≠odo chuvoso passar, sob risco de prejudicar ainda mais o que j√° est√° prejudicado. Tudo bem que esteja chovendo √† c√Ęntaros, como diz o poeta, mas do jeito que foi deixado, s√≥ poderia piorar. √Č como dizem alguns pol√≠ticos e outros economistas, nada √© t√£o ruim que n√£o possa piorar.

- O que mal começa... demora para terminar e não termina bem. Quem sabe?

Cheiro Bom

Durante uma visita de cortesia a uma das Unidades B√°sicas de Sa√ļde, percebeu-se um cheiro de algo assado que mais parecia bolo. Realmente, pra se fazer sa√ļde √© preciso muita energia... e muito g√°s. No futebol, o bom batedor de p√™nalti n√£o avisa o canto e √© assim que pega o goleiro no contrap√©.

- Tchique, no √ļrtimo.

Recondução

Para a insatisfação de alguns poucos, que torciam contra o governo, o prefeito Leocir Hanel anunciou que Acendino Mendes voltará a exercer a Sub Prefeitura de Nobres e com mais poder de decisão nos assuntos da zona rural. De acordo com o prefeito, isso se deve ao trabalho que realizou na gestão anterior, fato que credencia Acendino ao exercício de um trabalho que não é fácil.

- Isso é como um gol de placa, a ser comemorado em frente à torcida adversária.

Recondução II

O prefeito Leocir Hanel disse que havia uma exig√™ncia de boa parte da comunidade rural pela perman√™ncia de Acendino na Sub Prefeitura. Com esse e com o aval do prefeito, Acendino volta com for√ßa total e os trabalhos devem ser intensificados daqui pra frente, respeitando-se, √© claro, as condi√ß√Ķes clim√°ticas.

- E o quanto pior melhor... bem, n√£o foi desta vez.

Ponto de Observação

Pensando bem e de um ponto de observação bastante favorável, o que vem por aí será determinante para a permanência de muitos secretários no cargo. Seis meses é um tempo razoável para que o prefeito saiba quem é quem. Reconhecidamente, radialista é uma profissão apropriada para o muito falar e não se tem conhecimento de nenhum radialista mudo. Já em outras áreas, pegar no chifre do boi... e derrubá-lo, é uma exigência considerada natural. Mas, pra que pressa.

- E dizem que o prefeito tem o olhar de √°guia e o faro apurado com rela√ß√£o ao ingl√™s conhecido como ‚Äúenrolation‚ÄĚ.

Ponto de Observação II

√Č como dizia o soci√≥logo de botequim: ‚Äúemprego √© diferente de trabalho‚ÄĚ e n√£o precisa ser nenhum Karl Marx para se chegar √† conclus√£o de que nem sempre √© poss√≠vel usar a ideologia para mascarar a realidade: ‚Äúou se faz ou n√£o se faz... como o papagaio, agora de modo mais trivial e pecaminoso... ou d√° ou desce‚ÄĚ. Nada de promessas e muitas a√ß√Ķes, o que vai aparecer no relat√≥rio de atividades mensais propostas pelo chefe do Executivo ser√° o resultado da realidade, ficando a ideologia para o campo virtual.

- Bem em não sendo i e nem j... um pingo é letra. E... com cinco ou seis retas, é fácil fazer um castelo.

Ponto de Observação III

Ainda tem gente criando encrenca e trabalhando na desestabiliza√ß√£o da administra√ß√£o municipal e tamb√©m do sindicato da classe. Outubro ficou no ano passado e as elei√ß√Ķes municipais ‚Äúj√° elvis...‚ÄĚ, o que seria tempo para balsamizar as feridas com rela√ß√£o as escolhas feitas. Salvo se houver ‚Äúcasos omissos‚ÄĚ e que fugiriam do entendimento de muitos, mas j√° √© tempo de acabar com essa ‚Äúaporrinha√ß√£o‚ÄĚ eletiva. √Č dor de barriga de efeito retardado. √Č em Nobres isso da√≠.

- Desocupando a moita...

Por Aí...

Vi por a√≠, numa ficha qualquer, a anota√ß√£o feita por um motorista, assim do tipo: ‚Äúispen√ß√£o‚ÄĚ. Vai que seja um dialeto tribal de qualquer pa√≠s desse mundo globalizado, a√≠ foi s√≥ ver e deixar como est√°. Mas, ser√° que seria ‚Äúinspe√ß√£o‚ÄĚ, ponho a me perguntar. √Č como dizia a saudosa professora ‚ÄúNan√°‚ÄĚ, da escolinha da avenida General Mello, em Cuiab√°: ‚Äúescreveu e n√£o leu... o pau comeu‚ÄĚ. Saudades do tempo em que uma professora caminhava para o fundo da sala, fingindo n√£o ver nada... e de l√° arremessava aquele apagador, tal e qual um pombo sem asas.

- De sorte que aprendi muito com a literatura de cordel, vendo e conhecendo as travessuras de Pedro Malazarte.

Em Família I

A Delegacia Especializada de Repress√£o a Roubos e Furtos de Ve√≠culos Automotores (Derrfva) prendeu em flagrante uma mulher por recepta√ß√£o, adultera√ß√£o, associa√ß√£o criminosa e tr√°fico de drogas em Cuiab√°. A detida agia em conjunto com seu companheiro, um recuperando da Penitenci√°ria Central do Estado (PCE). Nat√°lia Cristina Xavier da Mota e Albuquerque foi presa na noite de ter√ßa-feira (17.01) no bairro Santa Laura, em Cuiab√°. A a√ß√£o realizada pelos policiais civis da unidade especializada apurava den√ļncia an√īnima informando que em sua resid√™ncia funcionaria um ponto de recepta√ß√£o de ve√≠culos furtados e roubados.

- A informação é da assessoria da PJC.

Em Família II

No quintal da resid√™ncia foi encontrado um ve√≠culo VW/Fox, cor branca, proveniente de roubo realizado no mesmo dia. Dentro da casa foram localizadas por√ß√Ķes de subst√Ęncia an√°loga √† coca√≠na (cerca de 250 gramas), al√©m de apetrechos utilizados para a prepara√ß√£o da droga, como √°cido b√≥rico, √©ter e balan√ßa de precis√£o. Aos policiais Nat√°lia disse saber a origem il√≠cita dos ve√≠culos, que a resid√™ncia foi alugada com o prop√≥sito de ocult√°-los at√© serem retirados por comparsas de seu convivente o reeducando, L.M.S., que era quem tamb√©m determinava a destina√ß√£o de por√ß√Ķes de drogas, a serem entregues por um moto-taxista.

- Entrega no domicílio, que bacana. Fora de combate a galera.

Agindo

Com um n√ļmero expressivo de quase 3 mil inqu√©ritos policiais instaurados em 2016, a Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cuiab√° encerrou o ano com 1.555 medidas protetivas da Lei Maria da Penha (11.340/06) encaminhadas √†s Varas Especializadas de Viol√™ncia Dom√©stica e Familiar.

- A violência continua em alta. A informação é da assessoria da PJC.

Agindo II

No mesmo ano, n√£o houve registro de feminic√≠dio na Capital. Os casos de viol√™ncia sexual (estupro, ass√©dio sexual, etc.) contra v√≠timas maiores de 18 anos s√£o investigados pela Delegacia Especializada, mas necessitam de representa√ß√£o da mulher para a abertura do procedimento, em raz√£o de se tratar de a√ß√£o penal p√ļblica condicionada, nos casos em que n√£o resultam em les√Ķes corporais graves. Em todo o ano de 2016, foram 77 casos de viol√™ncia sexual investigados pela Delegacia, referentes a crimes ocorridos na Capital. Muitos dos autores foram identificados e presos por mandados de pris√£o, requisitados nos inqu√©ritos policiais.

- O inimigo mora junto de você.

Caminho Aberto

O presidente da C√Ęmara Municipal de Nobres, Adelian Messias, jovem ainda, eleito em 1.¬ļ de janeiro de 2017, tem a miss√£o de mudar a vis√£o do Legislativo, buscando a aproxima√ß√£o com a comunidade que representa, fazendo com que o Parlamento saia da redoma de vidro e se popularize. Isso n√£o ocorrer√°, obviamente, com o clientelismo pol√≠tico, mas com boas pr√°ticas e uma equipe de trabalho coesa, de modo que a institui√ß√£o esteja acima, muito acima dos interesses individuais.

- O que bem começa, bem termina.

Franqueza

Tudo indica que a secret√°ria municipal de Sa√ļde de Nobres, Aparecida Crestiani da Costa Souza, tem solu√ß√Ķes plaus√≠veis e √© aberta ao di√°logo. √Č de se esperar que corrija as inflex√Ķes existentes no setor, onde deseja implantar uma gest√£o democr√°tica e de resultados. Tudo come√ßa pela confian√ßa entre comandante e comandado, segundo ela, estabelecendo assim um elo que s√≥ se romper√° quando se registrar quebra de confian√ßa.

- Pensando por esse lado, a seta aponta para um bom caminho a seguir. Mas que seja de médio prazo e com a aplicação de um antídoto contra o negativismo.

Pressão & Pilhérias

Determinadas pessoas em um certo grupo na rede social parece que n√£o sabe que a elei√ß√£o acabou e que n√£o h√° interesse em promover ‚Äúca√ßa √†s bruxas‚ÄĚ, mas continuam com os p√©s e a cabe√ßa na campanha, ainda. Citam o prefeito Leocir Hanel como ‚Äúo aposentado‚ÄĚ e h√° quem diga que compromissos est√£o sendo descumpridos. A n√£o ser que o prefeito crie 4.497 coordenadorias para atender toda a demanda de votantes.

- T√° ficando esquisito.

Fritura?

As decis√Ķes tomadas pela equipe de governo do prefeito Leocir ter√£o que ser tomadas de forma dura, evitando que um ou outro secret√°rio passe por um processo de fritura. E para n√£o dizer que n√£o falamos das flores, os descontentamentos podem ser pontuais, mas h√° muito mais pessoas interessadas na desestabiliza√ß√£o que nos avan√ßos. √Č preciso construir uma base s√≥lida para que a nova realidade seja palp√°vel. A secret√°ria de Sa√ļde ter√° que estar bem estruturada e com os p√©s no ch√£o.

- Um processo de desconstrução nunca é descartado. O mal da xenofobia ainda persiste e não há vacina contra isso.

Tróia City

O prefeito Jo√£o Balbino ter√° que contar com uma base pol√≠tica s√≥lida, sob risco de n√£o concluir o segundo mandato por inteiro. √Č apenas uma premoni√ß√£o diante das circunst√Ęncias que podem se apresentar e dormir com um olho aberto e outro fechado nunca √© demais, principalmente para quem teve uma gest√£o claudicante no primeiro mandato. Vai que conseguem enviar-lhe um cavalo de pau para a porta do governo. Vai que em Ros√°rio Oeste tenha um Odisseu e Menelau seja ultrajado.

- Fábulas reais? O que é isso? Menos mal que RO não seja Tróia.

Clima Tenso em RO

Se algu√©m disser que elei√ß√£o de Mesa Diretora seja reuni√£o de franciscanos, ningu√©m vai acreditar. Pudera! Seria surreal. Em Ros√°rio Oeste, repercute mal um certo ‚Äúbal√£o‚ÄĚ que teria tomado o presidente eleito, Benvino Pereira. Um aliado seu foi parar na oposi√ß√£o e ele teve que ‚Äúpescar‚ÄĚ algu√©m do lado de l√° para recompor o seu time. E n√£o √© que deu certo.

- Ser√° que o ‚Äúbal√£o‚ÄĚ pegou bem?

Clima Tenso em ROO II

Com o peixe no jac√°, ele escapou e a necessidade de ‚Äúfisgar‚ÄĚ outro peixe, fez com que o candidato Benvino Pereira passasse da hora de dormir. E depois que fisgou o ‚Äėpeixe substituto‚Äô, teve que ouvir poucas e boas. Isso cheira a fabrica√ß√£o da bomba at√īmica, cuja hist√≥ria conta que algu√©m mudou de lado... o alem√£o pulou do barco com a f√≥rmula e o jogo virou. Olha, o peixe mais vistoso na fauna ictiol√≥gica da pol√≠tica tem todas as caracter√≠sticas... e trejeitos da tra√≠ra.

- Isso ainda vai longe... mas e o prestígio de quem foi e de quem veio? Sujo aqui e limpo lá... e vice versa.

Clima Tenso em NBS

Em Nobres, n√£o foi diferente, com muita tens√£o no p√≥s-elei√ß√£o. Mas, teoricamente, tudo voltou ao normal. √Č como caminhar por uma mata onde h√° muita ‚Äúunha de gato‚ÄĚ (planta espinhosa), n√£o h√° como n√£o se arranhar. Mas o discurso em prol da unidade em torno de um bem comum foi em un√≠ssono. Vamos ver.

- √Č acreditar.

Majoração?

Como n√£o h√° car√™ncia para isso, o hospital conveniado j√° pensa em majorar os pre√ßos dos produtos que oferece ao munic√≠pio de Nobres. A equipe de governo nem est√° formada direito e n√£o se tomou p√© da situa√ß√£o e j√° vem planilha de custos e avalia√ß√£o para majora√ß√£o. Em tempos de economia em recess√£o, aumentar pre√ßos √© sempre um caso a pensar. A administra√ß√£o municipal, se pensa em implantar uma nova filosofia ou adotar uma nova realidade, vai ter que pensar muito em certas concess√Ķes.

- O desgaste agora tem menor peso e a repercuss√£o... idem.

Hora de Parceria

O discurso mais √≥bvio √© aquele em que o vereador diz que s√≥ estar√° do lado do governo se for para o interesse coletivo. Dois e dois s√£o quatro... da mesma forma, ainda n√£o se viu prefeito nenhum buscar aprova√ß√£o de mat√©ria com registro de rasteira popular. O momento √© oportuno para que a C√Ęmara Municipal de Nobres esteja do lado do governo no que se refere a majora√ß√£o de pre√ßos nos servi√ßos hospitalares e tamb√©m no aumento de duod√©cimo ao Parlamento. S√≥ a√≠, j√° ser√£o duas demonstra√ß√Ķes de firmeza de ambas as partes.

- Os desafios só estão começando.

Nota Dissonante

As obras de infraestrutura tur√≠stica est√£o demoradas e a qualidade vai precisar ser acompanhada pela Secid. Os recursos s√£o de origem federal (Minist√©rio do Turismo), mas o governador Pedro Taques costuma dizer que n√£o bate o carimbo sobre obra ‚Äúmeia boca‚ÄĚ. Trechos que est√£o conclu√≠dos apresentam pavimento em situa√ß√£o de fal√™ncia, bem antes da entrega. Falhas est√£o localizadas √† av. Marechal Rondon, que est√° sem meio-fio e guia de sarjeta.

- Est√° ‚Äúmeia boca‚ÄĚ e vai precisar ser vista e revista.

Risco Previsível

No domingo (25/16), por volta das 17:00 horas, um ve√≠culo modelo Gol, cor prata, placas final 72, ‚Äúbailava‚ÄĚ entre as faixas lateral e central da pista, por vezes, ‚Äúcomendo faixa‚ÄĚ, segundo a linguagem dos motoristas. Era uma tarde chuvosa e esse ‚Äúbal√©‚ÄĚ era realizado a mais ou menos 110 kms/hora. Presume-se que o ve√≠culo tenha sa√≠do de alguma localidade em dire√ß√£o a cidade de Ros√°rio Oeste, com a converg√™ncia tendo sido feita a direita, na av. Castelo Branco, logo ap√≥s um posto de atendimento do Bradesco.

- Quando há precaução, ainda assim as coisas fogem do controle... e nesse caso? Com esposa junto?

Praça da Manga

Ao menos ontem (22/12/16), a Pra√ßa Manoel Loureiro, centro velho de Ros√°rio Oeste, poderia receber a denomina√ß√£o da Pra√ßa da Manga. S√£o tantas ca√≠das dos diversos p√©s e espalhadas por toda a pra√ßa. Tem gente que acha desnecess√°ria a limpeza da pra√ßa, mas h√° outros que acreditam que um escorreg√£o pode ser fatal para uma pessoa distra√≠da. Fim de ano e sabe como √©... o ritmo j√° √© de Natal e a limpeza p√ļblica n√£o tem dado conta.

- A temporada das mangas esbarra na temporada do ano que est√° acabando.

Praça da Manga II

Nada contra as frutas, mas o rosariense que vem de longe e est√° fora da cidade h√° algum tempo, ao se deparar com o visual da Pra√ßa Manoel Loureiro, pode estranhar muito. Uma opera√ß√£o limpeza seria como a tarefa de enxugar gelo, mas o ac√ļmulo de mangas tamb√©m n√£o √© recomend√°vel, mr. John.

- Chupar manga, ninguém quer; mas um convite para uma caipirinha encontraria muitos adeptos.

Previs√Ķes Otimistas

Corre um boato aqui donde eu moro... que muita coisa boa pode acontecer na √°rea da sa√ļde p√ļblica a partir de 2017 em Nobres. A rela√ß√£o conturbada entre o p√ļblico e o privado tenderia a mudar com a chegada de algumas novas op√ß√Ķes de atendimento. S√£o vagas as informa√ß√Ķes, mas as esperan√ßas s√£o bastante razo√°veis e a futura secret√°ria de Sa√ļde consta que reuniria cacife para reescrever cap√≠tulos novos para o setor.

- Ainda há esperança e nela (a esperança) apostamos as fichas que nos restam.

Rumo Certo

Quem viu a rua Miranda em 2010, com o Centro Comunit√°rio se tornando uma central da ‚Äún√≥ia‚ÄĚ, hoje v√™ as transforma√ß√Ķes acontecendo e algumas vi√ļvas da administra√ß√£o anterior (2009/2012) fingem n√£o ver. Centro de Cidadania, Capela Mortu√°ria e, futuramente, a feira municipal prevista para ser instalada em frente ao Centro de Cidadania, √† Rua Miranda, esquina com a Rua Vereador Pedro Nolasco, demonstram que a presen√ßa do poder p√ļblico tem o poder de fazer a marginalidade buscar outros endere√ßos.

- Uma m√°quina p√ļblica andando √© bem melhor que aquela ‚Äúsucata‚ÄĚ abandonada deixada em 31 de dezembro de 2012. As ‚Äúcarpideiras‚ÄĚ n√£o entendem assim... fazer o qu√™?

Rumo Certo II

A continuar imprimindo esse ritmo ali na Rua Miranda, com a presen√ßa forte do setor p√ļblico naquelas bandas, tudo o mais deve melhorar. A creche existente nas proximidades tamb√©m j√° mudou o panorama ali no bairro Ponte de Ferro, outrora, com lagoas utilizadas por oleiros. As ‚Äúvi√ļvas‚ÄĚ que insistem nas lembran√ßas de uma gest√£o que deixou rombos nas contas p√ļblicas n√£o veem com bons olhos as melhorias... se veem, fingem n√£o ver.

- Buuuu√°√°√°√°√°√°...

Fiscalização

Realmente, a pista asf√°ltica na avenida Marechal Rondon, na avenida Arcizo Zeni e na Get√ļlio Vargas, as proximidades do cemit√©rio, est√° linda de ‚Äúmorrer‚ÄĚ, com o pavimento descolando da base e muitas ondula√ß√Ķes nas proximidades da Pra√ßa da Matriz. O respons√°vel t√©cnico da Secid precisa vir at√© Nobres e anotar como andam as obras. O meio fio parou e as transversais que d√£o acesso a pista da Marechal Rondon est√£o de ‚Äúcagar‚ÄĚ.

- O pessoal da empresa j√° deu adeus ao ano de 2016. Notifications neles.

Partindooooo...

O atual deputado estadual Zé Domingos (PSD) está de malas prontas e deve ir para o TCE-MT., mas, enquanto isso não ocorre, estaria acomodando o seu pessoal, que vai ficar de fora dessa nova casa. Para Nobres viria um ou mais dentre os listados da equipe do parlamentar que vai virar conselheiro.

- √Č tempo de arruma√ß√£o.

‚ÄúImportados‚ÄĚ

Por volta de 1989 at√© 1990, o ent√£o prefeito Am√©lio Dalmolin manteve uma equipe caseira de auxiliares de seu governo. A partir de 1991 mudou a equipe com muitos ‚Äúimportados‚ÄĚ assumindo posi√ß√Ķes de comando, mas n√£o resolveu muito e o ent√£o prefeito conviveu com atropelos do vice, querendo assumir o seu lugar.

- Bem, isso já faz mais de duas décadas.

‚ÄúImportados‚ÄĚ II

Os mais c√©ticos j√° come√ßam a se preocupar com a ‚Äúimporta√ß√£o‚ÄĚ de nomes para compor o secretariado do futuro prefeito Leocir Hanel. Muito antes de algu√©m assumir, j√° h√° uma preocupa√ß√£o com esse fato, com bastante notoriedade para caso de pol√≠tico derrotado l√° fora que tenta acomodar pessoas por aqui.

- Vamos ver o que acontece daqui at√© o an√ļncio da equipe de governo.

‚ÄúImportados‚ÄĚ III

O ent√£o prefeito Jos√© Carlos da Silva, na √Ęnsia de se afastar da inc√īmoda (pra ele) presen√ßa de Gilmarzinho da Ecoplan, a partir de 2011 trocou o secretariado e partiu para reelei√ß√£o. Tomou uma das maiores goleadas em termos de votos de toda a hist√≥ria pol√≠tica de Nobres. E n√£o √© que ele ressuscitou, agora, em 2016, na condi√ß√£o de advers√°rio, subindo no palanque e esculachando. Da letargia pol√≠tica ao estrelato, feito celebridade instant√Ęnea.

- Mais uma da alf√Ęndega...

Lava Jato

A Odebrecht se esmerou at√© nos apelidos e muito al√©m do propinoduto, colocando apelidos surreais nos benefici√°rios do esquema. A alcunha do deputado federal Her√°clito Fortes (PSB/PI) √© de uma apropria√ß√£o inimit√°vel, conhecido como o ‚ÄúBoca Mole‚ÄĚ pelos pagadores da empreiteira, conforme a dela√ß√£o premiada vazada ao mundo na sexta-feira (09/12).

- Tão a calhar assim... impossível.

Lava Jato II

O sisudo ex-governador carioca Wellington Moreira Franco, atual ministro de Temer, recebeu a alcunha de ‚ÄúAngor√°‚ÄĚ pelo esquema da Lava Jato, provavelmente pelos cabelos e a cor da pele, avermelhada. √Č mais um do PMDB a integrar a lista dos patrocinados pela Odebrecht, conforme o vazamento da dela√ß√£o premiada.

- O cara gosta de uns ‚Äúmiau, miau...‚ÄĚ na conta banc√°ria.

Lava Jato III

O ex-cara pintada e exemplo de moralismo, ex-prefeito de Niter√≥i e ex- l√≠der estudantil Lindberg Farias (PT) foi denominado de ‚ÄúO Feio‚ÄĚ na dela√ß√£o da Lava Jato como um dos propineiros do esquema. Na pol√≠tica, conforme j√° se ouviu dizer, as reputa√ß√Ķes n√£o caem, s√£o penduradas no arm√°rio e de l√° saem conforme a conveni√™ncia.

- Isso é feio, mesmo.

Chance Zero

Com o financiamento de campanha pelas empreiteiras, as chances de um pobre se eleger deputado federal ou senador s√£o quase nulas. O esquema √© pesado e n√£o h√° pobreza franciscana que quebre esse paradigma nos estados e munic√≠pios. Basta levantar os gastos com campanha da maioria absoluta dos deputados estaduais mato-grossenses com mandato para se chegar ao entendimento que ideias, ideais, boa vontade e igualdade de condi√ß√Ķes na disputa s√£o coisas d‚Äôoutro mundo.

- Pobres ricas campanhas políticas.

Fatos Pitorescos

Em 1982, com pouco mais de duas d√©cadas de vida, vimos o Brasil cair diante da It√°lia na Copa do Mundo da Espanha, por 3 a 2, mesmo apresentando um futebol m√°gico, perdemos. A√≠ veio aquela hist√≥ria: ‚Äúo jogo vai ser anulado, Paulo Rossi estava impedido‚ÄĚ. Agora, um pouco mais maduro, em 2016, vemos outra hist√≥ria semelhante, a de que o pleito eleitoral pode ter outro desfecho que n√£o seja o resultado das urnas por conta de um sal√£o de uma igreja evang√©lica.

- Se o estado √© laico... houve um tempo em que muitos foram expulsos do templo, onde vendiam de um tudo, inclusive ilus√Ķes. Pra meditar.

Fatos Pitorescos II

Pode um pr√©dio alugado a um terceiro pleitear isen√ß√£o de IPTU s√≥ porque √© uma igreja? Pode terreno p√ļblico ser doado √† igreja? Podem os fi√©is escolher os seus governantes? Para ser candidato algu√©m tem que abdicar da sua tradi√ß√£o religiosa? Qualquer que seja a resposta √© importante lembrar que mal come√ßou a campanha em Nobres e a cidade foi tomada de despachos de macumba. N√£o √© proibido, mas √© cultura em Nobres? Pode o macumbeiro exercitar o seu costume nas encruzilhadas, de dia, √† vista de todos? Macumba ganha elei√ß√£o? Tira time do rebaixamento? Muda cabe√ßa de magistrado?

- Meditemos sobre tais questionamentos.

Desconforto

Tudo indica que Leocir Hanel será diplomado dia 09, em Rosário Oeste, junto com os prefeitos dos municípios que integram a 3.ª Zona Eleitoral (Jangada, Rosário Oeste e Nobres). Mas o que vem de bronca por aí na questão dos acomodamentos políticos, isto não será fácil. O que tem de gente avocando para si os louros da vitória, isso, de per si, representa uma dor de cabeça a mais.

- Teve até gente que fez campanha por telepatia.

Desconforto II

A Secretaria de Sa√ļde traz em seu contexto um problema futuro que n√£o ser√° agrad√°vel. O mexer nas pe√ßas do xadrez apontariam para uma poss√≠vel ida do vereador Adelian Messias para aquela pasta, segundo conjecturam alguns, abrindo caminho para Joel J√ļnior no Parlamento. De outra parte, j√° teria uma secret√°ria de Sa√ļde apontada pelo senador Cidinho. Tem-se num suposto bloco a forma de ver pelo aspecto bairrista da quest√£o.

- Dessas dores de cabeça só não tem quem não é prefeito.

Desconforto III

Quanto maior o exército, maiores serão as chances de uma rebelião ou desgosto que, fatalmente, ocorrerá. Agradar a tantos seria como conspirar contra a própria Lei da Física quando se diz que não há lugar para dois corpos num mesmo espaço. Como não há dois secretários em uma mesma pasta e nem dois adjuntos em uma mesma pasta; também não haverá coordenadorias para tantos. Os insatisfeitos serão os amotinados ou rebelados de depois de amanhã.

- Foi quarenta? N√£o! Outros dir√£o: ‚Äúantes sesse... fosse ou coisa parecida‚ÄĚ. Quer ver e ouvir isso? Fique bem vivo.

Pane Seca

A administração do prefeito João Balbino, de Rosário Oeste, mais parece que está próximo de uma pane seca e já vai jogando as bagagens pelos ares ao demitir uma galera para fazer face à Lei de Responsabilidade Fiscal. E olha que tem gente que trabalhou na campanha, deu, supostamente, dinheiro e ainda trabalhou como cabo eleitoral, mas não foi poupada. Não é justo brincar com coisa séria, mas isso está parecendo empresa aérea boliviana.

- Menos peso, mais um poquito de autonomia de voo.

Entre Outras

A reelei√ß√£o do prefeito Jo√£o Balbino pode trazer s√©rios problemas para a sua futura gest√£o e em consequ√™ncia para Ros√°rio Oeste e come√ßa pelo desgaste de ter se utilizado de servidores que exercem cargos de confian√ßa na campanha, inclusive com contribui√ß√£o financeira destes. Depois, vem as contas de governo de 2015, reprovadas pelo TCE-MT, o que vai demandar grande habilidade para reverter o quadro junto √† C√Ęmara de Vereadores.

- Bem, o inferno astral está só começando.

Entre Outras II

De acordo com a decis√£o do Pleno do TCE-MT., ‚Äúa decis√£o se deu em face dos gastos com pessoal do Poder Executivo, acima dos limites estabelecidos em lei, √† ocorr√™ncia de d√©ficit or√ßament√°rio no final do exerc√≠cio, √† insufici√™ncia financeira em mais de R$ 7 milh√Ķes, e, ainda, √† n√£o publica√ß√£o do Relat√≥rio Resumido de Execu√ß√£o Or√ßament√°ria e do Relat√≥rio de Gest√£o Fiscal, conforme √© estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).‚ÄĚ. E como a C√Ęmara de Vereadores vai absorver essa quest√£o? Quem vai negociar com os parlamentares? Quais os argumentos ser√£o utilizados?

- Ir √† reelei√ß√£o tem disso, os b√īnus pela vit√≥ria e os √īnus que est√£o chegando... em velocidade galopante.

Entre Outras III

E na decis√£o vem o arremate: ‚ÄúOutro aspecto constatado nas contas diz respeito ao ranking de gest√£o fiscal, em que s√£o avaliados os 141 munic√≠pios mato-grossenses, em que Ros√°rio Oeste ocupou a 124¬™ posi√ß√£o‚ÄĚ. Segundo o relator, "Tal cen√°rio se deve ao fato de que o munic√≠pio tem apresentado, desde 2012, o conceito "D" ‚Äď Gest√£o Cr√≠tica, em raz√£o dos resultados negativos dos indicadores relativos √† Receita Pr√≥pria Tribut√°ria, Despesa com Pessoal, investimento, custo da d√≠vida e resultado or√ßament√°rio do RPPS, sendo, portanto, necess√°rio empreender esfor√ßos no sentido de melhor√°-los".

- Conceito ‚ÄúD‚ÄĚ, indica gest√£o cr√≠tica e a cent√©sima, vig√©sima quarta posi√ß√£o no ranking de gest√£o fiscal. Abaixo disso, s√≥ mais 17 munic√≠pios, o que n√£o √© nada animador.

Entre Outras IV

Uma pesquisa do instituto IKGM mostrava Ros√°rio Oeste bem ranqueado entre outros munic√≠pios. Contrariamente, os dados apresentados pelo TCE-MT derrubam esse ranking e ainda aponta o munic√≠pio na 124¬™ posi√ß√£o em gest√£o fiscal. Um desastre para as pretens√Ķes de uma popula√ß√£o que esperava muito mais de um governo reeleito e com gest√£o fiscal considerada cr√≠tica. Os indicadores n√£o devem mudar em 2017, at√© porque, n√£o h√° milagre fiscal sem a ado√ß√£o de medidas saneadoras e a C√Ęmara de Vereadores tem que se redobrar em fiscaliza√ß√£o quanto aos gastos p√ļblicos a partir de 2017.

- Afinal, renovação nos quadros do Parlamento é pra isso.

Dez(Cuidados) I

A futura secret√°ria municipal de Sa√ļde ter√° que colocar o bloco na rua e atentar para uma quest√£o bastante simples, as √°guas servidas de lavagem de roupa que v√£o parar nas sarjetas. Se h√° notifica√ß√£o para um, logo... essa regra vale para todos. Tem gente que gosta de reclamar, mas n√£o aguenta um ‚Äúround‚ÄĚ fiscalizador em rela√ß√£o ao que faz e ao que deixa de fazer.

- Donde h√° de vir e julgar o pr√≥ximo sem se ater, nem um √ļnico minuto em frente ao espelho.

Dez(Cuidados) II

A quest√£o da fiscaliza√ß√£o sanit√°ria est√° associada a um problema s√©rio de sa√ļde p√ļblica, que vai dos g√™neros aliment√≠cios √† quest√£o do lixo e dos entulhos, das √°guas servidas e outros costumes que integram a quest√£o cultural por aqui. O conjunto da obra precisa de retoques, sobre o qual a nova gest√£o ter√° que se debru√ßar, inclusive sobre cachorros mortos e muitos c√£es a disseminar a leishmaniose. Ali√°s, cresce assustadoramente a nossa popula√ß√£o de c√£es e gatos... n√£o na propor√ß√£o que a popula√ß√£o humana.

- Uma bomba se faz de partículas...

Dez(Cuidados) III

Enquanto a população de cães cresce, o IBGE pode chegar à conclusão que a cada eleição vai embora de Nobres uma leva de pessoas, atestando assim que não temos mais aqueles 15.002 habitantes que deram origem a dois vereadores... um a cada um do excedente de 15.000. Também, a densidade demográfica é medida pelas escolhas na política e se o candidato perde... #partiuvernavios. Nove vereadores para 15.000 habitantes e dois para dois excedentes e minguados habitantes.

- A Matemática é uma ciência exata embora manipulável, mas de resultado comutativo na política.

Dez(Cuidados) IV

√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā¬†O futuro Chefe do Executivo ter√° que analisar fria e calculadamente com quem vai caminhar a partir de 2017. Ser√° dura a caminhada e o di√°logo √† exaust√£o determinante para evitar desgastes... mas h√° muito mais coisas na pol√≠tica que a v√£ filosofia dos apedrejadores possa entender. Mas √© vivendo que se aprende. O secretariado ter√° que apresentar resultados j√° que a press√£o ser√° muito maior em rela√ß√£o ao atual governo.

- Nós estamos em Nobres... sabe como é...

Repercuss√£o Negativa

O aumento dos subsídios do prefeito João Balbino, incluindo verba indenizatória, pegaram mal perante a comunidade de Rosário Oeste. O prefeito receberá, a partir de 2017, ao menos R$ 20.000,00/mês. Os vereadores também aumentaram a própria remuneração, mas a galera está mesmo invocada é com o prefeito.

- Um Natal de muita conversa afiada sobre a melhoria salarial do chefe do Executivo.

Repercuss√£o Negativa II

Tem gente por a√≠ no maior ‚Äúcanhanhaim‚ÄĚ, roubando at√© hospital pra fazer umas ‚Äúmerrecas‚ÄĚ e o prefeito aprova a parceria para subir o pr√≥prio sal√°rio, com cinco mil pilas s√≥ de verba indenizat√≥ria e mais 15 mil pilas de remunera√ß√£o. Isso vai pegar mal ou j√° pegou. E sabe como √© Ros√°rio Oeste, o pessoal gasta o palavreado contra atos tais.

- Mas tá valendo, fazer o quê?

Reeleição

Vejam s√≥... se a igualdade nas elei√ß√Ķes pode ficar comprometida ou n√£o com o caso levantado atrav√©s de um parecer t√©cnico da Justi√ßa Eleitoral que foi submetido ao MPE. O advers√°rio entra na campanha contra a m√°quina p√ļblica e, logo, a isonomia √© comprometida por conta do uso de servidores de cargos de confian√ßa como doadores e ainda como prestadores de servi√ßos como cabos eleitorais. Dupla jornada, investindo na campanha e trabalhando, de gra√ßa, ou pagando para trabalhar para o candidato com a m√°quina nas m√£os, conforme documento visto no conte√ļdo do Processo 37096.

- E o advers√°rio, nada... contra essa correnteza.

Reeleição II

A desigualdade fica ainda mais evidente quando um contratado (sem licita√ß√£o) doa para a campanha ap√≥s abiscoitar um contrato de valor consider√°vel. Depois, um outro contratado direto faz uma outra doa√ß√£o e tamb√©m tem contrata√ß√£o direta pelo munic√≠pio, representando a√≠ uma desigualdade contra a concorr√™ncia. Isso tudo foi levantado e apontado em um parecer t√©cnico conclusivo sobre a presta√ß√£o de contas do candidato a prefeito por Ros√°rio Oeste nas elei√ß√Ķes municipais, o atual prefeito Jo√£o Balbino.

- A decisão virá após análise ministerial eleitoral e sentença judicial eleitoral. Os ingredientes estão à mesa, se serão positivos ou não, o tempo dirá.

Reeleição III

Um leigo e tamb√©m afoito diria que o uso da m√°quina, camufladamente, est√° caracterizado em forma de irregularidade ou ilegalidade. O comentarista de arbitragem, Arnaldo C√©zar Coelho diria que ‚Äúa regra √© clara‚ÄĚ e se foi bola na m√£o ou m√£o na bola, a interpreta√ß√£o vem depois. Muita gente disposta a ajudar na continua√ß√£o do governo ou no continu√≠smo de tudo, j√° o advers√°rio, nada contra essa corrente(za) forte e turbulenta sem os mesmos ‚Äúamigos‚ÄĚ para ajudar.

- Se o parecer t√©cnico conclusivo n√£o for o suficiente, o jeito √© ficar na torcida para que a an√°lise superior seja iluminada e pautada no quesito da igualdade de condi√ß√Ķes.

Reeleição IV

Com a m√°quina p√ļblica nas m√£os, os parceiros s√£o muitos, sempre de olho no queijo e no Mickey. O concorrente de quem est√° com a m√°quina nas m√£os faz o papel do crocodilo nos filmes de Tarzan... entra mesmo √© pra perder. E mesmo quando o crocodilo amea√ßa uma dentada, tem figurante (at√© demais!) para ajudar o mocinho. Se precisar de carro... t√° na m√£o; se precisar de √īnibus... t√° na m√£o; se precisar de dentadura... t√° na boca; se precisar de umas quireras... sai dos bolsos e t√° na m√£o.

- No tradicional ‚Äúthe end‚ÄĚ, o crocodilo termina mesmo √© precisando de um Brasil Sorridente para lhe salvar o visual.

Limpeza

A Rua Corumb√°, trecho que passa em frente √† Escola Estadual ‚ÄúF√°bio Farias‚ÄĚ, precisa de limpeza e melhorias, notadamente, em dias de chuva, quando o tr√°fego fica comprometido por conta de √°gua e o descaso com o lixo atirado ali por alguns moradores menos avisados. Fim de ano, mas aquele trecho precisa realmente de receber melhorias e muita ilumina√ß√£o.

- Todos agradecer√£o.

Futurologia I

T√° mesmo engra√ßado os bastidores do poder por aqui, onde tem gente disputando cargos imagin√°rios na futura gest√£o administrativa. Tem um que fala que n√£o se contentar√° com ‚Äúcarguinho‚ÄĚ (terceiro escal√£o), e at√© j√° escolheu o seu lugar. √Č l√° ou nada. Realmente, est√° dif√≠cil imaginar o tamanho da dificuldade que se ter√° para abrigar aqueles que t√™m os p√©s no ch√£o, tanto quanto os que viajam na maionese.

- A decepção viaja de trem bala.

Futurologia II

O prefeito eleito, Leocir Hanel, nem teve tempo de dimensionar o tamanho da sua vit√≥ria e j√° aparecem aqueles ‚Äúcolaboradores‚ÄĚ que dizem ter feito campanha pela rede, provavelmente, por telepatia... votem no 45, por√©m, todavia, obliquamente, eu sou 40. N√£o falta quem reclame do astro rei, principalmente, por volta das 10:00 horas (s√≥ da manh√£, obviamente!), mas todos desejam um lugar ao Sol quando o trem passar.

- √ďi o trem...

Futurologia II

A vit√≥ria √© feito cora√ß√£o de m√£e ou como um trem na esta√ß√£o, sempre cabendo pessoas, n√£o importando a sua nacionalidade, credo religioso ou cor partid√°ria; se voc√™ votou, se n√£o votou, se trabalhou ou se usou seus dons medi√ļnicos para solicitar apoio pol√≠tico. O trem passou, n√£o importa o seu bilhete e nem a sua proced√™ncia, o importante √© subir naquela esta√ß√£o, em um trem chamado vit√≥ria, conforme est√° no manual pr√≥prio.

- Seria o Trenzinho Caipira, de Villa Lobos? ‚ÄúL√° vai o trem sem destino; Pro dia novo encontrar; Correndo vai pela terra; Vai pela serra...‚ÄĚ.

Partido Força

De acordo com dados divulgados pela m√≠dia estadual, nas elei√ß√Ķes municipais deste ano, foi registrado o crescimento de 36% do PSB em Mato Grosso quando comparado o n√ļmero de prefeitos eleitos em 2016 em detrimento a 2012. S√£o 15 chefes do executivo que assumir√£o seus cargos em 2017, em compara√ß√£o aos 11 do pleito passado. O partido tamb√©m elegeu 137 vereadores no Estado e manteve o mesmo n√ļmero de vereadores em Cuiab√°, tr√™s eleitos com a renova√ß√£o total de seus representantes na c√Ęmara da capital.

- Mas ficou sem a capital, cujo poder político passa para o PMDB.

Partido Força II

O PSB, atrav√©s do deputado federal F√°bio Garcia, declinou da disputa em Cuiab√°, sob a alega√ß√£o de que as empresas de Rob√©rio Garcia (pai de F√°bio) est√£o com problemas em obras paralisadas, o que seria um prato cheio para a oposi√ß√£o. O deputado federal F√°bio Garcia correu longe da disputa e preferiu o conforto da Capital Federal, podendo ser um sinalizador negativo para o futuro, sem os maiores col√©gios eleitorais em MT. Se disputasse em Cuiab√°, Fabinho teria que mostrar o seu ‚Äústaff‚ÄĚ, com a exposi√ß√£o de Chica Nunes para os rufadores de bombo.

- Em Nobres, até hoje, tem gente que reclama do parlamentar.

Partido Força III

Em outra posi√ß√£o apontada pela m√≠dia estadual, o PSD, do vice-governador Carlos F√°varo, mesmo tendo perdido em Rondon√≥polis, Tangar√° da Serra e Sinop, importantes polos no Estado, registrou √ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā¬†crescimento pol√≠tico nas elei√ß√Ķes municipais deste ano. A sigla conseguiu eleger 23 prefeitos, 16 vices e 182 vereadores nas elei√ß√Ķes de outubro. Al√©m disso, o PSD elegeu os vereadores mais votados em Cuiab√° e V√°rzea Grande. S√£o eles Toninho de Souza e J√Ęnio Calistro, respectivamente. E ainda em Nobres, onde Nilso Filho tamb√©m foi o mais votado.

- Então, o PSD continua maior em MT numa correlação com o PSB.

Partido Força IV

Em Nobres, o PSD elegeu três vereadores e o prefeito atual, Gilmarzinho da Ecoplan, não quis ir à reeleição. O PSB terá representatividade no Parlamento com um vereador, o jovem enfermeiro Rogério. Nilson Filho, Adelian Messias e Nem do Açougue pertencem ao PSD. Como se vê, a recusa da ida de Gilmarzinho para o PSB não foi um bom negócio embora os líderes do partido local entendessem que sim. E como seria Gilmarzinho no PSB?

- Se não fosse os 7 a 1 para a Alemanha em 2014, seria o quê? O resultado dessa equação seria uma variante de 984 votos negativos?

Emergente

Nesse cen√°rio todo, o PSDB √© a sigla que sai renovada, com o prefeito eleito e mais dois vereadores (Zayra Valandro e dr. Andr√©), tendo chegado ao poder majorit√°rio pela primeira vez em Nobres. E desde a Era Dante, n√£o se via os partid√°rios t√£o animados com a vit√≥ria, mas √© preciso cautela e di√°logo para n√£o incorrer em erros do passado, quando a sigla sempre se apresentava ‚Äúrachada‚ÄĚ quando mais se exigia unidade.

- Até porque, o poder é uma faca de dois (le)gumes... torcida contrária fanática e as cicatrizes que demoram a sumir.

Galo em Pé

A possibilidade do deputado Wilson Santos (PSDB) ir para a Secretaria de Estado das Cidades (Secid) é razoavelmente possível. Depois da derrota nas urnas em Cuiabá, quando foi derrotado por Emanuel Pinheiro (PMDB), a ida de WS para a Secid poderia levar o deputado a uma maior aproximação com os municípios e seria interessante para Nobres, município com o qual o parlamentar tucano tem muita afinidade.

- √Č torcer para acontecer.

Galo em Pé II

Wilson Santos mal conseguiu se reerguer politicamente e j√° foi para o embate em uma capital tomada pelo oportunismo dos contr√°rios ao governo por conta do RGA, que regula o aumento ao funcionalismo p√ļblico estadual. Emanuel Pinheiro e Jana√≠na Riva viraram estrelas por posi√ß√Ķes contr√°rias ao governo embora, ambos, com fortes ra√≠zes junto ao desastroso governo de Silval Barbosa. Jana√≠na deixou o PSD criado pelo pai, Jos√© Riva, e migrou para o PMDB para ser contra o PSDB.

- O Galo do Ba√ļ continua em p√© e na Secid pode ganhar um ‚Äúrefresco‚ÄĚ pol√≠tico.

Trumpolinagens

Uma zebra mundial pasta pelos continentes... a vit√≥ria do arrogante Donald Trump nos EUA contraria todos os progn√≥sticos e demonstra que o povo norte-americano gosta de fortes emo√ß√Ķes. Excessivamente patriotas, eles (o povo dos EUA) viram no magnata do ramo imobili√°rio a chance de enaltecimento da for√ßa do Pa√≠s no mundo com a promessa de tornar a Am√©rica mais forte. Cec√≠lia Malan, correspondente da Globo em Londres, considerou a elei√ß√£o de Trump como ‚Äús√≠smica‚ÄĚ. E de fato abalou, principalmente as bolsas asi√°ticas.

- Ser√° o presidente ‚Äúp√© no saco‚ÄĚ dos tradicionalistas, mas burro ele n√£o √©. Mas, ser√° que l√° tem compra de votos?

Autofagia

Em fim de mandato, a coisa anda t√£o feia, que tem vereador querendo engolir vereador. √Č como diria o soci√≥logo de botequim: ‚Äúse encontrares com algu√©m precisando de um empurr√£o, se estiver perto de um barranco, fa√ßa esse favor ao pr√≥ximo...‚ÄĚ. Dar a m√£o ou praticar a pol√≠tica da boa vizinhan√ßa, nem pensar. Tem tanta gente boa em capoeira na pol√≠tica, que √© melhor manter dist√Ęncia.

- Se o colega não for ninja, vai pro chão. Que é isso, peixe?

Sem Sorte

Se alguma viatura policial bater em um carro particular, pode contar que √© preju√≠zo na certa. Mas tem dia que o jogo vira e desta vez, dois bandidos √© que tiveram colis√£o frontal com uma viatura quando eles seguiam ap√≥s um assalto bem sucedido. Mas a pergunta √©: ‚ÄúAzar o deles ou da Pol√≠cia?‚ÄĚ √Č menos uma viatura em circula√ß√£o, menos dois bandidos fora de atividades e um preju√≠zo a mais para o contribuinte, a conta pelo estrago do carro alugado.

- Realmente, a maré não anda boa nem mesmo para os homens da lei.

Sem Sorte II

Deu no Portal Olhar Direto: ‚ÄúDois criminosos, identificados como D.P.A., 18 anos e U.G.S.J., 17 anos, que praticaram diversos roubos na noite da √ļltima segunda-feira (07), foram presos ap√≥s bater a motocicleta em que estavam de frente com uma viatura da Pol√≠cia Militar, em V√°rzea Grande. Os suspeitos fugiam de uma abordagem da For√ßa T√°tica no momento do ocorrido. Com eles, foram encontrados dois simulacros e diversos celulares. Momentos antes, eles tinham assaltado um ve√≠culo e tamb√©m a sede da empresa Uni√£o Transportes‚ÄĚ, diz a nota.

- Bandido vai à missa para pedir proteção?

Sem Sorte III

Ainda, segundo a nota de Olhar Direto: ‚ÄúConforme as informa√ß√Ķes da Pol√≠cia Militar, uma equipe da For√ßa T√°tica localizou os suspeitos pr√≥ximos ao Supermercado Big Lar. Quando o piloto da motocicleta avistou os policiais, empreendeu fuga pela avenida Alzira Santana. Foi solicitado apoio pelo r√°dio e uma viatura do 4¬ļ Batalh√£o veio no sentido contr√°rio para fazer o cerco aos bandidos. Os criminosos n√£o conseguiram desviar e bateram de frente com a viatura do 4¬ļ Batalh√£o. Os policiais abordaram os suspeitos e encontraram dois simulacros de arma de fogo. Al√©m disto, tamb√©m foi encontrada uma mochila, com v√°rios celulares e demais objetos produtos de roubo. A motocicleta em que os dois estavam havia sido roubada momentos antes no bairro Vila Arthur, tamb√©m em V√°rzea Grande. A caracter√≠stica repassada pelas v√≠timas batia com a descri√ß√£o dos presos. Al√©m disto, os dois ainda foram os autores de um roubo na empresa Uni√£o Transportes, na mesma noite.‚ÄĚ.

- Sem viatura, sem sucesso, sem gra√ßa e chocados com o acontecido, os dois foram parar na ‚Äúfaculdade‚ÄĚ do crime para mais algumas aulas de pilotagem.

Ainda? A Confraria

Um conhecido grupo pol√≠tico ainda estaria discutindo e rediscutindo erros e acertos da campanha rec√©m encerrada em Nobres. Entre uma bem gelada e outras, o papo gira em torno do returno (mas qu√°... dia!?) das elei√ß√Ķes municipais. Gente, o papo mais cabe√ßa √© igual a de jogador de futebol (boleiro): ‚ÄúVamos levantar a cabe√ßa e trabalhar para a pr√≥xima...‚ÄĚ. Nesse caso, n√£o h√° returno, a vaca j√° foi pro brejo.

- E aquele abraço, dizem os tucanos ao pessoal daquela confraria.

Sitio do Pica Pau...

E naquele sítio... o Preá apareceu para tirar uma onda com a liderança do 40. Menos mal que o derrotado levou na esportiva e até já está voltando as suas origens. Compadre de cá, compadre de lá e aquele sorriso amarelo, com cara de 40 pedidos de desculpas e o Comendador Preá cutucando a onça. Pá de cá e pá de lá... a poeira vai assentando e tudo volta ao normal, mas não terá sido por falta de aviso.

- Onde tem Pica Pau, a madeira tem que ser aroeira... j√° o tucano, gosta de mam√£o com a√ß√ļcar.

Bolsa de Apostas

Como poucas vezes, desta vez a elei√ß√£o majorit√°ria teve muitas apostas e muita gente apostando errado e perdendo; de R$ 1.000,00 a R$ 5.000,00, as apostas foram feitas e como n√£o houve zebra, teve gente que rodou. No Jardim Petr√≥polis, teve gente de dedo em riste, cobrando voto e pressionando pelo apoio ao desconhecido, com amea√ßas de ca√ßa √†s bruxas caso a vit√≥ria viesse. Realmente, para quem gosta de fortes emo√ß√Ķes, a bolsa de apostas funcionou e quem foi no jacar√©, esqueceu que o filme era de Tarzan.

- Como diria o ex-governador Arnold... ‚Äúhasta la vista baby‚ÄĚ.

Papo da Hora

N√£o se fala em outra coisa por estas bandas... presid√™ncia da C√Ęmara de Vereadores e composi√ß√£o de secretariado. Tem gente tomando ch√° de maracuj√° contra impaci√™ncia, mas j√° rola um papo por a√≠ que o n√ļmero de secret√°rios vai ser bem menor, sem querer, √© claro, aumentar a expectativa. Mas um nome √© certo, a da Chefia de Gabinete, que pode ser Pedro Lu√≠s Gallo, quanto ao resto, √© com o ‚Äúh√īme‚ÄĚ.

- Aguardemos, com paciência, quem viver, verá.

Gente Nova

O jovem vereador Gida (PP), foi o √ļnico a comparecer na decis√£o da Copa Bom Jardim, realizada dia 06 de novembro, √† tarde, na Vila. Devagar, ele j√° vai demarcando territ√≥rio e mostrando que n√£o veio por acaso e que quer fazer diferente. √Č importante a elei√ß√£o, mas fazer a diferen√ßa tem l√° sua enorme import√Ęncia e quando se √© jovem e com os p√©s no ch√£o, as coisas acontecem. Boa sorte e bom trabalho.

- O esporte agradece a presença.

Aviso aos Navegantes

O futebol amador em Nobres precisa seguir em frente e a principal pra√ßa esportiva, o est√°dio municipal ‚ÄúBaliz√£o‚ÄĚ √© um cart√£o postal que precisa ser melhorado e tudo come√ßa com a mudan√ßa de panorama externo, acabando com aquele cen√°rio ‚Äúchinfrim‚ÄĚ que emoldura uma das principais avenidas da cidade, como se provinciana fosse. N√£o √© o est√°dio que atrapalha, mas aquele ar de rodovi√°ria de beira de estrada que enfeia o ambiente. Uma pra√ßa de alimenta√ß√£o com designer moderno, sem o jeito de ZBM, garantiria uma nova moldura ao quadro novo.

- Sendo assim, é bom pensar antes de anunciar.

Incongruências

Nesta semana, que come√ßou novembro, em sua ‚ÄúCarta ao Leitor‚ÄĚ, a Revista Veja fala sobre o indulto ao ex-ministro Jos√© Dirceu e num dado momento assinala que no Brasil ocorrem 55.000 mil assassinatos por ano, mas n√£o mais que 5.000 deles s√£o esclarecidos atrav√©s da investiga√ß√£o policial. Avalia-se que no Brasil se investiga pouco e mal, se prende mal, ‚Äúfica claro que o n√≥ n√£o est√° nas penas duras ou ju√≠zes implac√°veis. Est√° na pol√≠cia e nas pris√Ķes. √Č a√≠, na entrada e na sa√≠da do sistema, que pulsa o cora√ß√£o da impunidade‚ÄĚ, diz o texto.

- E a√≠, quando vemos um Sergio Moro, todos acham que ele mere√ßa ser canonizado. √Č que os crimes do colarinho branco re√ļnem presos em menos escala que os delitos associados a drogas e furtos.

Incongruências II

O que seriam 600.000 presos perto de menos de 30 presos por roubalheira contra o Estado. O pres√≠dio em Curitiba √© chique perto dos entulhos para onde s√£o levados os presos comuns. Mais de meio milh√£o de presos, bem mais, onde n√£o caberiam 300 mil, √© para se ver e se anotar as diferen√ßas entre o pres√≠dio de Curitiba e as cadeias brasileiras, consideradas ‚Äúmasmorras medievais‚ÄĚ citadas no artigo de Veja. √Č natural que a pol√≠cia seja violenta, mal preparada e que mate muito.

- Contrapontos de uma realidade brasileira.

Incongruências III

De acordo com nota publicada no Portal Folhamax, ‚ÄúA 10¬ļ edi√ß√£o do Anu√°rio Brasileiro de Seguran√ßa P√ļblica, divulgada em n√≠vel nacional, aponta que 15 pessoas foram mortas por policiais em Mato Grosso, em 2014 e 2015, em servi√ßo ou fora de servi√ßo, durante interven√ß√Ķes violentas e tr√°gicas. A pesquisa mostra que os militares matam mais do que os civis. Dos 15 alvos, 13 foram acertados por militares e 2 por civis. A pesquisa √© feita pelo F√≥rum Brasileiro de Seguran√ßa P√ļblica, organiza√ß√£o n√£o-governamental constitu√≠do em mar√ßo de 2006 com inten√ß√£o de levantar dados referenciais que possam subsidiar pol√≠ticas p√ļblicas em prol de mudan√ßas na √°rea‚ÄĚ.

- Avalia√ß√£o abalizada.√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā¬†

C√Ęmara Presid√™ncia

Alguns vereadores eleitos est√£o com g√°s todo e at√© articulam a presid√™ncia da Casa para primeiro de janeiro de 2017. Al√©m da visibilidade pol√≠tica, a presid√™ncia da Casa tem os efeitos colaterais causados pela gest√£o financeira, que nem sempre satisfaz a todos. Mas garante status nos meios sociais e pol√≠ticos. O cargo est√° em disputa e se n√£o se repetir fatos anteriores, pode estabelecer novos par√Ęmetros no cen√°rio da Casa de Leis.

- √Č s√≥ uma quest√£o de tempo.

Papo Complexo

O assunto VI (Verba Indenizatória) ainda vai dar muito o que falar daqui pra frente e pode entrar em rota de colisão com discursos de campanha nos palanques montados em Nobres. Mas vamos ver no que vai dar a partir do próximo ano, para não se falar em gente incitando para a volta de nove vereadores, sob a alegação que dois vereadores além dos nove estariam ali por conta de supostos 15.002 habitantes. Um novo censo derrubaria esse total e quem ou quais ficariam de fora.

- Quando se é pedra, é tudo uma beleza, mas quando se é vidraça, tudo muda.

Gambiarras

A √ļnica fiscaliza√ß√£o feita pela Secretaria de Estado de Infraestrutura nas obras de infraestrutura tur√≠stica na cidade de Nobres foi feita por insist√™ncia do vereador Silvestre Campos (PR). Ocorre que os servi√ßos seguem numa morosidade indesejada e a cada dia que passa surge um problema na pista no trecho da avenida Marechal Rondon, onde se veem pontos de interdi√ß√£o e obra paralisada. Servi√ßos terceirizados e sem a devida fiscaliza√ß√£o, ao final s√£o entregues com gambiarras e falhas gritantes.

- Alguém precisa soltar um brado sobre a empresa Terranorte Engenharia ou para alguém que a represente por aqui.

Problemas

Em Nobres, tem gente que escolhe errado, perde e vai no Facebook desabafar sobre erros que não competem exclusivamente ao município, caso das obras de infraestrutura turística. A Terranorte Engenharia, executora das obras de infraestrutura turística tem compromisso com o Governo do Estado, órgão pagador, responsável pelo processo licitatório, pela fiscalização e pelos serviços prestados. Agora, o governador Pedro Taques não vai estar vendo diariamente o Face para saber se os serviços estão sendo bem executados.

- Esse cacarejar n√£o chegar√° ao Chefe do Executivo estadual pelas redes sociais.

Problemas II

As pessoas podem (e devem) participar da reuni√£o da C√Ęmara de Vereadores e ali solicitar a quem de direito uma maior fiscaliza√ß√£o na presta√ß√£o de servi√ßo. Acreditar que o Facebook seja div√£ de psicanalista, capaz de resolver sobre perdas e ganhos no processo sucess√≥rio municipal, √© qualquer coisa frustrante. Ao lugar certo, na hora certa e com as pessoas certas. O resto √© fazer glu-glu.

- Passo adiante, bamo que bamo.

Só Fumo

‚ÄúA Petrobras informou que o pre√ßo do g√°s de botij√£o deve sofrer um reajuste a partir de 1¬į de novembro. Isso porque a empresa alterou os contratos com distribuidoras de g√°s liquefeito de petr√≥leo (GLP), o g√°s de botij√£o. O botij√£o de 13 quilos, que √© o padr√£o para uso residencial, deve ficar R$ 0,20 mais caro, em m√©dia. De acordo com a Petrobras, o aumento n√£o dever√° passar de R$ 0,70 por botij√£o em nenhum lugar do pa√≠s. Segundo a Petrobras, o aumento ocorrer√° porque os custos com a log√≠stica do produto, que eram cobertos pela estatal, ser√£o repassados √†s distribuidoras. Ainda de acordo com a empresa, na pr√°tica isso significa uma redu√ß√£o dos subs√≠dios √†s distribuidoras, como aconteceu h√° dois anos com os contratos de fornecimento de diesel e gasolina‚ÄĚ. A Petrobras explicou que o fim dos subs√≠dios "√© importante para evitar distor√ß√Ķes".

- Para quem paga R$ 86,00, ir a R$ 90,00 é a um passo.

Só Fumo II

Ao invés de baixar o preço do gás e evitar o desmatamento, a alta no gás de botijão vem na contramão da realidade, o que incentiva o povo e ir para o mato, catar lenha, poluir o ar e queimar árvore. E quem diz que essa galera que roubou a Petrobrás vai devolver tudo? No Brasil, essa roubalheira vem desde o tempo dos portugueses, que levava o ouro nosso, a nossa madeira e ainda pagávamos impostos altíssimos. Aí, enforcaram o Tiradentes que se rebelou contra a Coroa Portuguesa e ainda nos deixaram, de quebra, o Vasco e a Portuguesa de Desportos.

- Muita gente desempregada, estados e municípios quebrados e ainda vem meter a mão nos bolsos desses brasileiros que já foram descamisados e hoje estão nus... de mãos nos bolsos.

Last Updated ( Thursday, 23 February 2017 22:53 )

 

Planos frustrados

As elei√ß√Ķes municipais de 2014 escreveram p√°ginas do mais absoluto descalabro pol√≠tico em Nobres, como nunca antes visto. Descrever esses fatos seria incorrer na tentativa de reativar fatos desabonadores e lament√°veis que dep√Ķem contra a democr

Last Updated ( Friday, 07 October 2016 15:24 )

TRINCHEIRA XLIX

Nome Conhecido

Há uma polêmica gerada na campanha a prefeito de Cuiabá e um dos envolvidos na denunciação é a esposa de Marco Polo Pinheiro, o Popó, que teria executado(?) obra de pavimentação em Nobres entre 2009 a 2011. A rua Maurício Samp

Last Updated ( Wednesday, 26 October 2016 11:51 )

A ‚Äúbabel‚ÄĚ pol√≠tica e as uvas...

(Atualizada)

Todas as setas apontam para uma mesma dire√ß√£o, a de que o homem a ser batido nestas elei√ß√Ķes municipais n√£o √© nenhum dos candidatos que estejam na disputa em Nobres. O fogo est√° sendo centrado no atual prefeito do munic√≠pio, Sebas

Last Updated ( Thursday, 01 September 2016 17:49 )

‚ÄúS√®vis Gine‚ÄĚ nobrense

N√£o vai demorar para que a nossa estarrecida popula√ß√£o veja bonecos espetados com alfinetes, bem ao estilo do vodu haitiano, onde o povo costuma associar macumba a algum tipo de ‚Äúmaldi√ß√£o‚ÄĚ. A di√°spora africana √© respons√°vel pela dispers√£

A política e o jarro...

Já estamos em um período em que todas as suscetibilida buy levitra des individuais e coletivas são afloradas em nome da ocupação do poder lá na frente. O Jarro de Pandora está por um fio de se espatifar e de lá escapulir as mais diferentes maldades para o

TRINCHEIRA XLVIII

Mal na Fita

Tem gente que n√£o gosta de frase feita... depende. ‚ÄúAs apar√™ncias enganam...‚ÄĚ, essa frase √© batida, mas cabe em determinados momentos. Um candidato proporcional teria procurado um eleitor para pedir voto e foi apressado na cantada ao










Last Updated ( Monday, 05 September 2016 19:53 )

De 31 dezembro/2016 para tr√°s

O prefeito Gilmarzinho da Ecoplan (PSD) j√° come√ßa a organizar a sua administra√ß√£o para o come√ßo do fim. Quer fazer hist√≥ria como o construtor de um caminho administrativo sem volta, o da necess√°ria recupera√ß√£o econ√īmica do munic√≠pio de Nob

Last Updated ( Thursday, 14 July 2016 21:03 buy priligy online )

À beira do buy propecia caminho

A modorrenta e impassiva política ou a falta dela, como se está se vendo atualmente, tem deixado muita gente com os pruridos em estágio desagradável. A sensação é estranha com relação ao que clomid online pode acontecer com o tucanato paroquiano, mais mis

Last buy clomid Updated ( Sunday, 19 June 2016 12:25 )

Page 3 of 36

TRINCHEIRA LII

Bastidores da Pol√≠tica H√° quem diga que o ex-prefeito Gilmarzinho da Ecoplan tenha sa√≠do de cena ap√≥s o dia 31 de dezembro de 2016. Muito se tem ouvido falar sobre a sua perman√™ncia na milit√Ęncia pol√≠tica, segundo seus amigos mais pr√≥ximos. Onde h√° fuma√ßa √© porque j√° houve fogo. Mas √© qu

Persistência e desigualdade

Como fazer para reverter á desigualdade na luta contra os crimes ambientais nos rios de Nobres? A pergunta faz sentido na medida em que se sabe e se vem percebendo que o Rotary Club de Nobres vem insistindo na preservação e em muitos trechos na recuperação da mata ciliar dos rios Nobres e Serra