You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

22/07/2017
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Trincheira Trincheira IV

Trincheira IV

E-mail Print PDF
Decepção Rápida
Um conhecido palmeirense de Nobres assistia ao jogo entre Santos e Pe√Īarol (no Uruguai) pela decis√£o da Libertadores de Am√©rica, dia 15 de junho, √ļltimo, e quando saiu o gol dos uruguaios, correu para apanhar o roj√£o e comemorar. Anti-santista, ele foi avisado por algu√©m da fam√≠lia: "calma, o gol foi anulado, o atacante estava em impedimento". E o palmeirense voltou pra frente da tev√™, triste e tchocho,¬† na decep√ß√£o mais curta dos √ļltimos tempos.
- CASA cai... mesmo aquela GRANDE. Papagaio come milho, periquito (alviverde) leva fama.

Indecorosidades
Apesar das campanhas contra o fumo, em Sorriso, o fumo entrou (calma gente, entrou na moda!) e a cobra est√° fumando. Vereadores foram presos, sob acusa√ß√£o de gosto extremado pelo tal vil metal. E o pior, tinha um ve√≠culo de comunica√ß√£o na parada. Uma emissora de tev√™ estava no meio do caminho e bate com o que vem pontuando o senador mato-grossense, Pedro Taques, sobre ve√≠culos de comunica√ß√£o serem utilizados para achacar pol√≠ticos, notadamente aqueles que s√£o de propriedade p√ļblica e sob autoriza√ß√£o do governo, quase sempre com concess√£o em nome de pol√≠ticos ou seus prepostos.
- √Č como diria o fil√≥sofo tombadorenho: "por dinheiro, vai-se ao inferno estapear o capeta, mesmo que isso tenha √īnus". V√ī√ī√ī√ī√ī√īte!!!!

Pais & Filhos
√Č muito boa a receptividade dos pais em rela√ß√£o √† campanha de vacina√ß√£o em Nobres e a meta a ser atingida tem sido satisfat√≥ria, sempre. Um fen√īmeno, por√©m, tem sido notado, onde pais levam filhos para vacinar, mas filhos n√£o levam pais e, n√£o por acaso, as metas de vacina√ß√£o para os idosos depende (e muito) do interesse dos profissionais da sa√ļde que correm atr√°s e v√£o onde os idosos estiverem.
- Interessante esse dado.

Mulher, de Fato
De tempos em tempos surge uma mulher que resolve enfrentar o universo machista com atitudes duras e corajosas. H√° alguns anos atr√°s, no Ibama, Oriana Paes de Barros era sempre not√≠cia, de forma pol√™mica ou sobre a pol√™mica que se criava em torno do seu nome. Agora, M√°rcia Vandoni ocupa esse espa√ßo e vez ou outra sofre algum tipo de 'apedrejamento eletr√īnico' por posi√ß√Ķes assumidas, nem sempre discretas e menos ainda, de submiss√£o. Mas h√° elementos masculinos que, al√©m de contradit√≥rios, de pol√™micos, de controvertidos, subvertem a ordem natural das coisas.
- Diz-se que M√°rcia Vandoni seria a Margareth Tatcher da atualidade. Bem melhor que ser uma vers√£o nova de Imelda Marcos.

Velho Portuga
N√£o foi na C√Ęmara de Vereadores, na noite de 15 de junho, mas j√° tivemos a oportunidade de ouvir algu√©m dizer: "Emo√ß√£o de Aplauso". Tudo bem que uma homenagem traga emo√ß√£o, mas o certo, mesmo, √© Mo√ß√£o. Dia desses, uma secret√°ria, de um lugar qualquer, foi solicitada para preencher um documento em que constava a cita√ß√£o "Autos de Infra√ß√£o" e no documento, lido depois, via-se escrito: "Autos de Inflama√ß√£o".
- Nada que n√£o possa ser "retificado", ou seria ratificado? As amoras Silvestres est√£o prontas para serem colhidas.

No Lagoa Velha
Na MT-010, bem próximo de Cuiabá, mas ainda no Distrito da Guia, o Restaurante Lagoa Velha tem sido ponto de encontro de pessoas ligadas ao mundo político. Hoje (15/06), por volta das 11:30 horas, lá estavam, o Kiko (ex-Asa Branca, em Nobres) e atual secretário municipal no município de Santa Rita do Trivelato. Por lá também, o prefeito Farid Tenório, de Arenápolis. O Carlos ou Kiko, com quem a nossa diretora conversou rapidamente, falou de fatos da Trivelato, de ontem e de hoje, com assuntos mais picantes que pimenta malagueta, feito prato mexicano.
- √Č√©√©√©√©√©√©√©... nem tudo o que reluz √© ouro.

Acidente/Avenida
Sobre o acidente ocorrido na avenida Audoreste Machado de Faria, j√° somariam dois, segundo informa√ß√Ķes de um internauta a um site de not√≠cias de Cuiab√°. At√© a√≠, tudo bem, n√£o fosse o alerta do internauta sobre a constru√ß√£o de quebra-molas em frente a uma farm√°cia, a menos de 50 metros de um outro, j√° existente, enquanto faltaria um na avenida aonde ocorreu aquele em que uma menina foi atropelada, dia 14 de junho, √ļltimo. No bairro S√£o Jos√©, segue a exibi√ß√£o de empinadores de moto e de alguns motoristas que chegam a 60 kms hor√°rio entre uma e outra quadra. Acidentes chamam a aten√ß√£o a outros fatos negativos s√≥ quando ocorrem e pegam a todos de surpresa.
- A Engenharia de Tráfego de Nobres pode disputar o próximo Oscar na categoria desenho (des)animado com o título: "Placas de Sinalização, pra que as quero?".

Novo Imbróglio
A atual administração de Nobres parece fadada a descascar abacaxis com prazo de validade vencido. Este, que está surgindo agora, parece mais com a tal da "peste encaibrada", tamanho é o problema e envolveria um lote e uma edificação localizada à av. Moacir Parzianello, em frente ao presídio municipal, onde está uma obra inacabada. O município não teria pago a quem vendeu e a chave de todo o segredo estaria com o ex-prefeito Devair Valim de Melo, comprador do imóvel enquanto prefeito. O então prefeito mandaria construir escola em cima de imóvel que não pertenceria ao município? Segundo Devair, há um lote contíguo que pertenceria a uma pessoa ligada ao ex-deputado e ex-conselheiro do TCE-MT, Ubiratan Spinelli. O imóvel seria ao lado daquele em que se encontra a escola e o ex-prefeito estaria disposto a dar esclarecimentos.
- O que já tem de boato espalhado pela cidade sobre o imóvel não é brincadeira e vai dar pano pra muita manga... até manga comprida.

Reunificação
Consta e a informa√ß√£o ainda n√£o √© oficial, que o prefeito Jos√© Carlos da Silva estaria se lan√ßando na empreitada de juntar os cacos do que restou do seu governo e buscaria a pacifica√ß√£o atrav√©s de convites a alguns que deixaram o governo. Esses, aos quais busca, s√≥ se forem especialistas em salvamento em caso de afogamento em alto mar. √Č como se algu√©m abrisse as portas de um antiqu√°rio a uma manada de elefantes e ap√≥s o desastre convocasse especialistas em restaura√ß√£o de porcelanas chinesas milenares. N√£o por acaso, muitos preferem a paz que a guerra que √© para evitar perdas e a recupera√ß√£o do que restou das batalhas.
- √Č como diria minha saudosa av√≥: "nesse angu tem caro√ßo".

Reunificação II
A estrat√©gia do governo municipal surge nati-morta e agora, muita gente j√° descobriu que dentro do cavalo levado a Tr√≥ia tinha truta. Se bem que esse neg√≥cio de morder e depois assoprar t√° na moda. Olha! Ultimamente, at√© peixe j√° n√£o anda caindo √† toa em rede, encontrou auto-defesa com a percep√ß√£o de que em fim de festa, s√≥ tem gente porre e quem j√° "tchup√ī, tchup√ī e quem n√£o tchup√ī n√£o tchupar√° mais"... e nesse caso, s√≥ sobe o morro "quem qu√©"; quem qu√©... vai. Mas neeeeeem...!!! Vov√ī tinha um cachorro e nem adiantava dar-lhe ling√ľi√ßa para o almo√ßo, corria longe e rosnava muito, fruto de picadura de cobra.
- E sabe como é o estrago de uma pica dura (ops!, juntar as palavras, por favor!).

Ponto de Convergência
Em torno do futebol, o vereador Silvestre Campos e o coordenador de futebol amador, Zezinho do Esporte, levou para a Bom Jardim, domingo, dia 12 de junho, o pessoal da imprensa, do futebol e empresariado, al√©m do prefeito Jos√© Carlos da Silva e sua assessoria. A Bom Jardim virou ponto de converg√™ncia e os temas b√°sicos do encontro eram sobre pol√≠tica, atividade profissional e, √© claro, a culin√°ria regional. O vice-presidente da FMF (Federa√ß√£o Matogrossense de Futebol), Jo√£o Carlos dos Santos, os jornalistas Eliz√Ęngela Neponuceno e Luiz Esmael (A Gazeta); empres√°rio varzeagrandense Adelino; vereador Silvestre; Benedito Waldemir (Restaurante WF, local); Joa Costa, Elcio; Joacir e ningu√©m menos que Am√©rico Lucas Neto, obviamente, neto do ex-radialista Am√©rico Lucas, entre outros.
- Nega Ful√ī, √™iiita cacha√ßa boa! Galinha com arroz, pimenta malagueta e l√≠ngua afiada, sabe como s√£o os midi√°ticos.

Ponto de Convergência II
A Bom Jardim viu uma de suas melhores finais no futebol so√ßaite, entre S√£o Jos√© e Liverpool, da Roda d'√Āgua. Queiram uns e outros n√£o, o vereador Silvestre tem dedicado especial aten√ß√£o √†s quest√Ķes mais relevantes que envolvam o setor rural e o futebol √© apenas uma de suas a√ß√Ķes em parceria com Zezinho do Esporte. O ex-vereador Pre√°, o prefeito Jos√© Carlos da Silva, o l√≠der rural Tito, da Forquilha do Rio Manso, professores, torcedores, atletas e desportistas das duas localidades foram ao local do evento para prestigiar o futebol amador. E n√£o √© todo dia que isso acontece, de a Vila da Bom Jardim se tornar ponto de converg√™ncia √† jornalistas, empres√°rios e autoridades pol√≠ticas em torno do futebol.
- Se alguém souber fazer melhor, que não perca tempo. E o dia dos namorados mudou de data... foi parar em 12 de outubro, não é mesmo, WF?

Ruim de Amigos
As nossas autoridades andam bem ruim de amizades, hein?! Cesare Battisti, o terrorista, anda dormindo por aqui como rei enquanto as nossas cadeias est√£o lotadas de gente que rouba galinha. O tal de Evo Morales vai "legalizar" os carros roubados no Brasil e levados para a Bol√≠via, onde s√£o trocados por 'farinha' que vira pedra; e daqui pra l√°, mandamos vacinas para gado e vendemos energia el√©trica para Evo e sua gente. Do Paraguai, de Fernando Lugo, v√™m armas, muni√ß√Ķes e a 'marvada' da sativa cannabis ou maconha. O general Hugo Ch√°vez, chefe da ditadura venezuelana, √© gente boa por aqui. O que teria a nos ofertar los hermanos platinos? El Copa Libertadores de Am√©rica para al Santos? Muy bien.
- Olha que Judas Iscariotes tinha amigos bem mais interessantes e ainda assim, deu-lhes uma rasteira magistral e histórica.

Abelhas em V√īo
T√° o maior zum-zum-zum sobre a realiza√ß√£o de um certo teste seletivo na Prefeitura de Nobres. Pelo sim ou pelo n√£o, os vereadores precisam estar atentos e cobrar do Coordenador de Controle Interno a maior transpar√™ncia poss√≠vel aos procedimentos sobre esse teste que ainda √© mera suposi√ß√£o. √Č que tem cargos relativamente bons que n√£o podem ser preenchidos assim, a toque de m√°gica. Teve gente que ficou entre os √ļltimos colocados no teste seletivo de 2009 e no concurso p√ļblico foi pras cabe√ßa, ocupando as primeiras coloca√ß√Ķes. Depois que aquele m√°gico, David Coperfield, fez sumir um avi√£o, tudo pode acontecer. Eiiita lugar bom √© aqui nesta city e n√≥s, "burrinhos" de tudo, tamo aprendendo coisas com os s√°bios que chegaram por aqui.
- Como vamos chegar lá se somos alunos de primário e o concurso é de doutores? Conformemos, todos, "nóis é burro pra daná e só serve pra votá". Rimou?

Aprendendo
Da nossa turma, da nossa classe, a 'fessora' disse que tem um aluno que t√° aprendendo r√°pido e at√© est√° se distanciando dos demais, enxergando mais longe. A 'fessora' at√© 'chamou ele' pra sentar no banco da frente. √Č o aluno aplicado, Beto Valandro, que acaba de dar um "n√≥" nos sabidos e terminou por paralisar uma obra cheia de equa√ß√Ķes embora geometricamente fora de esquadro. E vem coisa por a√≠, sobre metragem c√ļbica de madeira para utiliza√ß√£o em pontes; os n√ļmeros se multiplicam entre si, mas a madeira que saiu do mato √© uma s√≥. Teria autoriza√ß√£o de quem de direito para corte?
- Fessora, 'please me', por eu n√£o ser b√£o de aritm√©tica, mas, o que √© metro c√ļbico? √Č..., aqui em Sodoma querem que 'go' morra e f.da-se o resto.

Pedro Taques/Alerta
"Devemos estar atentos nesta Comiss√£o (Comiss√£o de Ci√™ncia, Tecnologia, Inova√ß√£o, Comunica√ß√£o e Inform√°tica - CCT), ao renovarmos concess√Ķes, permiss√Ķes, para a utiliza√ß√£o desses servi√ßos p√ļblicos. Um canal de televis√£o, uma concess√£o de r√°dio no Brasil, n√£o √© uma atividade econ√īmica qualquer, √© um servi√ßo p√ļblico que pertence ao povo brasileiro. Portanto, n√£o pode ser utilizado como instrumento de coa√ß√£o pol√≠tica, n√£o pode ser utilizado como instrumento para achacar pessoas", disse o senador matogrossense em rela√ß√£o a determinadas emissoras de r√°dio e de tev√™ que fazem e acontecem acreditando estar acima da lei.
- Vale lembrar: r√°dio √© servi√ßo p√ļblico e pertence ao povo brasileiro. Fichas podem ir caindo...: "A radioatividade (mil megatons) leva at√© voc√™s mais um programa da s√©ria s√©rie... tirrim, fecho o balaio".

Panfleto
Chegou até nossas mãos um bem elaborado panfleto que versa sobre as entrevistas do prefeito na rádio; fala em descontentamento popular; asfalto com pó; promessas de em dois anos fazer o que não fez; e vai por aí. Trata-se de reclames justos e de posicionamento pessoal, bastando apenas à pessoa assumir a autoria do papel que a cada semana circularia um diferente de outro. Reclamar é direito de todos e assumir pelo que faz também.
- Sucesso nas reclama√ß√Ķes e bota a assinatura embaixo e pronto.

Molha e Seca
Com que objetivo um gestor providencia asfalto para uma cidade? Em Nobres, ao que tudo indica, n√£o h√° objetivos e a coisa acontece como der e vier, considerando-se que esse modelo de pavimento asf√°ltico necessite de ser molhado todas as manh√£s. Se gasta com empreiteira, com o asfalto e seus sub-produtos e a despesa maior vem depois, o carro-pipa precisa ser abastecido e a √°gua que molha as ruas representa um desperd√≠cio, de dinheiro e da √°gua que pode faltar amanh√£. Particulares molham as ruas, carros precisam ser lavados ao menos uma vez por semana, casas passam por limpezas internas todos os dias e os gastos com √°gua tratada s√≥ aumentam, n√£o bastassem os preju√≠zos com a sa√ļde.
- E nove vereadores calados, a cidade impassível diante dos problemas e o tempo, dinheiro e água vão parar no ralo. Em resumo, estamos desamparados e fu...

Gol Contra
Chato ter que ver certas coisas, por exemplo, o gol contra a administra√ß√£o municipal de Nobres, marcado por gente do pr√≥prio governo. √Č quando se diz que o governo do prefeito Jos√© Carlos da Silva foi ao Jardim Petr√≥polis fazer assistencialismo e n√£o assist√™ncia social. Tem gente que anda dizendo que o povo de Nobres tem a cabe√ßa pequenininha e seria contra os "gringos". E quando os gringos dizem que o pessoal daqui tem a cabe√ßa pequena, provavelmente, √© pra n√£o gastar muito com chap√©u e como os neur√īnios s√£o compactos, cabem em qualquer cabe√ßa. Gente com cabe√ßa mi√ļda acredita que assist√™ncia social √© o oposto de assistencialismo. Troque a cita√ß√£o, admitir o erro n√£o √© feio, feio √© persistir no erro...
- ...nóis é tonto, mas isso cura no outro dia; já um gol contra, pesa no saldo de gols. Eita Brogodó, nessa cidade acontece de tudo.

"Guerra dos Farrapos?"
Nessa nova vers√£o, a tese de que trabalhar muito e mais um pouquinho... n√£o d√° camisa pra ningu√©m. De fato e olha!, a coisa anda feia por aqui, desde aqueles dias que antecederam o dia 1¬ļ de maio, quando ocorreu √† primeira "batalha" pelas camisetas promocionais sobre o anivers√°rio de Nobres e veio aquela velha desculpa: "fizeram poucas e n√£o deu para quem queria". A segunda grande "batalha" ocorreu recentemente e outra vez o total de camisetas n√£o foi suficiente e tentaram escolher um "bode expiat√≥rio" para pagar a conta. A responsabilidade recaiu em quem menos tinha a ver com o mais novo erro de comunica√ß√£o interna, a secret√°ria de Educa√ß√£o, Neuza Albuquerque da Silva, que inclusive pede desculpas pelo lament√°vel incidente. Com cerca de 79 mil reais gastos com outro tipo de publicidade, que vai parar na gaveta ou na prateleira, a camiseta garante maior visibilidade ao governo e todos por aqui gostam.
- Nunca na hist√≥ria dessa cidade se viu tanta gente "t√īcera" e pouco resultado pr√°tico.

Bomb√°stica
De acordo com uma fonte governista, digna de crédito, o prefeito José Carlos da Silva tem dormido com um olho aberto e o outro fechado, podendo, daqui até dezembro, promover mudança significativa na sua equipe de governo. Sabendo dos riscos e das responsabilidades que assume enquanto chefe de governo, José Carlos da Silva não parece disposto a arcar com mais prejuízos políticos e financeiros advindos da negligência de alguns de seus comandados. Isso é real e ninguém deve menosprezar a inteligência do prefeito Zé Carlos, que é radicalmente contra aqueles que costumam nadar de braçadas fora da piscina olímpica.
- Vem nova interven√ß√£o cir√ļrgica por a√≠, podendo ser sem anestesia. Passou a enxergar o que todos j√° viam... est√° na cara.

Meio Ambiente
Nenhuma manifestação acerca do Dia Mundial do Meio Ambiente em Nobres. Como somos descansados e desavisados nesse aspecto. Só as lembranças dos pavimentos asfálticos que são implantados em algumas ruas de onde sobem a poeira de calcário seriam um bom motivo para se lembrar desse dia, mas perdemos até a capacidade da indignação. Então, o melhor mesmo é nos recolhermos, carapaça adentro, ou imitar a avestruz e enfiar a cabeça na terra até que o dia termine.
- E assim foi o dia 05 de junho de 2011 em Nobres. Triste constatação.

Prejuízos Políticos
O prefeito José Carlos da Silva, se não tomar as rédeas do governo, corre o risco de enfrentar sérios problemas de ordem administrativa daqui pra frente. A reforma do prédio da Prefeitura de Nobres virou caso de polícia após "bafão" ocorrido nos corredores palacianos. Chamaram a polícia para o vereador Beto Valandro, curiosamente, o que denunciou ao TCE e ao MPE e tentava acompanhar a abertura do processo licitatório 005/2011, na manhã de hoje (03/06). Mas, todos os indicadores apontam para mais e mais problemas daqui pra frente. O prefeito mudou radicalmente a sua equipe de governo e trouxe para Nobres pessoas que desconhecem a realidade local, o que não é nada perto das suspeitas que se levantam sobre alguns procedimentos administrativos.
- N√£o seria nenhum absurdo anunciar que o prefeito corre risco de afastamento tempor√°rio. Fermino j√° engomaria terno novo para os dias que vir√£o.

Prejuízos Políticos II
Ainda n√£o se estabeleceu par√Ęmetros sobre o que √© p√ļblico e o que √© privado em Nobres onde algumas pessoas gastam dinheiro p√ļblico a seu bel prazer. Abrem e encerram licita√ß√Ķes como se a administra√ß√£o fosse um laborat√≥rio de testes. O caso da "bomba d'√°gua"; um outro procedimento licitat√≥rio, sob alegada inexigibilidade de licita√ß√£o foi publicado e anulado posteriormente no jornal da AMM, revelando alguns equ√≠vocos que n√£o deveriam ser cometidos em fun√ß√£o da quantidade de empresas de assessoria contratadas. Tudo isso "escancara" o governo a d√ļvidas que despertam a curiosidade, mesmo dos mais leigos em gest√£o p√ļblica. E ao classificarem o vereador Beto como pretenso candidato a vice-prefeito, afastaram-no de qualquer possibilidade de di√°logo com o governo.
- Viver aqui, é bom demais; respeitar as pessoas daqui é muito bom e é obrigatório.

Prejuízos Políticos III
Os bl√°-bl√°-bl√°s (por tr√°s) que vem sendo praticado contra o parceiro que sempre foi Ismael Baraviera pode deixar o governante ainda mais √≥rf√£o politicamente. Uma sa√≠da de Ismael Baraviera de mais perto do governo representaria o come√ßo do fim de um governo que, de um tempo a este, tem se dedicado aos holofotes midi√°ticos, deixando a descoberto as a√ß√Ķes pol√≠ticas. Esse governo que a√≠ est√° nunca fez pol√≠tica, nem a mais b√°sica, que √© a pol√≠tica da boa vizinhan√ßa, e agora ainda chamam a pol√≠cia para tentar intimidar um fiscal do povo. O que √© isso, companheiro? N√£o bastasse fazer "escarrar" do governo todos aqueles que ajudaram o governista a chegar ao topo. Que voca√ß√£o mais estranha √© essa, de n√£o cultivar o companheirismo pol√≠tico. N√£o seria o momento de repensar as compet√™ncias delegadas ou ser√° que a centraliza√ß√£o de poder caminha na dire√ß√£o certa? Os holofotes, antes eles cegam ao inv√©s de trazer mais visibilidade.
- O prefeito José Carlos da Silva precisa refletir o seu governo nesta segunda fase. Há riscos futuros.

Den√ļncia/Vereador
O vereador Beto Valandro (PSDB) assumiu a den√ļncia ao TCE e ao MPE sobre as obras de recupera√ß√£o do pr√©dio da prefeitura de Nobres. Contudo, entre a Tomada de Pre√ßos n¬ļ 005/2011, h√° um empenho (ordin√°rio), datado de 13 de maio de 2011, sob n¬ļ 001952/2011, no valor de R$ 14.600,00, para despesas de contrato n¬ļ 036/2011, que versa sobre constru√ß√£o de banheiro, sala para telefonista, coloca√ß√£o de cer√Ęmica e levantamento de parede no setor de Finan√ßas e de Almoxarifado atrav√©s do Gabinete do Prefeito. Nada a ver com quem executava a obra no momento da den√ļncia, √©? Esse valor, em termos de obras p√ļblicas e do que est√° previsto para executar e j√° foi executado, √© raro e bem abaixo de mercado. Isso sim √© economia.
- O denunciante terá que contratar um especialista em quebra-cabeças, antes do soar do gongo, anunciando o fim do primeiro round.

Em Camelot
Da série Conte um Conto, o rei, sua corte e a discreta produtora das brumas que cobrem os segredos de Camelot. Conta a história, nossa de cada dia, que em um passeio ao novo reino, em Camelot, a "discreta" sentou-se à mesa (quadrada) com alguns Cavaleiros do Rei e iniciou um combate mortal entre si, ou seja, a discrição contra a própria indiscrição; venceu a indiscrição e a até então discreta responsável pelas brumas que cobrem Camelot falou dos seus desafetos imaginários, ditos incapazes de derrubar os seus poderes, conquistados com a Espada Excalibur, cedida pelo rei a título de empréstimo. E Guinevere foi até a Cantina do Travessão para saborear os petiscos e não se conteve quando alguém citou algo sobre um certo papirus que circula em Camelot.
- Igualmente, 'fico feliz que não faça outra coisa...' nem na hora da "bóia".

Férias
A "assessora de vozes fictícias" do Parlamento Nobrense teve uma noite de cão em 31 de maio, após exaustivas quatro horas de leitura de documento. Um ouvinte da rádio ligou-nos, em pleno andamento da sessão legislativa, para recomendar que se desse um copo d'água à moça e um clique na tecla "pausa", sob risco de leve infarto ou falta de ar. Após a reunião de ontem, Raquel entrou com pedido de férias... vai passar uns dias no Paquistão para se refazer dessa trabalheira toda. Raquel, mesmo com tanto trabalho, se manteve calma e até ajudou ao vereador Silvestre na correção de um tal "lacionograma", e Raquel disse: "lotacionograma".
- Um mês sem Raquel e que lazer/prazer ela encontrará no Paquistão? Buuuuuummm!!!!!

Vende-se...
...um ex√≠mio batedor de penalidades m√°ximas. A m√©dia desse batedor √© excepcional e costuma acertar uma a cada 300 tentativas. No jogo decisivo do quadrangular para veteranos, entre Jardim Gl√≥ria e Bahia, o craque em apre√ßo ficou com a √ļltima penalidade para o Jardim Gl√≥ria... l√° vai Baiano, correu, bateu... pr√° foooooora, garotinho. Nada a ver, Palermo da Argentina, errou tr√™s em uma s√≥ partida. E o JG naufragou, para alegria do presidente Cleberson e do xar√° Baianinho (Agnaldo).
- O passe de Baiano está à venda, mas com recomendação, só para clubes do Cazaquistão. Vai bater pênalti lá longe... da trave, de Nobres e das vistas de Baianinho.

Promotora/Den√ļncia
Em Pocon√©, terra natal de um vereador de Nobres, o Minist√©rio P√ļblico Estadual (MPE) acionou o prefeito eleito ap√≥s a cassa√ß√£o de um outro (Dami√£o), eleito em 2008. A promotora de Justi√ßa, que j√° passou por Nobres, Taiana Castrillon Dionello, "requereu perda do mandato do gestor, bem como suspens√£o dos direitos pol√≠ticos, ressarcimento do dano material causado ao munic√≠pio e pagamento de multa civil", segundo a not√≠cia. O prefeito, conhecido como Tico de Arlindo ou Arlindo M√°rcio de Morais, violou "comando constitucional que pro√≠be e utiliza√ß√£o da m√°quina administrativa visando o auferimento de proveitos pessoais dissociados do interesse p√ļblico" em informativo municipal.
- Nada a ver com entrevista em rádio, que é bem mais complicado. Fonte: Olhar Direto.

Tentativa de Definição
Por algumas movimenta√ß√Ķes que est√£o percept√≠veis no ar, v√£o buscar um culpado para as den√ļncias sobre a atividade paralela do prefeito Jos√© Carlos da Silva que exerceria a sua atividade pol√≠tica e administrativa at√© as 13:00 horas e ap√≥s esse hor√°rio exerceria a Medicina. Pe√ßas se movem no tabuleiro e daqui mais alguns dias v√£o criar um cen√°rio favor√°vel ao prefeito m√©dico, colocando-o como v√≠tima do sistema pol√≠tico, de acordo com uma fonte palaciana.
- De onde vem essa proposta? Mas, e se o √≥rg√£o competente acatar a den√ļncia? N√£o seria um tiro na √°gua?

Derradeira
Às turras com as principais lideranças políticas locais, o prefeito José Carlos da Silva estaria em rota de colisão com o vice prefeito Ismael Baraviera. Era o que faltava e se não for aparada mais essa aresta, o governo pode sofrer de esvaziamento e ninguém vai querer estar ao lado do que sobrar do governo, mesmo com a caneta na mão. A mais recente tentativa governista vai ser a colocação do contador José Pereira de Sousa, o Ceará, no cargo de chefe do Gabinete Institucional do Governo Zé Carlos. Fomos os primeiros a anunciar essa possibilidade e vai ser mais uma tentativa do governo em se aproximar da comunidade e servirá para tentar melhorar os indicadores de popularidade, do prefeito e não do governo.
- Vem aí, o remake de "O Último Tango em Paris" e o governo estará "A Um Passo da Eternidade".

Relev√Ęncia
Nunca o vice teve tanta import√Ęncia como agora na estrat√©gia pol√≠tica. Todos querem ser vice. E o PP (Partido Progressista) j√° se antecipou e vai de chapa pura, com dr. Z√© Carlos e a vereadora Zilmai de vice, foi a percep√ß√£o que a popula√ß√£o de Nobres teve durante a fala da vereadora quando ela foi a tribuna da C√Ęmara para falar sobre as obras de asfaltamento no bairro Jardim Petr√≥polis. Ela apontou que "foi enrolada" por um secret√°rio de governo municipal e quando foi saber, j√° tinha at√© a empreiteira vencedora e um vereador circulando pelo local onde ser√° pavimentado. Mas vai ser vice mesmo assim.
- H√° uma luz no fundo do t√ļnel e o governo v√™ esse sinal luminoso vindo em sua dire√ß√£o.

N√£o Gostou
O ex-vereador Edison Luiz Pinto, o Pre√°, que presidiu o Parlamento entre 1995 e 1996, presente √† reuni√£o de 31 de maio, n√£o gostou do que viu e apontou que no seu tempo: "m√©dico era s√≥ para cuidar da sa√ļde das pessoas, e bem". Hoje, disse (in off) Pre√°, eles mordem e assopram e os vereadores ficam caladinhos. A quest√£o √© a seguinte, n√£o h√° guerra contra ningu√©m, mas a popula√ß√£o de Nobres quer ser atendida bem e tem esse direito. O atendimento m√©dico (ambulatorial/hospitalar) tem como um dos fatores as doen√ßas respirat√≥rias e as causas j√° s√£o bastante conhecidas, mas uma delas chama a aten√ß√£o: "onde n√£o houver poeira, que eu leve o asfalto e pronto, l√° estar√° a poeira em part√≠culas (ultra-fina) de pedra britada".
- Pronto, falei caro camarada Pre√°. Que se atenda 10, 20 ou 30, mas que sejam todos bem atendidos.

Tornados...
... em copo d'água, é isso que vem ocorrendo no Parlamento de Nobres a partir da criação da seção (atenção, esta é parte de uma repartição!) de efeitos especiais. A crise de vaidades e uma guerra desenfreada por poder tem levado os vereadores a um clima de tensão de imprevisível desfecho. O vereador Silvestre Campos para estar na linha de tiro da OTAN e vem sendo bombardeado constantemente. Na sessão de 31 de maio, foi alvo de ataques dos famosos F-18 e dos mísseis de longo alcance. E nem estamos em ano político ainda. Silvestre tem sido um bom sparring dos colegas e parece decidido a agir como um monge budista ou um parlamentar zen.
- O "bunker" do governo pode ser explodido e a base aliada tem sido perita no tal do 'fogo amigo'. Mau sinal.

PCCS Aprovado
O PCCS foi aprovado, bonitinho, com pontos positivos para os sindicalistas, para os vereadores e para a a√ß√£o salutar e participativa do controlador interno, Alysson Oliveira, que vai exercer papel fundamental na avalia√ß√£o das pol√≠ticas p√ļblicas implementadas pelo governo. Os vereadores de hoje e os do amanh√£ ter√£o no controle interno o elo que andava perdido. Guindado ao status de secret√°rio de governo, o Coordenador de Auditoria de Controle Interno, obviamente, que n√£o vai querer jogar para o ar o concurso p√ļblico ao qual se submeteu e foi aprovado. Da√≠, a sua boa rela√ß√£o com todos os setores da comunidade sem nunca querer (e nem poder) poupar o governo. Merece respeito o representante do Controle Interno e se disse aberto a quaisquer esclarecimentos que o cidad√£o precisar.
- O elo, que andava perdido, foi reencontrado.

Email/Contradição
A uns, diz-se que não perde tempo lendo o jornal local; ao jornal, repassa email agradecendo por não termos outra preocupação senão falar mal de si. Quando se é "professor" na área de atuação e chega para botar ordem na casa, para disciplinar os aborígenes da ilha, é preciso ouvir, ver e ler sobre certos fatos e realidades locais. Ninguém aqui é tão leigo que não saiba aonde pisa. Mas nada que se faça por aqui foge da normalidade e do respeito ao profissional que se posiciona igual aos seus semelhantes, afinal, não se trata de luta de boxe, onde o boxeador é ranqueado por suas vitórias e conquistas no ringue. A propósito, seja bem vinda ao mundo real e receba os nossos mais respeitosos cumprimentos por tão brilhante trabalho e por ter ultrapassado a fase mais difícil, que é a chegada e o reconhecimento da nossa modesta ilha, feita de pessoas de carne e osso, que não tem nenhuma pretensão de ser mais realista que o rei.
-¬† Ufa! Enfim, conseguimos chamar-lhe a aten√ß√£o, mesmo estando em alto pedestal, e n√≥s, c√° embaixo. Sauda√ß√Ķes e sucesso no seu trabalho. Com os nossos respeitosos cumprimentos profissionais e at√© mais ver.

Riva/Alfinetada
No domingo, 29 de maio, por volta das 11:00 horas, com permanência até por volta das 13:00 horas, o deputado José Riva visitou o assentamento Forquilha do Rio Manso, em Rosário Oeste, em companhia do prefeito de Acorizal e presidente da AMM (Associação Mato-grossense de Municípios), Meraldo Figueiredo de Sá, onde foram recepcionados pelos assentados e pelo líder rural Tito da Forquilha, pela vice-prefeita de Rosário Oeste, Tetê. Riva foi elogiado e elogiou notadamente ao companheiro de partido Gilmarzinho da Ecoplan, a quem aludiu ser "pessoa da minha confiança". Riva aproveitou a ocasião para alfinetar o prefeito de Nobres ao dizer: "O prefeito disse querer vir para o PSD, partido que Gilmarzinho está me ajudando a fundar, mas para isso acontecer, só com autorização do nosso companheiro Gilmarzinho", anunciou aos presentes sobre o prefeito de Nobres.
- Se é o Riva quem disse como não acreditar.

Tietagem Explícita
Os filhos de uma assessora da Prefeitura de Nobres, presentes na Forquilha, fizeram questão de posar para vários cliques ao lado de Gilmarzinho da Ecoplan em tietagem explícita ao virtual candidato a prefeito de Nobres. Mesmo que ninguém tenha dons premonitórios, mas a tietagem é um sinal evidente de que nem tudo são maravilhas na Terra de Alice. Admirador explícito dos livros de Sidney Sheldon e dos sugestivos títulos que as suas obras literárias recebem, aprendi a gostar do primeiro de uma série, já lidos e tem tudo a ver com o futuro do atual governo.
- Se Houver Amanhã... e pode realmente não haver com a inocente tietagem sobre a concorrência, ela crescerá.

Prefeito x Informação
O prefeito Jos√© Carlos da Silva, se ningu√©m ainda n√£o observou, est√° em plena campanha atrav√©s do r√°dio, e se d√° ao luxo de se confundir entre o prefeito e o profissional m√©dico. √Č como diria aquele fil√≥sofo da Princesinha do Tombador: "uma coisa √© uma coisa, outra coisa √© outra coisa". Entre um e outro a dist√Ęncia √© diametralmente oposta e isso o tempo se encarregar√° de dizer e a tese refor√ßa-se com o que disseram no palanque da candidata governista, na campanha de 2.008: "poderemos ganhar um prefeito ruim e estar perdendo um excelente m√©dico".
- Bem, a história e as urnas farão esse julgamento.

Prefeito x Informação II
O prefeito tentou desqualificar a informa√ß√£o contida no jornal local sobre a ponte do C√≥rrego das Porcas, que anda feia. J√° o vice-prefeito Ismael Baraviera, teve a preocupa√ß√£o de informar que a ponte na MT-241 foi vistoriada e que as informa√ß√Ķes est√£o de posse do vereador Silvestre que inclusive busca apoio na Sinfra para resolver o problema. Ela (a ponte) existe e est√° l√°, a oito kms da chegada do "point" tur√≠stico e lavar as m√£os nunca resolveu o problema de ningu√©m. Menos mal que a zona rural tem o candidat√°vel Silvestre Campos para ver e certificar-se da realidade.
- Excelência, cuidado com os adjetivos de hoje, amanhã eles virarão linguagem vulgar, tal como a citação "turma da panelinha". Ah! Obrigado pela leitura do jornal.

Prefeito x Informação III
Porque n√£o usar o r√°dio para informar a popula√ß√£o de Nobres sobre uma onda de fala√ß√£o sobre suposta discuss√£o entre prefeito e vice-prefeito. Est√£o falando mal do "Fazendeiro" e as informa√ß√Ķes saem de dentro do governo e elas precisam ficar claras, seu Ismael Baraviera tem um nome a zelar. As informa√ß√Ķes que saem de dentro do governo tentam desqualificar o companheiro que sempre foi Ismael. Que mania feia, chutar companheiros que ajudaram na elei√ß√£o como se chuta a um cachorro morto.
- O Doutor e o Fazendeiro, nem o autor da letra e da m√ļsica foi poupado. O hit preparado pelo cantor Josu√© tamb√©m fez sucesso e Josu√© tamb√©m foi chutado pra escanteio. Aos inimigos, tudo. Aos amigos, ao inv√©s de p√£o se oferece pedras.

Imbróglio
A vocação governista para o envolvimento em problema é qualquer além do normal. Agora, consta que um concursado para o cargo de vigia, cujo nome não aparece na lista da zona rural, com pontuação menor que outros, foi convocado para a zona rural sendo que o seu nome estaria na lista dos aprovados para a zona urbana. Vai entender as exigências do edital e isso cheiraria a pedido de algum político. Alguém há de chiar com mais este impasse. Um passo em direção à solução seria mais difícil que dois rumo a mais um problema?
- Será que só nós temos um olho nesta terra?

Rabo Preso
O pretenso e hilário rei da mídia regional, muito dado ao bate-boca, feito uma comadre briguenta na lavagem de roupa à beira rio, costuma apontar quem tem rabo preso com políticos. Ter o "rabo preso" terá sido melhor que o "rabo solto", daqueles que qualquer um chega e "atocha", não é mesmo? Houve um tempo em Nobres que o prefeito fez distribuir carta de aforamento para muita gente e olha que tinha gente boa na lista e até um mapa(zinho), o tal memorial descritivo com uma assinatura famosa. Bastante generoso, Devair Valim se tornou inesquecível em Nobres e nem por isso não foi contestado.
- Rabo preso e rabo solto... cada qual com a sua preferência, né!? Hehehehe.

Rabo Preso II
Por volta do segundo semestre de 2009, o do rabo preso aqui, sugeriu (e assim foi feito) que se abortasse uma a√ß√£o radical urdida em um pal√°cio governista, de filmar uma certa figura da comunica√ß√£o em festins em uma certa casa. O resultado ia parar na internet e por respeito √† atividade profissional, sugerimos que n√£o se fizesse tal armadilha para manchar a reputa√ß√£o dessa pessoa. Por sugest√£o de algu√©m √©tico, foi abortada a lend√°ria "Opera√ß√£o R√īmulo e Remo". O respeito profissional vai al√©m dos bate-bocas, das mentiras deslavadas acerca de um jornalismo isento e de uma prega√ß√£o de bonzinho que ningu√©m nunca foi. O fundador de Roma e seu irm√£o sobreviveram em uma cesta atirada no rio Tibre. Quem foi o fundador de Roma e seu primeiro rei? Ah! T√° bom de hist√≥ria, n√©! Chato ter nascido h√° dez mil anos atr√°s...
- ... ninguém atira pedras em árvores que não dão bons frutos, não é... meu rei? Algumas árvores dão 2.000, outras 3.000 e outras 3.500 frutos (contados nos pés); a que dá menos frutos seria a que causaria mais inveja?

Fen√īmeno Nobrense
Antigamente, quando a TV n√£o era colorida, muita gente lucrou com aqueles badulaques pendurados na frente da tela, ou seja, sobre a tela aquele papel colorido. Naqueles idos anos, era "tchique, no √ļrtimo". Agora, a tela da tev√™ ficou branca e parecida com uma lousa, onde pode se escrever: "Parab√©ns, Nobres, entramos na era dos pavimentos asf√°lticos que matam". As doen√ßas respirat√≥rias e os problemas renais que eram a identidade de Nobres perante os m√©dicos da capital, agora, ganhou mais um elemento da moderna alquimia, o asfalto lav√°vel.
- Sr. Secretário de Turismo, diga-nos, esse asfalto é ecologicamente correto? Combina com os nossos sonhos turísticos? E depois, nós é que falamos demais.

Aplausos & Aplausos
O secret√°rio de Turismo, em n√£o sendo da pasta de Obras, n√£o tem o que falar sobre asfalto, mas que a quest√£o √© lament√°vel, isso √© realidade. De outro lado, seria sugestiva a proposta de conceder Mo√ß√£o de Aplauso ao secret√°rio Andr√© Avelino Bezerra por tudo o que ele vem fazendo pela cultura local, h√° que se reconhecer isso. Outras concess√Ķes semelhantes seriam endere√ßadas a Jeferson e Sirlene, do Ponto de Cultura, pela insist√™ncia do casal em promover a cultura local e regional; e ainda ao violeiro Anderson Viola pelo que ele faz pela cultura local e pela preserva√ß√£o da viola caipira em tempos de invas√£o do sertanejo eletr√īnico e aquela parafern√°lia cibern√©tica na m√ļsica.
- O artista e os atores culturais precisam de reconhecimento e do aplauso de todos. Analisemos o que nos ensina a bailarina russa Anna Pavlova/1882-1931: "Ninguém pode chegar ao topo armado apenas de talento. Deus dá o talento; o trabalho transforma o talento em gênio".
Escreveu n√£o Leu... II
... saiu errado. Disciplinar o jornalismo local seria o objetivo de algumas pessoas, segundo of√≠cio dirigido √† reda√ß√£o deste jornal. Todavia, ter√° sido melhor a observ√Ęncia do que sai do governo como informa√ß√£o, por exemplo: O nosso objetivo √© criar uma imagem positiva do nosso turismo, gerando uma curiosidade nas pessoas que n√£o s√£o daqui e, consequentemente, atra√≠-las para nossa cidade e por entendermos que a popula√ß√£o tem que participar de todas as a√ß√Ķes executadas pelo Munic√≠pio, resolvemos realizar este concurso, que com certeza ter√° a participa√ß√£o massissa (grifei) da popula√ß√£o, afirmou o prefeito.
- O texto acima, aludido ao prefeito, figra no site da Prefeitura de Nobres e está sem a devida assinalação (abre aspas e fecha aspas) sobre quem realmente se pronunciou sobre o fato e depois, o que é massissa? O que é grafia? E nós que nem somos de Harvard.

Escreveu n√£o Leu...
...saiu errado. A Prefeitura de Nobres publicou no jornal eletr√īnico da AMM a renova√ß√£o de contrato de um servidor que faz APREEN√á√ÉO (fiquei apreensivo com a grafia) de animais vivos e soltos na √°rea urbana no munic√≠pio de Nobres (mais apreensivo ainda com o conjunto da obra). Esse contrato √© reformado h√° anos e nunca ningu√©m viu ou presenciou essa presta√ß√£o de servi√ßo. H√° quem j√° tenha visto rastro de cobra e at√© couro de lobisomem...
- ...já  a apreenção, nem com C Cedilha e nem com S. Nóis é burro mas num cai no laço.

Lançado o PGA
Abordado em conversas com o entendimento das vozes do povo, o eco que vem das ruas, ficamos sabendo que acaba de ser lan√ßado em Nobres o PGA (Programa de Geada Artificial). As casas amanhecem com os telhados branquinhos, as cal√ßadas esbranqui√ßadas, fruto de um modismo que est√° nascendo por aqui, as geadas artificiais, produzidas a partir da fus√£o de micropart√≠culas de pedra calc√°ria e pedra britada, com o uso de acelerador de part√≠culas para a provoca√ß√£o de uma gama maior de doen√ßas respirat√≥rias. √Č o "big bang" produzido no laborat√≥rio aqui da sucursal da Nasa (Nada a Acrescentar S√≥ Areia... nos olhos de quem n√£o quer ver).
- Estamos no Atacama... esse deserto de desprezo √† sa√ļde do povo. Ao inv√©s de ar puro, p√≥ de calc√°rio para o povo respirar. Se essa rua fosse minha...

Nobresloche
Madrugadas frias e durante o dia as casas tomadas pelas camadas finas de um p√≥ branco, isso faz lembrar Bariloche (que n√£o conhe√ßo e s√≥ vi no filme de Mazaroppi), cidade para onde se refugiavam e ainda refugiam magnatas e maraj√°s. Por aqui n√£o √© neve n√£o, √© p√≥ de calc√°rio, mesmo, resultante de asfaltamento nas ruas. Se vivo, o arquiteto romano Marcus Vitruvio Pollio ficaria chateado com o novo modelo de pavimento asf√°ltico, sem se vislumbrar ao menos um palmo adiante do nariz a quest√£o mais interessante da obra: as pessoas que moram na cidade. Leigos em engenharia e menos entendidos de pneumologia ou das doen√ßas respirat√≥rias, os burros daqui ao menos sabem que p√≥ de calc√°rio, de alguma forma faz mal aos pulm√Ķes.
- Ah! Quanta saudade de Tom: "√Č pau, √© pedra, √© um resto de toco, √© um pouco sozinho; √© um caco de vidro... √Č o fundo do po√ßo, √© o fim do caminho
No rosto o desgosto, é um pouco sozinho". Tamo fu...

√Č Mentira!!!
O vereador Manoel Fermino Pinho (DEM) saiu em defesa dos vereadores durante a sess√£o ordin√°ria da C√Ęmara Legislativa, realizada em 13 de maio. De acordo com Fermino, nenhum vereador dentre os nove titulares estaria contra ou atrapalhando a aprova√ß√£o do PCCS (Plano de Cargos, Carreiras e Sal√°rios). Ao contr√°rio do que foi ao ar em uma emissora de r√°dio, s√°bado, 21 de maio, de que este ou aquele vereador estaria contra o PCCS, o presidente j√° havia se antecipado ao que viria e DESMENTIU com todas as letras, em n√ļmero de nove, qualquer argumenta√ß√£o nesse sentido.
- Nada como o Pincel do Tempo para moldar o Homem Vitruviano e tornar-se Manoel Da Vinci.

Ele é Impressionante
Nem Diogo Mainardi, nem Ricardo Noblat e menos ainda Gaud√™ncio Torquato, o meu voto vai para Arnaldo Jabor. Hoje, seu coment√°rio tem o sugestivo t√≠tulo: "O discreto charme da corrup√ß√£o", onde ela descreve as maravilhas desse mundo materialista e coloca a mentira no auge e como figura central nesse ambiente tomado pela corrup√ß√£o a partir de Bras√≠lia. Veja parte do que escreve Jabor: "Passei a ostentar uma dignidade grave, uma cordialidade de discretos sorrisos, vivendo o doce "frisson" de me sentir superior aos med√≠ocres honestos que se sentem "dignos"; digno era eu, imp√°vido, mentindo, pois a mentira √© um dom dos seres superiores. A mentira √© necess√°ria para manter as institui√ß√Ķes em funcionamento. O Brasil precisa da mentira para viver. E vi que √© inebriante ser cruel, insens√≠vel, ignorar essas bobagens como a raz√£o, a √©tica, que n√£o passam de luxos inventados pelos franceses, como os "escargots"."
- Nada que o mais simples mortal não conheça.

The Future
O vereador Bacalhau anda bastante entusiasmado com o governo, ao ponto de se lan√ßar na aventura de prever o futuro. Ao melhor estilo dos Reis Magos, um foco de luz de uma c√Ęmera de v√≠deo serviu ao vereador para que ele tivesse a vis√£o de que o atual prefeito seria eleito em outubro de 2008. Contrariando a pr√≥pria premoni√ß√£o, o ent√£o candidato a vereador Bacalhau insistiu na elei√ß√£o daquele que perderia por 44 votos de diferen√ßa; gra√ßas a um enorme cortejo de seguidores que elegeram o ent√£o "iluminado" por√©m desconhecido integrante de uma tal "panelinha", bastante difundida em carros de som pelas ruas da cidade, e este venceu e depois despediu aos seus sect√°rios.
- Bem, depois que terminou o jogo entre Santos e Corínthians e quando no placar se via 2 a 1, fui tomado de impressionante luz me dizendo: "o Santos ganhará..." e não é que ganhou. Eram os refletores, ainda ligados.

Coisas da Internet

Ontem, minha esposa e eu estávamos sentados na sala, falando das muitas coisas da vida. Falávamos de viver ou morrer. Então, eu lhe disse: - Nunca me deixe viver em estado vegetativo, dependendo somente de uma máquina e líquidos. Se você me vir nesse estado, desligue tudo o que me mantém vivo, por favor! Ela se levantou, desligou a televisão, o computador, o ventilador e jogou minha cerveja fora.

- Surpreendeu-me essa 'submiss√£o' da esposa?!

Nova Sigla

A composi√ß√£o da Comiss√£o Provis√≥ria do PSD (Partido Social Democr√°tico) j√° est√° definida e √© a seguinte: Jos√© Riva ‚Äď Presidente; Roberto Dorner ‚Äď 1¬ļ vice; Walter Rabello ‚Äď 2¬ļ vice; Chico Daltro ‚Äď Secret√°rio Geral ; Airton Portugu√™s ‚Äď 1¬ļ tesoureiro ; Meraldo S√° ‚Äď 2¬ļ Tesoureiro. H√° mais fun√ß√Ķes e nomes entre vogais e membros da provis√≥ria, mas o PSD, por seus novos nomes, tem pressa e conta com a ades√£o de prefeitos e vereadores, de empres√°rios e profissionais liberais para a cria√ß√£o de uma nova identidade pol√≠tica em n√≠vel nacional. Em Nobres, o PSD j√° conta com centenas de assinaturas e nasce forte.

- O deputado José Riva deve convocar muitos nobrenses para a formação da nova sigla por aqui.

Conceito
Alguns evang√©licos, em emiss√£o de opini√£o meramente pessoal, demonstram insatisfa√ß√£o com fatos que est√£o se tornando cada vez mais recorrentes em Nobres acerca do t√£o comentado homossexualismo a partir do que tem colocado o deputado federal Jair Bolsonaro e mais recentemente o senador capixaba Magno Malta, em Cuiab√°. Tanto os evang√©licos quanto os citados pol√≠ticos s√£o contra as rela√ß√Ķes afetivas entre pessoas de mesmo sexo e s√£o cada vez mais recorrentes os coment√°rios sobre a cidade de Nobres se tornar sede de evento desse segmento, que ainda √© minoria. As cidades interioranas ainda se escandalizam e discriminam esse tipo de evento embora as representatividades das igrejas evang√©licas n√£o manifestem opini√£o p√ļblica contr√°ria.
- Tem governos com gente de not√≥ria especialidade para envolvimento com situa√ß√Ķes que s√≥ geram imbr√≥glios.

Premonição
Nada a ver com discrimina√ß√£o ou qualquer fato semelhante, contudo, alguns vereadores marcaram viagem para s√°bado (21/05), preferindo estar longe e sem nenhuma vincula√ß√£o com o evento realizado naquela data. Isso √© que √© estar de olho no futuro e de outra forma, √© manter dist√Ęncia dos temas pol√™micos e que suscitem entendimentos outros sobre o trin√īmio "poder/pol√≠tica/religi√£o". Com um olho no rato e outro no queijo, quem tem mais votos a oferecer, o segmento evang√©lico ou os membros do movimento GLBT local? Da√≠ alguns parlamentares se manterem longe de pol√™micas e deixarem expostos os primeiros sinais de que o governo local pode ficar desguarnecido, bem mais cedo que se imagina.
- Para mau entendedor, a abordagem é sobre Nobres, viu? E agora, o povo de Nobres, cidade de pouco mais de 15.000 habitantes, seria atrasado ou conservador?

Bastidores
Desfile realizado no Clube Cisne Branco, na noite de 21 de maio, teve bastidores inimagin√°veis, com alguns lances realmente s√≥ poss√≠veis de serem descritos por quem estava por perto. Pra l√° do meio da noite, a coisa ficou liberada e a√≠..."abra suas asas, solte suas feras...", dizia aquela m√ļsica dos anos 80. Quem n√£o devia tomar umas e outras, tomou e amanheceu no domingo com aquela cefal√©ia p√≥s-alco√≥lica (ressaca, no popular) das brabas.
- N√£o fui, n√£o vi, n√£o posso falar, mas quem viu, gostou. "Nooofa... foi de arravar".

Mistérios na Manhã
A sexta-feira n√£o era 13 e sim 20 de maio, mas algo estranho pairava no ar do universo governista naquele dia, pela manh√£. Um servidor palaciano nos confidenciou que o estado de humor de alguns chef√Ķes n√£o eram dos melhores, n√£o bastasse a correria, e n√£o era mau humor figadal... aqueles que ocorrem por conta de cervejotas, de u√≠sques paraguaios e Velho Barreiro. O que seriam ossos do of√≠cio virou "ossos da burocracia".
- De dons premonitórios, vovó já se adiantou: "isso não vai acabar bem".

Efetivação
Em Cuiab√°, ap√≥s 11 anos de lutas, os Agentes Comunit√°rios de Sa√ļde (ACS) foram efetivados sob a √©gide da Lei Federal 11350 e com a participa√ß√£o do deputado federal Valtenir Pereira. Em Nobres, o PCCS foi retirado de pauta para readapta√ß√£o ap√≥s reclames de algumas classes. Voltou para o Executivo e deve ser melhorado, mas o vereador Manoel Fermino Pinho foi bastante realista quando disse que n√£o h√° um √ļnico vereador contra o projeto de lei do PCCS. O PCCS servir√° para melhorar a vida do trabalhador, mas dentro do governo alguns funcion√°rios tamb√©m precisam entender que a popula√ß√£o espera melhor presta√ß√£o de servi√ßos.
- O fen√īmeno das OS assombram o funcionalismo no Estado e na Prefeitura de Cuiab√° e trabalhar √© preciso.

Naufragou
O que ser√° que ocorre que ningu√©m consegue quebrar a hegemonia do time de Cati√ß√°, campe√£o por diversas vezes seguidas? Seria a tabela da competi√ß√£o ou seria o elenco do time vencedor que √© mais robusto? O Jardim Gl√≥ria vencia por 3 a 0, cedeu o empate e a decis√£o foi para as penalidades; jogaram a responsabilidade para um flamenguista e este pensou que o goleiro era o do Cear√°, tentou bater com paradinha e nossa c√Ęmera lenta registrou a cagada... enterrou o time.
- Quem foi o batedor? Ganha um dia de passeio (a pé) pelo bairro São José, pelas ruas asfaltadas, quem adivinhar o batedor de pênalti, com paradinha.

Processos/Debate
O ex-presidente da AMM (Associação Matogrossense de Municípios), Pedro Ferreira, em recente entrevista a um sítio de notícias reclamou de que os problemas da maioria dos prefeitos é quando estes se tornam ex-prefeitos e começam a "cair" os processos no "lombo" dos mesmos. A questão em debate foi dirimida pela sugestão de um internauta que disse: "esta preocupação só será amenizada o dia que pelo menos os ocupantes de cargos de confiança também respondam pelos problemas que surgirem após o término do mandato, uma vez que na maioria das vezes são os maiores responsáveis".
- Cabe ao Tribunal de Contas do Estado de MT a cria√ß√£o de mecanismos de responsabiliza√ß√£o dos agentes p√ļblicos que auxiliem os prefeitos e que at√© agora saem ilesos e s√≥ sobra para o "fiof√≥" dos ex-prefeitos.

Ciumeira
Contam alguns "estoriadores" que h√° uma briguinha antiga entre livramentenses e poconeanos e dessa cis√£o surgiu uma piada. O poconeano, com um caminh√£o cheio de bodes, matutava sobre como ia passar com a sua carga para vender em V√°rzea Grande. Deixou para fazer o transporte a noite, quando se realizava um com√≠cio em "Vaj√ļ", e partiu com a bodaiada, n√£o sem antes colocar bon√© de candidato na cabe√ßa de cada um dos bodes, supostamente, com o n√ļmero 1515. Um guarda parou o caminh√£o, com a cabe√ßa cheia de Jamel, e perguntou: "pra onde c√™ t√° indo seu mo√ßo?" O esperto fazendeiro de bodes respondeu: "t√ī levando esse povo para um com√≠cio seu guarda...". N√£o satisfeito e meio "borracho", o guarda foi verificar a carga e disse ao caminhoneiro: "...√īrra, nunca vi tanta gente feia como em Livramento. Pode ir!".
- Papo de gabinete, enquanto se esperava para falar com um político.

"Nobreswood"
No dia 01 de maio, durante almo√ßo patrocinado pela anfitri√£, Prefeitura de Nobres, no Clube da Melhor Idade, a pessoa mais paparicada era a jornalista Lauristela Guimar√£es, produtora e editora da bela revista Camalote. Repousava em uma mesa, l√° num canto qualquer, sem nenhum tratamento especial, aquele que se julga a √ļltima bolacha de um √ļnico pacote existente em toda a regi√£o M√©dio Norte, dado a abrir e fechar sucursais em todas as cidades e tamb√©m bastante dado a preocupa√ß√£o com o que faz a concorr√™ncia.
- Quando a concorrência é forte, não enfrenta, antes, prefere o anonimato.

Curral?
Acerca da cita√ß√£o de que Nobres se parecia com um curral, de uma opini√£o s√≥, temos aqui em nossos arquivos uma edi√ß√£o da revista Carta Capital, onde o jornalista Leandro Fortes aponta onde existe um curral de verdade. Dado a picuinhas com concorrentes imagin√°rios na regi√£o, um certo jornalista costuma soltar piadinhas sobre uns e outros, com a pretens√£o de pautar o trabalho de todos e nem imagina ou finge n√£o saber que cada munic√≠pio tem o "coronel" que merece e que a peleja sempre vai existir, apesar dos jornalistas dados a intriguinhas na tentativa de dizimar a esp√©cie e se tornar o √ļnico poderoso no territ√≥rio que abrange 16 munic√≠pios.
- O jornalista Leandro Fortes, da Carta Capital, cita em sua reportagem um neologismo cibern√©tico: "coronelismo eletr√īnico". Isso l√°, porque c√°, as portas do munic√≠pio de Nobres sempre estiveram abertas, mas n√£o havia quem quisesse vir aqui aspirar p√≥ de calc√°rio junto com o povo. Hehehehehe.

Sondagem
Levantamentos qualitativos e quantitativos feitos recentemente apontam para aquilo que estamos pontuando em uma ou outra matéria produzida em nossa redação, á popularidade do governo é baixa, mesmo com todo aparato de mídia que a "engenharia" política dos "news" governistas está produzindo. Ninguém é inimigo pessoal e nem político do prefeito José Carlos da Silva, mas dizer que a popularidade da sua administração é preocupante, isso, no mínimo, faria acender uma luz vermelha em qualquer governo. A percepção de realidade está aqui, entre os moradores de Nobres, e isso precisa ser avaliado.
- Acorda dr. Zé Carlos!

"A Voz de Nobres"
Ou a resposta popular parece que está se confirmando e está na voz do povo, ou aquilo que algumas pessoas pensam e passam ao chefe de governo é que está errado. Das duas é uma. E a "Voz de Nobres" será que terá tamanha força para fazer com o que o governo atual ressurja das cinzas com as medidas antipopulares que estão sendo tomadas? Não é a voz de Nobres e sim a voz do povo de Nobres que ecoa nos resultados de sondagens para consumo interno que apontam para a correção de rumos do governo. Por sugestão de quem que o prefeito começou a ouvir os presidentes de bairros? Adivinhem.
- A "Voz de Nobres" é aquela que saia de trás dos palanques de campanha improvisados, quando o então candidato se mostrava perdido em meio ao povo que queria ouvir o que o candidato tinha para falar.

"A Voz de Nobres" II
"A Voz de Nobres" saia dos est√ļdios improvisados na resid√™ncia de Josu√© Mendes e ecoava atrav√©s dos textos redigidos que eram levados ao ar ao livre arb√≠trio daqueles que recebiam o CD gravado e que muitas vezes os programas foram repetidos ao ar . "A Voz de Nobres" soou forte e abalou as estruturas do advers√°rio quando uma segunda rodada de pesquisas foi publicada pelo jornal local, que nunca recebeu pela publica√ß√£o da pesquisa.
- Mais uma vez, vale reiterar, dr. Zé Carlos corrija os rumos do seu governo e evite um desastre nas urnas.

Tragédia Grega
S√£o tantas emo√ß√Ķes que ficaram para tr√°s ainda por conta dos bastidores dos shows no anivers√°rio de Nobres. O candidat√°vel Joa Costa, atual Diretor do Departamento de Esporte e Lazer, tem ao menos um voto seguro caso saia candidato. Ele salvou a vida de uma pessoa que por pouco n√£o toma uma enxadada na cabe√ßa n√£o fosse √† interven√ß√£o de Joa. Seria coincid√™ncia demais, justamente aquele elemento que andava amea√ßando a todos com a afirma√ß√£o: "cabe√ßas v√£o rolar..."; ele que por pouco n√£o teve a cabe√ßa amassada. Esse... e a sua forma de trabalhar, √© o chamado "derruba candidato majorit√°rio".
- Joa j√° larga na frente com um voto daquele que ele salvou. Essa foi por pouco.

Esclarecimento
Em nenhum momento e em lugar nenhum foi citado que o radialista Nilson Filho informou a este jornal sobre o valor do show de Amado Batista. N√£o citamos nome de ningu√©m e temos a nossa fonte informativa, contudo, sabe-se que o show do cantor, fora as polemiza√ß√Ķes sobre o assunto, estaria na faixa dos 110 a 130 mil reais, conforme fomos informados, mas em nenhum momento citamos nome do radialista e n√£o citar√≠amos em momento atual, quando o Santos FC acaba de se tornar bi-campe√£o paulista em cima do Cor√≠ntians. Ent√£o, deixa o homem trabalhar em paz, soltando a voz aos seus ouvintes da emissora de r√°dio, que n√£o √© a √ļnica na regi√£o, viu?
- Vai um copo de guaraná ralado aí?

Cuidadosa
Ap√≥s a √ļltima reuni√£o da C√Ęmara Legislativa de Nobres, dia 13 de maio, a vereadora Paula teria recebido convite do colega Silvestre Campos para votar nele em futura candidatura a prefeito. Meticulosa, a vereadora prometeu analisar o convite e foi democr√°tica ao n√£o dizer sim e nem n√£o embora j√° tenha outro nome ao cargo majorit√°rio em vista. Pelo jeito, teremos a terceira e at√© uma quarta via pol√≠tica a caminho de 2012, evitando assim que apenas dois nomes polarizem as aten√ß√Ķes do eleitorado.
- O PR já teria um virtual candidato, é?

História
O suplente de vereador, Jand√£o, que contribuiu com pouco mais de 200 votos dos 3.328 sufr√°gios recebidos pelo prefeito Jos√© Carlos da Silva nas elei√ß√Ķes municipais de 2008, parece n√£o estar tendo a sua hist√≥ria de lutas partid√°rias respeitadas pelos "news" governistas. Ao menos no que se refere ao tratamento que vem sendo dispensado a uma funcion√°ria muito pr√≥xima de Jand√£o, ningu√©m menos que a sua esposa, a senhora Leonice Ferreira, que pode ter a pasta de Fiscaliza√ß√£o e Tributos transformada em coordenadoria. Al√©m de outros fatos negativos que ainda n√£o foram revelados ao suplente de vereador.
- Isso é péssimo para quem pensa em reeleição.

Confus√£o
Depois, √© a gente que fala demais. Como pode o site institucional do governo ser usado para exibi√ß√£o de imagens como se fosse uma p√°gina de relacionamento ou um √°lbum eletr√īnico de fam√≠lia com exibi√ß√Ķes de imagens alheias ao interesse p√ļblico. Muitos dos vereadores n√£o conseguiram subir ao palco onde se apresentaria o cantor Amado Batista, cujo show custou aos cofres p√ļblicos √† bagatela de R$ 116.000,00, mais outros gastos que chegaram a mais de 153 mil reais. Pelas imagens exibidas no site institucional da Prefeitura de Nobres, foi f√°cil a uns e dif√≠cil a outros uma aproxima√ß√£o do √≠dolo rom√Ęntico. J√° pelas fotos no site...
- Um ve√≠culo de m√≠dia oficial, custeado com dinheiro p√ļblico, nem de longe pode ser comparado ao Orkut, n√£o √© mesmo? Meninos, eu vi.

Fim da Linha
Uma fonte palaciana segredou que o atual secret√°rio de Turismo, Andr√© Avelino Bezerra, teria se reunido com o pessoal da pasta e falado em tom de despedida. Seria verdade isso? √Č mais uma baixa que pode sofrer o governo que ainda n√£o se alinhou e n√£o encontrou uma alternativa correta de estar mais pr√≥ximo dos seus representados. Dizer que o secret√°rio da Administra√ß√£o, Cl√°udio Vitalino, recebe cr√≠ticas, internas e externas, √© tanto quanto afirmar que o Coritiba fez mesmo 6 a 0 no tem√≠vel Palmeiras.
- Nem s√≥ de p√£o e circo vivem os s√ļditos do governo. Pra se fazer um bom governo, √© preciso estar pr√≥ximo da comunidade e n√£o acima dela.

Segredo Violado
O prefeito Jos√© Carlos da Silva tem ao seu alcance uma arma de grande poder de alcance e parece n√£o querer utiliz√°-la e se a utiliza, o faz de forma impercept√≠vel. O contador Jos√© Pereira de Sousa √© uma pessoa com capacidade o bastante para fazer a ponte de que tanto o governo necessita com o Legislativo e com os demais segmentos da sociedade. Trata-se de um agente pol√≠tico sem paix√Ķes partid√°rias, √© estrategista e tem bom tr√Ęnsito em todos os segmentos da sociedade. √Č preciso abandonar o orgulho e jogar com a habilidade de quem conhece o tabuleiro e cada lance a ser executado daqui pra frente. H√° um lugar reservado no governo para Cear√° e que a administra√ß√£o do prefeito Jos√© Carlos da Silva tenha essa percep√ß√£o de que precisa mudar algumas conceitua√ß√Ķes internas.
- Poderia evitar de ofertar essa dica, mas... j√° foi dada.

Piadista
L√° da cidade de Preciosa, acaba de chegar √° informa√ß√£o de que o rec√©m chegado na cidade, √Āureo, anda assanhado com a possibilidade de uma cidade vizinha ter ag√™ncia de publicidade para disciplinar a publicidade oficial. N√£o √© uma maravilha, fofa? S√£o farpinhas atiradas de dentro do arm√°rio, talvez, de part√≠culas de ossos de titanossauro, um r√©ptil pr√©-hist√≥rico, predador de garot√Ķes, que habitou a terra a milh√Ķes de anos.
- Oh! Mon Dieu, o quanto ele(a) é intrigante.

Decis√£o
A promotora Ana Carolina Rodrigues Alves Fernandes Ferraz convocou o prefeito Joemil Ara√ļjo, de Ros√°rio Oeste, e recomendou que o seu governo fa√ßa todas as publica√ß√Ķes oficias no jornal local, j√° que o acesso ao jornal eletr√īnico da AMM n√£o √© acess√≠vel a todos os cidad√£os e nem todos tem computador em casa. Ao contr√°rio da decis√£o que tomou a promotora de Ros√°rio Oeste, em Nobres, tudo vai parar no jornal eletr√īnico da AMM e no munic√≠pio a situa√ß√£o √© id√™ntica, nem todos tem computador e por vezes, falta at√© a 'b√≥ia' na mesa, raz√£o porque ser√£o distribu√≠dos mais de 17 mil quilos de alimento √† popula√ß√£o carente.
- A decis√£o passou a ser cumprida fielmente.

Nome Trocado
Um of√≠cio dos vereadores de Nobres, antes de ser enviado, foi verificado que o nome do governador estava grafado erradamente e o vereador Silvestre Campos (PR) percebeu e solicitou a "re-ratifica√ß√£o" do erro. Re-ratifica√ß√£o n√£o seria errar duas vezes mais? Retificar a grafia incorreta seria compreens√≠vel. O colega vereador Joel J√ļnior reconheceu o erro e disse que estava tomado pela emo√ß√£o ao conseguir uma caminhonete L-200 para Nobres.
- √Č como diria aquela letra musical: "Um erro n√£o conserta outro...", segue a√≠ o refr√£o ao sempre simp√°tico parlamentar da Bon Garden.

Farpas & Farpas
Continua uma guerra particular entre alguns vereadores e a coisa est√° indo para as ondas do r√°dio e deixando expostas algumas feridas internas. Isso √© mau para o conjunto da obra e urge a necessidade de se instalar ali, em uma sala uma m√°quina de lavar (tanquinho) para que se coloque a roupa suja na engenhoca e se evite que o desalinho chegue at√© a opini√£o p√ļblica.
- N√£o seria hora de pintar o sete com o Pincel do Tempo?

Preocupação
O presidente do Legislativo, Manoel Fermino Pinho disse que quando andava com pedras na mão não conseguia nada e agora que passou a ser vidraça, tem conquistado muita coisa. Mas não deixa longe o "bornal" com os pelotes e o bodoque embora a sua preocupação seja a mesma, sempre, ao terminar a sua fala... ...quero o meu lugar de volta (na Mesa). Brinca, descontrai e tira o ar sisudo do clima pesado entre alguns colegas.
- Com o seu Pincel do Tempo, ser√° denominado Fermino Da Vinci.

Sem Aviso
Ao menos uma centena de freadas bruscas já ocorreram bem em frente da academia, à av. Marechal Rondon, por conta da existência de uma quebra-molas e de uma pequena camada de brita ultra-fina jogada sobre a pista. Em Nobres, quando se fala em prevenção ou qualquer tipo de aviso, há os que dizem que se está contra o governo. O risco de um acidente no local é iminente e ninguém sabe por que essa brita foi espalhada no local, salvo se for por uma nova maneira de fazer reparos nas ruas, mas há a necessidade da placa indicativa da existência de um quebra-mola no local.
- buy levitra online Informou o "Jornal do Pindura", aquele... do maraj√°.

Menos Um...
...problema a ser administrado, os atletas meia-maratonistas de Nobres comunicam que j√° receberam as devias premia√ß√Ķes pela participa√ß√£o na corrida pedestre de 1¬ļ de Maio. O comunicado verbal foi feito pelo veterano atleta Alziro Xavier, de que no dia 11 de maio (quarta-feira) eles receberam as respectivas premia√ß√Ķes. Por um erro de comunica√ß√£o interna, foi anunciado que todos receberiam na madrugada de 02 de maio, ap√≥s o show art√≠stico, o que n√£o aconteceu e foi o que motivou a "fala√ß√£o", digo, reclama√ß√£o.
- Dessa o governo j√° se livrou.

C√°lculo Matem√°tico

Antigamente, a gurizada e a meninada, todos eram bons de Matemática e não pestanejavam quando a "fessora" perguntava: "qual é a soma de R$ 15.000,00 + R$ 3.000,00?". E logo vinha a resposta, sem o uso da calculadora: "fessora, dá R$ 18.000,00, né?". Esse valor, dividido por dois?, perguntaria a "fessora" e o aluno responderia: "dá R$ 9.000,00 para cada um, né?" Errado, diria a professora. O certo seria R$ 15.000,00 para um e R$ 3.000,00 para outro, que seria igual a R$ 18.000,00. E Joãozinho respondeu: "descurpa, fessora, não sabia que dividir é fazer o rachide desproporcional".

- Assim, não é Matemática... é show, fessora. Vou na breve, viu fessora.

Enfraquecimento
O atual secret√°rio estadual de Sa√ļde, deputado federal licenciado Pedro Henry, disse que a sa√≠da de Riva enfraquecer√° o Partido Progressista. Segundo Henry, juntos (ele e Riva) s√£o fortes, mas separados e sem Chico Daltro e Eliene Lima, o PP ficar√° desprotegido. Resta saber como o PP ficar√° em Nobres, atualmente com quatro vereadores. Eles ficar√£o no partido ou seguir√£o para uma nova casa com Riva? O PSD, novo endere√ßo de Riva, ter√° debaixo desse teto os vereadores Ad√£o e Paula, o empres√°rio Gilmarzinho da Ecoplan e todos aqueles que desejam integrar a nova sigla.
- Essa √© apenas uma mal tra√ßada linha do futuro mapa pol√≠tico que se desenhar√° para Mato Grosso e por conseq√ľ√™ncia para Nobres.

Enfraquecimento II
O prefeito Jos√© Carlos da Silva, em princ√≠pio, deve mesmo ficar no PP caso se confirme a debandada rumo ao PSD. Com o esvaziamento do PP e com o ineg√°vel processo de coloca√ß√£o das pessoas (daqui) em segundo plano, um segundo mandato ao atual prefeito atual parece cada vez mais distante. Salvo se muitas das atuais pessoas que est√£o no poder transferirem seus respectivos domic√≠lios eleitorais para Nobres, o que ainda deve ser pouco diante do n√≠vel de popularidade do governo. E ao lembrar os governistas sobre isso, ter√° sido bem melhor que bajular e afirmar, "t√° tudo muito bem, t√° tudo muito bom" e isso n√£o reflete a realidade moment√Ęnea.
- Como por aqui não há nenhum Osama Bin Laden para ser morto e melhorar a popularidade do governo, o jeito é jogar com a dura realidade.

Enfraquecimento III
Só o Partido Progressista na disputa com os demais pleiteantes ao governo municipal de Nobres, a missão será dura. Outros nomes devem surgir para a disputa e quem perderá votos será o governo. Alguns dos que estão em cargos chaves do governo não possuem densidade eleitoral excepcional, pelo contrário, são figuras anti-populares, e para conquistar alianças, o governo terá que abrir as portas a outros novos secretários mas, para o lugar de quem? Nas Finanças? Na Administração? No Turismo? Com o governo até agora hermeticamente fechado e ainda em processo de ruptura com os locais, o abacaxi será mais difícil de descascar.
- Pode acreditar. "Eu Acredito".

Papo Sério
Essa briga ocorrida entre a vice-prefeita Tetê (Rosário Oeste) e a vítima, Maria Marta da Silva, ainda vai dar o que falar. Os acessos no site Agitos Rosário dispararam e há comentários para todos os gostos. Seria curiosidade demais, lembrar que pairam muitas coincidências sobre o fato, sobre o local, sobre a hora do encontro entre as desafetas e onde de fato ocorreu não foi mencionado e nem por que, ao menos até agora, quando encerrávamos este tópico. Justo agora, quando a vice-prefeita estava "de bem" com o prefeito e iria assumir o governo por 16 dias?
- Esse "bafão" está bombando, mundo afora. Na mosca, essa "armação"... quem seria o atirador de elite?

Sui Generis
Uma pessoa de nosso conv√≠vio, no bairro CPA-3, deu nome bastante surreal ao cachorro e por sugest√£o de amigos, est√° proibida de levar o animal dom√©stico para eventos que re√ļnem pol√≠ticos. O animal dom√©stico, dito amigo do homem e inimigo da on√ßa e dos felinos em geral, atende pelo sugestivo nome de "ladr√£o". Vai que ele escapa da coleira em pleno encontro pol√≠tico...
- ... cham√°-lo pelo nome seria como causar uma briga generalizada.

Maus Lençóis
Olha, desde crian√ßa que ou√ßo falar, quer iniciar uma briga ou perder um amigo, atenda um convite para ser avalista. √Č tanto pior que emprestar dinheiro a quem n√£o gosta de pagar. √Č impressionante, o vil metal tem poder de atra√ß√£o bem maior que um im√£ e suscita a informa√ß√£o de que "dinheiro e sexo, quando menos se tem, mais se pensa nele". Quer perder um amigo, desses que ao v√™-lo abaixa a cabe√ßa e nem cumprimenta...
- ... assine como avalista e veja o que acontece. Conheço um, bem famoso, mas não é o dono da Microsoft, o Bill Gates, é outro.

Futebol

O radialista Nilson Filho anda meio chateado com alguns flamenguistas que viraram santistas e torcem contra o Corínthians na decisão do Campeonato Paulista. Uma vitória do Santos na Vila Belmiro no jogo de volta pode causar um rombo enorme nos bolsos do radialista que anda encarando quem quiser, valendo uma caixa de Skol (lata). Em contrapartida, se ganhar, vai vender no próximo show de Amado Batista por aqui, sem aqueles seguranças d'outro mundo, obviamente.

- Obrigado pela torcida, Daniel, és pé quente! Bico seco, meu cumpade.

Coisa Cabulosa

Texto de mat√©ria inserida no site da Prefeitura de Nobres suscita interpreta√ß√£o complexa quanto ao seu conte√ļdo e vem da parte daqueles que querem disciplinar o jornalismo amador√≠stico por aqui. Veja o conte√ļdo em um determinado par√°grafo: - Os lojistas presentes tamb√©m defenderam a id√©ia. "O munic√≠pio tem que prestar mais aten√ß√£o no Centro. O que for investido aqui gera mais vendas, mais empregos, mais arrecada√ß√£o, mais desenvolvimento para Nobres. Temos a estrutura toda pronta para isso". Todos os lojistas disseram a mesma coisa? Seria por acaso, Nobres olhando para Nobres? Diante de um espelho at√© que seria aceit√°vel a cita√ß√£o, mas quem deve prestar mais aten√ß√£o no centro n√£o √© o munic√≠pio e sim o prefeito de Nobres e seus assessores diretos. Essa seria a cita√ß√£o correta, como correta seria a cita√ß√£o de quem fez essa afirma√ß√£o.

- O "município" é meramente figurativo e tem um comando administrativo exercido pelos poderes Legislativo e Executivo e quem tem o olhar desses poderes são pessoas, de carne e osso. Menos Batista, bem menos.

Burródromo

Depois do camel√≥dromo, do samb√≥dromo, temos agora o "burr√≥dromo", exatamente onde est√£o situadas algumas pessoas locais que est√£o recebendo aulas de etiqueta e de como trabalhar. Nas entrelinhas, o povo √© classificado de burro e s√≥ quem vem de fora √© que √© sabido. Quem vem de fora, ser√° que sabe que muitas pessoas quem vem da zona rural para pagar contas de luz e outras tarifas e fica na cidade sem ter onde urinar, sem ter onde 'cagar' e sem ter onde dormir? √Č bom falar no portugu√™s claro para que essas pessoas fin√©rrimas entendam, de verdade. Tem uma pessoa em Nobres ou uma fam√≠lia que se preocupa com isso e deixa que algumas pessoas durmam em seu estabelecimento comercial, evitando que elas fiquem ao relento.

- Burro só serve pra votar, não é mesmo? Ah! Se todo eleitor fosse sabido, com certeza não cairia em esparrela.

Parentódromo

Ainda vai dar muito que falar essa questão de parentes com fortes laços afetivos e de interesses comerciais enormes com o poder. Certa vez, um vereador denunciou o fato e a coisa anda complicada até hoje. Por que será que é tão mais fácil abrir caminho a parentes? Dependendo do grau de parentesco, janelas é portas se abrem, empresas surgem do dia para noite e quem ganha para isso não fiscaliza. Então, a saída é o TCE, o MPE e outras siglas mais. O poder não pertence a ninguém, mas vem do povo e por aqui, tem muita gente que se faz de morta só para ver a quantas vão algumas pessoas em direção ao pote.

- E assim vamos indo, de burródromo a parentódromo. "Nóis é besta e sabidos fazem a festa. Vamos ver. Por acaso, vieram de Harvard? Então tá!

Visita
No dia do anivers√°rio de Nobres, dia 01 de maio, o empres√°rio Gilmarzinho da Ecoplan, em sua ch√°cara, recebeu a visita de um emiss√°rio do deputado estadual Jos√© Riva acompanhado de um vereador de Nobres. Consta que o vereador desceu de uma reluzente caminhonete e disse: "√ī√ī√ī... meu candidato a prefeito, como vai?". Impressionante! E quem n√£o se impressionaria com isso?
- Diria Raul Seixas e alguns "news" governistas: "Confesso abestalhado que eu estou decepcionado...".

Lama Asf√°ltica
Uma pessoa teria ofertado algumas toneladas de lama asf√°ltica ao governo municipal de Nobres e de l√° veio uma suposta resposta: "n√£o precisamos, isso tem sobrando no p√°tio da prefeitura". √Č preciso saber at√© onde isso √© verdade e quem foi que recusou a oferta. Salvo se todas as ruas de Nobres estejam sem buracos e devidamente asfaltadas.
- Isso parece até piada de português: "ralhos Manel, nunca mais faça isso, gajo".

Censura?
Com duas vers√Ķes jornal√≠sticas, uma que vai para o site da Prefeitura e uma outra que vai para o jornal que foi de sua propriedade, a jornalista Eliz√Ęngela Neponuceno disse, por telefone, que √© uma profissional que nunca foi processada e que est√° sendo exigida a cobrar dos colegas que est√£o por aqui que seja ouvida toda e qualquer pessoa da Prefeitura que tenha nome em mat√©ria. O que √© isso? Quanto a n√£o ser nunca processada, a l√≥gica aponta para a quest√£o do elogio bem pago, quem h√° de reclamar de um elogio. Para quem sempre exerceu o papel de assessor de imprensa, √© √≥bvio, n√£o h√° nenhum risco profissional.
- A vida é um eterno aprendizado e se tem gente que sabe demais, é só aguardar o que vem por aí.

Censura? II
Um dos nomes mais comentados do momento no Planeta Terra, um certo falecido Sr. Bin Laden, poderia ter uma vida c√īmoda, j√° que √© de fam√≠lia rica, mas preferiu perturbar o mundo e lutar contra o poder b√©lico da maior pot√™ncia mundial. A posi√ß√£o do comodismo √© qualquer coisa normal e aceit√°vel, principalmente quando n√£o se conhece a realidade local e em que circunst√Ęncias algumas pessoas est√£o no exerc√≠cio do poder. Mas al√©m de n√≥s, h√° muito mais pessoas com o olhar atento sobre as a√ß√Ķes do governo e √© preciso afirmar que amea√ßas n√£o intimidam a quase ningu√©m nesta cidade. Ou ser√° que v√£o tentar dar um "cala boca" em todo mundo em nome da reelei√ß√£o?
- Se h√° dialogo, a√≠ sim, isto √© aceit√°vel; se h√° imposi√ß√Ķes, a coisa muda de figura.

Corridas
As pessoas que participaram das corridas (ciclística e pedestre) estão insatisfeitas por não terem recebido o prêmio em dinheiro e agora, pela manhã, um velocista deixou a sede do governo bastante chateado e falando cobras e lagartos por não ter recebido a premiação. Isso seria verdade? A quem devemos consultar para saber a veracidade da informação?
- buy clomid Que coisa, hein?

James Bond
Dentro do governo municipal de Nobres vaza a informa√ß√£o de que um ou outro funcion√°rio estaria sob suspeita de espionagem para grupos pol√≠ticos. Isso √© mal? Devemos perguntar se isso √© verdade? E sobre os documentos que est√£o sendo enviados a determinados servidores p√ļblicos municipais acerca da devolu√ß√£o de equipamentos eletr√īnicos, isso pega mal e acirra ainda mais os √Ęnimos contra o governo em rela√ß√£o ao servidor que foi demitido e ainda tem que enfrentar mais esse problema.
- Politicamente, isso é péssimo. Devemos perguntar se isso também é verdade?
Barrados no Baile
Lamentavelmente, e isso não deve passar despercebido, vereadores foram "barrados" à entrada do palanque de Amado Batista e algumas autoridades políticas locais eram tratadas como se fossem tietes do cantor. Os seguranças e a empresa contratada para administrar o show demonstraram excesso de zelo e trataram as autoridades locais com desdém. Fotógrafos e integrantes da imprensa tiveram que se desdobrar para conseguir imagem do cantor. Foram cenas desagradáveis e houve autoridade que abandonou o recinto falando cobras e lagartos.
- Alguém para desmentir?

Barrados no Baile II
O vereador Silvestre Campos tem sido um bom parceiro do governo e um dos respons√°veis pelas articula√ß√Ķes que fizeram a nova Mesa Diretora e deram aval √†s mudan√ßas ocorridas no governo. Alguns dos atuais "chegantes" sabem disso? Pois √©, Silvestre era um dos mais preocupados com o "mega" atraso do cantor Amado Batista e corria de l√° pra c√° e daqui para acol√° para tentar salvar o contratante de um fiasco maior. Ele tamb√©m foi barrado pelos seguran√ßas vindos de algum lugar da Via L√°ctea.
- Quem é o "desmentidor" oficial?

Barrados no Baile III
Seguranças barraram a vereadora Paula também. Será porque ela é da outra banda, digo, dos que dizem não a certos projetos de lei do governo? Infelizmente, a realidade é essa e alguns profissionais de Nobres vão sendo desvalorizados e desmerecidos bem na cara de todos. O que Ezir Costa e Nilson Filho teriam de diferente em relação ao apresentador oficial do evento, o "Big"? O que fizeram os contratados vindos de fora, será que aqui ninguém sabe fazer? Ah! Foi uma doação de um deputado, é? Então, Nobres realmente tem servido a ajudar as pessoas de longe, mas na hora de votar somos nós daqui que vamos para a fila, né?!
- Seria mentira? Perguntem aos vereadores e tirem as conclus√Ķes.

Consulta Feita
Uma fonte informativa, de larga experi√™ncia profissional na promo√ß√£o de eventos art√≠sticos, deu a certeza de que a assessoria do cantor Amado Batista costuma cobrar cach√™ em torno de R$ 80.000,00 em m√©dia. Essa mesma fonte aponta alguns erros capitais na realiza√ß√£o do evento e cita o palco, que em shows nacionais n√£o deve ser de menos de 18 metros; o palco contra a corrente de ar e ainda com uma garoa indo bater na 'cara' do cantor; a passagem de som ap√≥s mais de duas horas de atraso, no auge da paci√™ncia do p√ļblico; entre outras cita√ß√Ķes de menor import√Ęncia. Nem vale a pena lembrar que vereadores foram barrados. S√£o de doer essas coisas, n√£o? Isso √© papo para quem √© "expert" em promo√ß√£o de eventos.
- E a m√ļsica mais esperada, "Secret√°ria", saiu meio sem querer e a galera foi embora... "minha m√£e n√£o dorme enquanto eu n√£o chegar; tenho minha casa (alugada) pra morar...".

Silvestre no PP
"H√° um tipo especial de jornalista, que se especializa em reportar mentiras..." , est√° escrito na "T√°bua da Salva√ß√£o". De fato, por exemplo, a falta de sintonia com a realidade local coloca um vereador no Partido Progressista (PP) quando ele pertence ao Partido da Rep√ļblica (PR). O vereador Silvestre Campos (PR) teve a 'acuidade' de colocar que ainda n√£o pensa em mudar de partido. "Capitamos" a informa√ß√£o junto ao parlamentar que n√£o demonstrou nenhuma inten√ß√£o em passear pela seara alheia ocupando os olhos dos outros, sob risco de dupla filia√ß√£o.
- Você tem seu estilo... o vereador Silvestre tem o dele e por enquanto está republicano. Bon Voyage pelos Campos do Senhor.

Fen√īmenos Nobrenses I
Na festa de anivers√°rio do munic√≠pio, os nobrenses ganharam de presente uma "blitz" da Pol√≠cia Rodovi√°ria Federal, bem na travessia em dire√ß√£o ao evento de kartcross. Quem est√° no caminho de Nobres √© a rodovia federal e n√£o ao contr√°rio, ent√£o, a PRF deveria trabalhar ali no sentido de orientar o tr√Ęnsito e os motoristas, mas preferiu parar, vistoriar e supostamente multar, at√© quem estava trabalhando. Dif√≠cil, n√©?
- Obrigado pelo presente, diriam os abordados.

Fen√īmenos Nobrenses II
Olha, o que teve de chatice para fotografar o cantor Amado Batista n√£o foi brincadeira. O cantor, a estrela da noite, n√£o demonstrou inc√īmodo ao ser fotografado, mas o pessoal de apoio do evento parecia querer ser a outra estrela da noite. At√© quem estava embaixo, √† frente do palco, era barrado pelos seguran√ßas "importados" para n√£o fotografar, na contram√£o do que ocorre em shows desse n√≠vel, onde todos levam m√°quina fotogr√°fica. E quando o barrado √© um fot√≥grafo profissional?
- Chato, mesmo, é aquele bichinho que costuma passear pelos pentelhos.

Fen√īmenos Nobrenses III
Os reeducandos que trabalharam muito nos dias que antecederam aos shows mereciam uma mo√ß√£o de aplauso, porque deram um duro danado e ainda tiveram a paci√™ncia de ouvir esculachos de uma certa figura que reverberava aos gritos contra os volunt√°rios, segundo fomos informados. No√ß√Ķes de boas maneiras s√£o quest√Ķes b√°sicas do cotidiano nosso de cada dia e o semelhante merece ser tratado com um m√≠nimo de dignidade.
- E assim se 'assucedeu...'.

Fen√īmenos Nobrenses IV
Em evento de tamanha import√Ęncia como foi o anivers√°rio de Nobres, onde se gastou cerca de meio milh√£o de reais, faltou um m√≠nimo de bom gosto nas provas de ciclismo e pedestre. Poucos participantes e o mais incr√≠vel, na hora da chegada, a fita para registro de chegada do atleta foi substitu√≠da por papel higi√™nico estirado entre uma e outra extremidade. Sui generis, surreal e fenomenal, o atleta chegar e bater o peito sobre papel higi√™nico ao cruzar a linha de chegada.
- Essa foi 'djimais' e de doer.

Na Bronca
Motoristas do munic√≠pio est√£o arrepiados com a vota√ß√£o do projeto 003/2011 que teria de alguma forma, tirado alguma vantagem desses profissionais. Eles est√£o querendo saber quem votou contra e quem votou a favor da aprova√ß√£o do projeto para lembrar l√° na frente, em outubro do ano que vem. √Č s√≥ buscar informa√ß√Ķes na C√Ęmara Municipal de Nobres.
- Êta partida de futebol dura, terminou com 4 a 4 no placar.

Investigação
Vamos at√© o munic√≠pio de Ros√°rio Oeste buscar informa√ß√Ķes na delegacia de l√° sobre a morte de um homem h√° pelo menos uns quatro anos atr√°s em condi√ß√Ķes complicadas, supostamente, com uma chifrada de vaca dentro de um curral em um s√≠tio l√° naquele munic√≠pio. Ainda esta semana vamos checar como foram as coisas e procurar parentes do homem onde quer que estejam.
- Isso é apenas o começo de uma longa história.

Camuflagem
Quando as coisas tendem a dar uma engrenada na administra√ß√£o, logo algu√©m mete o p√© na jaca e atrapalha inclusive a boa vontade do prefeito Z√© Carlos. O PCCS, que seria enviado √† C√Ęmara de Vereadores, repousaria em uma gaveta do "sumidouro" municipal. Ganhou prefer√™ncia um projeto para a contrata√ß√£o de cerca de 70 pessoas, segundo fomos informados. Ser√° que perderam o PCCS, o que n√£o seria dif√≠cil? Isso parece at√© brincadeira e conspira contra o universo governista que j√° n√£o anda com a bola toda perante o funcionalismo, principalmente agora com esse tal de adiantamento para viagem.
- "Fui num baile em Assunção...", isso é mole pra nós com "cartão corporativo", então.

Nervosos, Até Demais
Em contagem regressiva, a sucess√£o municipal est√° mexendo com os nervos dos vereadores e isso pode n√£o terminar bem. Recentemente, os vereadores Joel J√ļnior e Bacalhau quase foram √†s vias de fato. Agora, no dia 27 de abril, passado, Joel J√ļnior quase se atraca com o colega Ad√£o nos corredores da Casa. Por volta de 2009, Joel J√ļnior andava √†s turras com Silvestre Campos e j√° enfrentou Beto Valandro tamb√©m. Isto, para n√£o falarmos daquele dia, quando lan√ßamento do concurso p√ļblico na C√Ęmara de Vereadores, quando JJ bateu de frente com o prefeito Z√© Carlos e at√© colocou em xeque a lisura do concurso. O clima no Parlamento anda pesado e isso vai espraiando-se para a opini√£o p√ļblica e h√° temeridade quando a integridade f√≠sica √© amea√ßada, n√£o fosse o "baf√£o" que vai para as ruas por ataques entre colegas.
- E a institui√ß√£o chamada Casa do Povo, onde fica em meio a essas posi√ß√Ķes pessoais e al√©m do papel legislativo?

Fundamentos Ilógicos
O vereador Joel J√ļnior foi realmente o orador da noite de 27 de abril e tascou: "pedra que rola (ou n√£o rola?) n√£o cria lodo". E o vereador Joel J√ļnior at√© imitou o boxeador Adilson Rodrigues Maguilla quando subia ao ringue: "quero mandar um abra√ßo para este, para aquele, para os meus amigos da Coqueiral, da Bom Jardim, para o Pr√≠ncipe que vai se casar com a pleb√©ia l√° na Abadia de Westminster e por a√≠ afora". Bem! De volta √† reuni√£o, o vereador enveredou-se pelo para√≠so e citou Ad√£o e Eva (obviamente, os personagens b√≠blicos), mas, um pouco mais tarde, tamb√©m citou os nomes do vereador Ad√£o e da sua irm√£, agora, de maneira ofensiva. O clima √© de beliger√Ęncia no Parlamento.
- De quem a culpa? Que tal uma pesquisa de opini√£o p√ļblica sobre o papel de cada vereador? Delegado Bator√©, ao trabalho em nosso Cordel Encantado.

Remember
Pela en√©sima vez, seria ofensa perguntar: "quem ou quais foram os autores daquele panfleto que circulou em 2010 atacando o prefeito e sua equipe de governo √† √©poca? H√° um odor inc√īmodo suspenso no ar e ningu√©m falou mais nada sobre o assunto. Isso cheira a "cara de pau" ou a um processo de muta√ß√£o visto entre os camale√Ķes, onde a cor utilizada √© conforme a ocasi√£o. H√° quem tenha visto, em uma bola de cristal, uma trama conspirat√≥ria que se pode dizer, surtiu os efeitos desejados a partir de conversas atiradas ao ar.
- Desde aquela ceia entre 12 caros camaradas que a confiabilidade "foi pro buque"; hoje, dormir com o inimigo ficou banalizado, sentar à mesa, então...

Encordoado
O prefeito José Carlos da Silva levou acompanhante em sua viagem a Foz do Iguaçu, no Paraná, e fez questão de avisar que não foi fazer turismo. Ir a Foz sem visitar Ciudad del Leste é como ir a Roma e não ver o Papa. Uma vez do lado de lá, o acompanhante do prefeito teria amarrado um barbante ao pulso do colega para evitar perder-se e ir parar "em um baile em Assunção, capital do Paraguai, onde tem lindas muchachas, sorridentes a bailar".
- Nem me perguntem quem era e de que cor era o barbante. Pairava sobre o céu fronteiriço naquela rara oportunidade um belo arco-íris.

Rua das Empinadas
O trecho da rua Maur√≠cio Sampaio, entre a Paran√° e a Alagoas, bem que poderia receber outro nome, o de Rua das Empinadas. √Č que os motoqueiros elegeram o trecho para fazer as suas firulas sobre duas rodas (motos) ao empinarem as suas motos aproveitando-se do √ļnico trecho de asfalto que foi constru√≠do decentemente nos √ļltimos anos em Nobres. Sem buracos (ainda!), o trecho √© de pouco mais de 200 metros e √© tamb√©m o preferido pelos "babacas" para tentar dar preju√≠zo ao contribuinte. √Č que quando um elemento desses cai e se machuca, n√£o faz id√©ia de quantas pessoas mobiliza e do quanto se gasta para o seu atendimento. E quem paga essa conta?
- O sujeito de sempre, também conhecido por contribuinte.

Moleza?
Comer pudim, mastigar √°gua e gastar dinheiro p√ļblico a vontade s√£o tarefas que qualquer um pode executar. Sozinho, praticamente, o vereador Ad√£o est√° conseguindo fazer oposi√ß√£o e incomodar o governo. N√£o fossem algumas pron√ļncias absurdas e estapaf√ļrdias, o vereador Ad√£o poderia ter tido a sua melhor noite no Legislativo, dia 15 de abril, ao mostrar atrav√©s de fotos os estragos em uma obra que ainda nem foi inaugurada e constaria do convite para ser inaugurada no dia do anivers√°rio de Nobres. Respeitando as autoridades pol√≠ticas ou seus iguais, o vereador Ad√£o deveria evitar palavras chulas como "sem vergonha" ou coisa semelhante, mas as fotos da Escola Dalci C√Ęndida de Souza (nome correto do estabelecimento de ensino) se sobrepuseram √† linguagem vulgar.
- Será que não vem ninguém de Sinop para "arrumar" a escola e colocar "plug" nas paredes?

Processo Sucessório
Voto em tr√Ęnsito ser√° contabilizado? √Č que nas elei√ß√Ķes do ano que vem, quando forem abertas as urnas de Sinop, de Nova Mutum e da Trivelato, √© bom nomear o pomposo turism√≥logo para contar os votos das urnas que ser√£o abertas l√°, no reduto dos amigos. A√≠ vir√£o as urnas de Bras√≠lia e por a√≠ afora. Reelei√ß√£o segura do atual prefeito com essa gente bacana e boa de voto que t√° por a√≠. N√£o √© isso que consta de uma sondagem eleitoral realizada recentemente. Nem me perguntem quem √© o lanterninha.
- Se é pra inglês ver... os nossos ingleses daqui vêem tanto quantos ingleses de lá, Sir "Pé na Jaca".

Desta buy generic propecia online Vez, foi Barrab√°s
Um rapaz, de aproximadamente 24 anos, que interpretava o ladr√£o em ato encenado para recriar a Paix√£o de Cristo, caiu de uma altura de 3 metros, de cima do seu calv√°rio, em frente √† Igreja S√£o Jos√© Oper√°rio, no bairro Aar√£o Reis, Regi√£o Norte de Belo Horizonte. Ele representava um dos ladr√Ķes crucificado com Jesus Cristo. Menos mal que os ferimentos n√£o foram graves e o rapaz foi socorrido, fez uma tomografia e n√£o apresentou problemas. Foi uma pena surreal paga pelo crist√£o...
- ...enquanto isso, ladr√Ķes dos cofres p√ļblicos n√£o caem, n√£o machucam, n√£o s√£o penalizados e n√£o carregam nenhuma cruz. O Cristo s√£o todos aqueles que pagam seus impostos e s√£o "crucificados" todos os dias.


Alerta
O vereador Ad√£o alertou, na √ļltima sess√£o da C√Ęmara de Vereadores, dia 15 de abril, sobre uma certa empresa que foi contratada para cobrar imposto em Nobres, por√©m, os servi√ßos estariam sendo direcionados para Nova Mutum e Sinop, onde os poderosos de plant√£o teriam muitos amigos. O convite para o anivers√°rio de Nobres, ao menos na primeira remessa, tem uma meia-d√ļzia de inser√ß√Ķes erradas e nem mesmo o vice-prefeito foi poupado em seu sobrenome com grafia errada.
- Os ataques de estrelismo no poder já fizeram algumas vítimas recentemente e todo cuidado é pouco para evitar voltar para o empresariado.

Passado e Presente
Antes, lá num passado não muito distante, alguém disse que para ser secretário o 'cara' teria que ganhar bem, já que ninguém deixaria a sua empresa para trabalhar na prefeitura. Fica difícil entender como certos empresários não se criam fora do governo e sempre tem que estar exercendo uma "boquinha" no poder. Logo aparecem de carro novo e deixam um rastro de lamentáveis prejuízos ao povo de Nobres. Ao povo de Nobres só sobra arrocho e ainda tem que assistir a ataques de narcisismo e de estrelismo em cargos transitórios.
- Psiu! √ďia, por aqui a coisa √© mais embaixo. Se n√£o estiver satisfeito com o povo daqui, muda pra onde √© melhor. Ah! Tem outra, quem vota para eleger prefeito √© o povo daqui, que anda "saltando" mais que perer√©ca nessa buraqueira toda. Buraco nas ruas √© coisa fina?

Atenção, Muita Atenção!!!
Especialistas em compra de votos, favor comparecerem √† Escola "Dalci C√Ęndida de Souza", no bairro Jardim Petr√≥polis, para conhecerem e ajudarem nos projetos que est√£o sendo implantados ali. As denominadas 'interven√ß√Ķes' sociais no bairro visam diminuir a viol√™ncia, evitar ao m√°ximo a gravidez precoce, trabalhar o interesse da crian√ßa pela leitura e fazer ver que a higiene pessoal √© salutar a todos. Em Nobres, gente especializada em comprar votos, precisa conhecer o outro lado da moeda, o abandono social que vive o bairro. Perguntem aos professores, conversem com eles sobre a realidade do bairro e tirem suas conclus√Ķes.
- As autoridades do Minist√©rio P√ļblico Eleitoral precisam fazer um mapeamento da compra de votos no bairro e conhecer quem s√£o as pessoas que usufruem da mis√©ria do povo.

Pobreza
N√£o clomid online basta tirar uma onda de lideran√ßa pol√≠tica, √© preciso conhecer a realidade social do bairro e os estudos e avalia√ß√Ķes est√£o com os professores da Escola "Dalci", que convivem com alunos e devem realizar 'expedi√ß√Ķes' para an√°lise de fatos reais no cotidiano do bairro. A compra de votos √© o lado oculto da mis√©ria que √© legada ao povo do bairro Jardim Petr√≥polis. Ou ser√° que o comprador de votos n√£o conhece o que s√£o as no√ß√Ķes b√°sicas de higiene pessoal, desconhecidas no bairro e com verifica√ß√£o gritante entre alguns alunos. Vale reiterar, a compra de votos no bairro Jardim Petr√≥polis √© end√™mica e contrasta com o quadro social ali registrado.
- Os professores e servidores da Escola "Dalci" merecem uma Moção de Aplauso coletiva.

Sem Resposta
A comunica√ß√£o com a Prefeitura de Nobres, via telefone, √© qualquer coisa complicada. Quando se atende √† liga√ß√£o, o que j√° √© um milagre, n√£o se obt√©m nenhuma resposta. No 2265 toca at√© cair e ningu√©m atende e tudo o que se planeja em termos de maior burocratiza√ß√£o da m√°quina p√ļblica, dificultando o acesso dos cidad√£os com os prestadores de servi√ßo p√ļblico, esbarra nessa coisa que veio para facilitar e s√≥ complica, o contato telef√īnico. Pessoalmente j√° n√£o ser√° f√°cil falar no governo em futuro pr√≥ximo, por telefone, menos ainda.
- Mas os impostos, hein, aí entra a eficiência. Dureza essa vida de cachimbo... só fumo e fogo.

Cachorrada
A quantidade de vira-latas soltos no bairro √© um caso de sa√ļde p√ļblica e na Prefeitura de Nobres tem um funcion√°rio que vem tendo o seu contrato reformado governo ap√≥s governo para a fun√ß√£o de recolhedor de animais, mas n√£o cumpre com essa miss√£o e ningu√©m sabe disso. A t√°tica dos garis do servi√ßo terceirizado de coleta de lixo esbarra na a√ß√£o dos animais soltos. Antes de o caminh√£o de lixo passar vem um funcion√°rio recolhendo o lixo e deixando os volumes √† margem das vias p√ļblicas para serem recolhidos por outra equipe. Nesse √≠nterim, entre uma a√ß√£o e outra, a cachorrada ataca os sacos de lixo e muita coisa fica espalhada pelas ruas.
- Tem cachorro vira-lata que j√° abre at√© saco de lixo com cadeado. Alguns tem nomes bem sugestivos, Saddam, por exemplo, mas os campe√Ķes de 'fu√ßar" lixo s√£o mesmo Sombra e Escurid√£o, uma dupla que vaga pelo bairro S√£o Jos√©.

Cachorrada II
Quanto ao servidor contratado para recolher animais, quem seria o seu padrinho? √Č uma fun√ß√£o que exigiria "not√≥ria especialidade", j√° que tem direito a sal√°rio e moradia por conta do poder p√ļblico municipal em um pr√©dio que custou ao er√°rio a bagatela de R$ 150.000,00. Vai algu√©m dizer que vai instituir a volta da carrocinha, aquela de recolher animais que existia antigamente. √Č perder votos e ver a revolta do povo. Cachorro revirando lixo, demarcando territ√≥rio urinando em postes, roda de carros, port√Ķes e deixando suas fezes em passeios p√ļblicos, ruas ou por onde passam esses bichinhos, ditos dom√©sticos, mas que vagam pelas ruas. J√° imaginou tudo isso escorrendo para o rio com as enxurradas?
- Haja empresa para oferecer água limpa. E sobre o contratado, está de férias... todos os dias.

Desprestígio
O vereador Adão Valdinei Pereira (PP) bateu duro nos governistas durante a sessão ordinária de 15 de abril em relação a um processo de desprestigio das empresas localizadas em Nobres de um tempo a este. Quem faturou e fatura relativamente bem em termos de ISSQN é a cidade de Sinop, novo endereço para direcionamento de serviços de Nobres. Em outras palavras, o comércio daqui sofre arrocho e as compras são direcionadas para Sinop e não para a capital, um pouco mais próxima e teoricamente com preços menores.
- O novo time do governo parece querer implantar um processo de "estrangeirização" das compras do governo.

Desprestígio II
Já vinha sendo comentado esse processo e ganhou repercussão a partir dos ataques do vereador Adão na noite de 15 de abril. Com certeza, os votos que serão depositados nas urnas futuramente também virão de Sinop embora se saiba que o ISSQN vai para os cofres da Prefeitura de lá. Se o prefeito José Carlos da Silva pensa em reeleição, com absoluta certeza, os votos que terá não serão creditados à conta da sua equipe de governo, campeoníssima em extravio de documentos e direcionamento de serviços a amigos e a parentes. Há quem acredite que o site da Prefeitura será o principal canal de interlocução com o eleitorado.
- A realidade eleitoral de Nobres ainda est√° por ser descoberta e com gente ruim de voto, nem o extraordin√°rio "The New York Times" eletr√īnico salvar√°.

Polêmica Escolar
A reforma da Escola "Dalci C√Ęndida de Souza" nos remete a uma equa√ß√£o matem√°tica de dif√≠cil resultado e de il√≥gicas interpreta√ß√Ķes. Sob um direcionamento, que n√£o √© o atual da pasta de Educa√ß√£o, as reformas serviram √† conquista de voto. Sob outra dire√ß√£o, as mesmas reformas se apresentam cheias de defeitos. Esperto, o vereador Ad√£o foi fiscalizar e n√£o quis saber de quem √† responsabilidade, se de Neko, de Neuzinha ou de quem quer que seja, matou a cobra e mostrou o pau. Enquanto isso, n√≥s, simples mortais, ficamos em meio a um jogo de interesses entre passado e presente, sendo 'atropelados' com as lembran√ßas de um ve√≠culo, Fiat Uno, adquirido √† Educa√ß√£o e que capotou e desapareceu do mapa nobrense.
- A reforma da Escola do pobre bairro Jardim Petr√≥polis nos conduz √†s lendas de Teseu e o Minotauro e √†quela, do Cavalo de Tr√≥ia, o quadr√ļpede gigante, de madeira, deixado a porta da cidade. A pol√≠tica, seus cavalos de batalha e o labirinto em que o povo √© colocado.

Sabão Crecréu
Olha!, o relat√≥rio completo do famoso "Caso Bomba d'√°gua" √© digno de P√īncio Pilatos... √© um tal de lavar as m√£os diante de um problema grave. "Foste tu?", e logo vem a resposta: "eu n√£o, n√£o fui eu, passou por aqui", e assim vai. Mas a coisa √© cabeluda e difere totalmente do que ocorreu com uma empresa local, que teve os seus servi√ßos conferidos, folha por folha, o que conferiria seriedade no servi√ßo p√ļblico. Lendo o relat√≥rio completo, a coisa √© complicada e onde deveria haver total aten√ß√£o, verificou-se 'vistas grossas'.
- Com folha ou sem folha, o "mandrov√°" vai comer.

Di√°rias
Viagens feitas para Cuiab√° para participa√ß√£o em cursos vai render bons problemas ao governo municipal. Viajar √© bom, comer fora √© bom, mas o relat√≥rio sup√Ķe-se que n√£o foi apresentado ante a minuciosa averigua√ß√£o que ser√° feita pelo TCE-MT. Mas vinha sendo uma festa, desde janeiro de 2009 at√© a bem pouco tempo, esse vai e vem de pessoas para Cuiab√° e quem realmente ia a servi√ßo (e ainda vai), diziam que n√£o tinha direito. Realmente, cobras fumam, segundo o anedot√°rio popular. A sabedoria popular √© menosprezada e a que vale √© a dos "s√°bios" de plant√£o e as suas frugais refei√ß√Ķes, com fios de ouro no card√°pio.
- Para cada di√°ria, um dia de problema, mas o pior vem depois.

Sem Radar
Do Cisne Branco vem a informação, através do palmeirense Casagrande, que o Morceguinho anda voando baixo e sem muita disposição. Teria perdido uma de suas turbinas ou o sistema de radar anda falho? Sem o dito cujo nas rodadas de cerveja, a coisa fica sem graça, reclama Casão. Aliás, depois que o Palmeiras venceu o Santos, Casa anda bem gozador. Seria Morceguinho um torcedor do Santos de alta patente?
- Pega leve Cas√£o.


Na Cumbuca
O TCE-MT flagrou uma parada meio inusitada (nem tanto) em que um vereador lan√ßou m√£o de 5.000,00 pilas da C√Ęmara de Araguainha para pagar despesas particulares atrav√©s da emiss√£o do cheque n.¬ļ 73031 do dia 20 de Janeiro de
2010, no valor de R$ 5 mil, tendo como beneficiário Paulo Rogério Gonçalves Pinto. Nas pesquisas realizadas, a auditoria do TCE confirmou a jogada do nobre parlamentar municipal que não apareceu no Aplic á despesa feita e no que utilizou os R$ 5.000,00. Vai ter que pagar multa e ainda devolver a grana corrigida. Será que devolve?
- priligy online Ah! √Č dinheiro do povo, pode ser torrado com despesas extras, pensaria Valdeir Divino da Cruz, o ex-presidente do Legislativo flagrado pelo TCE-MT.

Ordem na Casa
Sabe-se que isso vem desde o Parlamento romano, a chegada de mat√©ria para an√°lise em cima da hora. Isso, para quem n√£o gosta de ler √© um prato feito e acabam votando mat√©ria √† toque de caixa, o que pode influir na vida econ√īmica dos cidad√£os, pode ir contra os interesses do funcionalismo e desaguar num certo grau de afinidade exagerada entre os poderes. No caso espec√≠fico da C√Ęmara Municipal de Nobres, o presidente Manoel Fermino Pinho (DEM), acaba de produzir decreto limitando prazo para entrada de mat√©rias √† an√°lise e vota√ß√£o que ficou estabelecido em 48 horas antes de cada sess√£o legislativa.
- Enfim, um grito ou um murm√ļrio de independ√™ncia.

Pegando no Pesado
O vereador Silvestre Campos (PR) tem sido uma figura de debates, de buscas de solu√ß√Ķes e costuma pegar no chifre do boi quando a coisa fica feia. At√© desatolar caminh√£o ele tem praticado esse 'esporte'. De outro lado, tem sido controverso no modo de pensar de alguns colegas parlamentares, mas verdade seja dita, no interior o sistema √© bruto e difere totalmente da forma de ver e de pensar de alguns parlamentares que v√£o ao setor rural uma vez por ano, quando v√£o.
- Nem tudo é glamour quando se fala em turismo, chegar ao ambiente tem alguns custos e estes são físicos e não monetários.

Pegando Pesado II
Controvertido ou não, o vereador Silvestre Campos tem estado presente aos fatos e se alguém disser que seja por interesse próprio, por conta dos investimentos na Bom Jardim, também não será a melhor argumentação. E quem tem investimentos em Nobres e passou pelo poder como passou (vide o asfaltamento de ruas da cidade que hoje estão aos frangalhos)? Então, seria importante que todos os representantes do povo, de alguma forma, batessem ponto nos instantes em que mais o povo precisa.
- Na sa√ļde e na doen√ßa... no sistema vi√°rio, na educa√ß√£o e nos clamores populares.

Tiro de Laço
Reunião em andamento, versando sobre o PCCS, dia 08 de abril, à noite, na sede do Parlamento, e um ocupante da mesa simbólica tentando laçar um copo descartável com um barbante, mascando chicletes e tentando criar 'mandalas' com o barbante. Realmente, "é pra cabá". Circo pegando fogo e o sujeito (oculto) catando coquinhos.
- O que foi que eu disse?

Sete de Espada
Nas boas e nas más horas, sempre alguém há de lembrar-se de um amigo. Há um que já se reconhece e diz: "sou meio problemático". Pois não é que em plena reunião do PCCS lembraram-se do Jura como um exemplo. São nessas horas que o sete de espadas ou espadilha vale. E tome o truco... mambira.
- Jura, o qual?

Ch√° de Cidreira
Nas futuras pr√©-reuni√Ķes legislativas, nada de caf√© ou mate, deve ser servido ch√° de capim cidreira que √© para acalmar os nervos. Alguns vereadores andam a beira de ataque de nervos ou com o 'cinema' nervoso abalado. √Č como diria aquele distra√≠do: √© o nervo asi√°tico?". Mas nem precisa ser da √Āsia, e apenas pertencer ao corpo humano, mesmo. Tem muita gente cobrando, por que n√£o falou do quase embate. N√£o vale a pena, mas vamos falar da proposta de contribui√ß√£o de todos para que o munic√≠pio reencontre caminho melhor.
- buy kamagra Vai uma xícara de chá de cidreira aí?
Last Updated ( Sunday, 19 June 2011 14:10 )  

TRINCHEIRA LII

Audi√™ncia P√ļblica O vereador Andr√© Avelino Bezerra (PSDB) √© um dos mais experientes do atual conjunto de parlamentares municipais de Nobres e pelo que se tem ouvido falar, ele deve apoiar a reativa√ß√£o do Projeto Farm√°cia Viva, mas √© de opini√£o que tudo deve ser feito √†s claras, com a realiz

Jornal 27 Anos

Em julho de 1.990, o jornal Tribuna de Nobres come√ßava a circular e cinco anos depois j√° estava com sede pr√≥pria na cidade de Nobres. O dia era o mesmo 22 de julho e 27 anos depois, estamos aqui, superando as adversidades e as dificuldades econ√īmicas. O momento econ√īmico n√£o √© dos mais prop√≠c
Banner
Banner
Banner
Banner