You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

23/11/2017
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Trincheira TRINCHEIRA LII

TRINCHEIRA LII

E-mail Print PDF

Bastidores da Política

H√° quem diga que o ex-prefeito Gilmarzinho da Ecoplan tenha sa√≠do de cena ap√≥s o dia 31 de dezembro de 2016. Muito se tem ouvido falar sobre a sua perman√™ncia na milit√Ęncia pol√≠tica, segundo seus amigos mais pr√≥ximos. Onde h√° fuma√ßa √© porque j√° houve fogo. Mas √© que tem muita gente falando a mesma coisa, que o ex-prefeito segue movendo as pedras no tabuleiro, pensando a cada novo lance.

- √Č uma quest√£o de checagem.

Bastidores... II

Quando muitas pessoas come√ßam a repetir as mesmas coisas, √© porque h√° algo acontecendo. Isso tem sido repetido como um mantra entre aqueles que ficam ‚Äúbisoiando‚ÄĚ os bastidores aqui e acol√°. Mas vamos at√© a fonte, saber o que de fato ele anda pensando, mas h√° garantia de que ele (o ex-prefeito Gilmarzinho) avalia o cen√°rio e acredita que o PSD sair√° forte das pr√≥ximas elei√ß√Ķes. As tend√™ncias pol√≠ticas passam por aqui e redesenham o mapa. Quem vai apoiar quem por aqui?

- Essa é uma dica.

Bastidores... III

Outro que segue se movendo no cen√°rio local √© o candidato que ficou em segundo lugar nas elei√ß√Ķes municipais de 2016 em Nobres, Esmeraldo Ribeiro. A sua movimenta√ß√£o √© clara nos bastidores e a de alguns dos seus principais aliados. Alguns destes andam observando o que est√° acontecendo na atual administra√ß√£o e se algu√©m disser que torcem para que d√™ tudo certo... pode acreditar em Papai Noel entrando pela chamin√©... que, ali√°s, volta com for√ßa total a partir do pre√ßo do g√°s de cozinha.

- Há um tabuleiro e as peças não estão imóveis.

Possibilidades

Muito se tem ouvido falar sobre candidaturas e candidat√°veis e um que n√£o d√° nem pinta de rea√ß√£o na atual conjuntura √© o atual deputado federal Ezequiel Fonseca, preso em um emaranhado de situa√ß√Ķes nada animadoras depois da ‚ÄúEra Silval‚ÄĚ e o tuf√£o que se abateu sobre o mundo pol√≠tico estadual. Alguns deputados estaduais nem pensam em falar sobre pol√≠tica na atual situa√ß√£o em que se encontram... flagrados com a m√£o (boca e tudo mais) na botija. A geografia pol√≠tica vai mudar a partir desse vendaval que se abateu sobre MT.

- Baralho novo e naipes iguais... j√° chega disso na mesa. Reis e valetes s√£o dispens√°veis.

Possibilidades II

Alijado do PSB com toda a sua equipe, o deputado federal F√°bio Garcia parece que vai desembarcar no DEM junto com Botelho. Isso mexe com muita coisa por aqui, por Nobres, por onde F√°bio Garcia passou e n√£o deixou boas lembran√ßas. Uma vez no DEM e com afinidade com outros nomes para as elei√ß√Ķes do ano que vem, os Democratas daqui ter√£o que engolir esses novos vizinhos?

- Como diria o experiente pol√≠tico local, o Pre√°: ‚Äúdinheiro faz at√© defunto sorrir‚ÄĚ.

Inusitados

J√° vi e ouvi de tudo, tanto aqui quanto acol√°, mas tem coisa que deixa a gente intrigado. Ouvir dizer que em uma prefeitura de MT tenha funcion√°rio ‚Äúintoc√°vel‚ÄĚ, mesmo sem ter enfrentado concurso p√ļblico, a√≠ √© novidade demais da conta, uai! Francamente, lendo umas notas informativas por a√≠, tomei conhecimento desse fato. Acredito que muitos saibam disso e realmente, isso √© qualquer coisa nova... tal e qual algu√©m se deparar com rastro de lobisomem, com mula-sem-cabe√ßa e outras coisas lend√°rias. Mas, n√£o troca nem de fun√ß√£o e nem de sala?

- Partiu... ler ‚ÄúA Lenda do Rei Arthur e os Cavaleiros da T√°vola Redonda‚ÄĚ, para saber sobre os princ√≠pios dessa mesa sem cabeceira.

Rede de Intrigas

Os meios informativos locais andam impregnados de papos tendenciosos e a presun√ß√£o √© a de uma ‚Äúguerrinha‚ÄĚ de bastidores esteja acontecendo entre uns e outros. A pol√≠tica da ‚Äúm√° vizinhan√ßa‚ÄĚ est√° forte e √© melhor n√£o convidar para uma mesma alguns dos personagens dessa rede de intrigas. E j√° faz um tempinho que essa coisa vem ocorrendo.

- Nesse meio, é aprender com todos e falar pouco.

Rio/Descaso

Acredito que já não impressione a mais ninguém, o nível de descaso para com o Rio Nobres, a cada ano que passa. Pneus, garrafas pet, sacolas plásticas, embalagens de plástico duro, engradados plásticos, isopor e até cachorro morto são atirados às margens do rio. A necessidade que temos da água em nossas vidas e a mais absoluta falta de consciência em relação ao rio que passa ali, praticamente no centro da cidade, é um absurdo.

- Pensam que isso é tudo?

Rio/Descaso II

N√£o bastasse tamanha agress√£o, ainda vemos manilhas que levam todo tipo de √°gua para o rio, at√© √°gua servida e, muito provavelmente, a interliga√ß√£o de √°gua de sanit√°rios na galeria pluvial. H√° pontos de coleta de materiais para an√°lise que podem levar a descoberta de prov√°vel contamina√ß√£o da √°gua do rio. Quem se habilita ao custeio das despesas? √Č preciso uma reunifica√ß√£o de esfor√ßos para contra atacar essa quest√£o/a√ß√£o.

- Quando?

Exemplo

De sua parte e de outras partes, o Rotary Club vem tentando amenizar o impacto dessa nefasta a√ß√£o do ser humano contra o rio. H√° anos, em parceria com outros setores da comunidade, s√£o realizadas a√ß√Ķes de limpeza das margens e do leito do rio, al√©m do plantio de mudas de √°rvores nativas √†s margens. O resultado desse trabalho est√° comprovado com √°rvores que foram plantadas e hoje est√£o em tamanho adulto.

- Alguém há de ver os bons exemplos dados.

Exemplo II

Os cuidados com o rio e os alertas dados atrav√©s das a√ß√Ķes desenvolvidas encontram parceiros nas escolas, na Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, junto a setores que integram as igrejas, sejam cat√≥licas ou evang√©licas, enfim, s√£o cuidados que necessitam de um engajamento maior, sendo o principal, o combate ao assoreamento e a conten√ß√£o do despejo de √°guas servidas no rio.

- A agress√£o ao rio √© como cometer suic√≠dio com a ingest√£o de veneno em pequenas doses. Morreremos com ele (o rio) e a inf√Ęncia de hoje ver√° a o milagre negativo da transforma√ß√£o da √°gua limpa em esgoto.

Bem Informados

A prolifera√ß√£o de ve√≠culos informativos em Nobres n√£o permitir√° que as agress√Ķes ambientais aconte√ßam ou continuem a ocorrer. S√£o tantas as informa√ß√Ķes e ainda temos a not√≠cia instant√Ęnea atrav√©s do whatsapp, facebook, instagram, bastando que todos colaborem e gravem v√≠deos denunciando os crimes ambientais, entre os quais o uso do rio como v√°lvula de escape ao esgoto nas galerias pluviais.

- Que tal.

Sem An√ļncio

Dia desses algu√©m teria inventado que negociaria a compra do jornal Tribuna de Nobres, que n√£o est√° √† venda. Provavelmente, deve ser uma dessas divaga√ß√Ķes que costuma ‚Äúatacar‚ÄĚ uns e outros que s√£o dados a contatos imediatos com o mundo invis√≠vel. Com o fechamento do Hospital Adauto Botelho, infelizmente, os casos de ‚Äúfalta de ju√≠zo‚ÄĚ est√£o sendo tratados sem interna√ß√£o. E n√≥s aqui, nos esfor√ßando pra sermos normais e fazermos tudo igual...

- ... algu√©m do nosso lado aprendendo a ser louco... um maluco total, na loucura geral... como diria Raul Seixas... uns malucos e outros l√ļcidos... √© preciso controlar.

Frigorífico/Abertura

A entrada em funcionamento de um frigor√≠fico em Ros√°rio Oeste est√° como as novelas, a cada cap√≠tulo, o desejo do telespectador em saber o que vai acontecer com o vil√£o e qual fim ter√° o mocinho. Esse abre n√£o abre s√≥ causa desgaste perante a opini√£o p√ļblica. Muitos t√™m sido os cap√≠tulos e nada do tal ‚Äúhappy end‚ÄĚ. A popula√ß√£o do munic√≠pio exercita o √™xodo, as finan√ßas municipais minguam e para quem fica..., da verde esperan√ßa s√≥ ficaram os tra√ßos, j√° amarelecidos.

- A seguir, cenas dos próximos capítulos.

Entulhos e Entulhos

√Č impressionante, o ac√ļmulo de entulhos nos quintais, dali s√≥ retirados se for ‚Äúde gr√°tis‚ÄĚ e por uma causa grave, o criadouro do mosquito da dengue, zyka e chikungunya (parece at√© nome chin√™s). Isso, sem falar em ratos, cobras, escorpi√Ķes, baratas e lacraias. Se fosse pago, quanto o munic√≠pio n√£o arrecadaria? ‚ÄúDe gr√°tis‚ÄĚ, d√° pra por at√© mais de uma vez por semana os entulhos na porta. O estudo de Ci√™ncias Humanas √© infinito e quanto mais se aprende, pouco se sabe.

- Por exemplo, ‚Äúde gr√°tis‚ÄĚ, at√© inje√ß√£o na testa... e com agulha grossa.

√Āgua/Avalia√ß√£o

Uma dor de barriga que possa surgir, d√°-se o primeiro tiro em dire√ß√£o a quem fornece √°gua. Esse problema parece que voltou a ocorrer recentemente, e a avalia√ß√£o mais r√°pida √© sobre a qualidade da √°gua em que pese a empresa concession√°ria fornecer, anualmente, todas as informa√ß√Ķes t√©cnicas sobre os n√≠veis de qualidade da √°gua que cai nas torneiras. Reclamar √© um direito, agora avaliar com achismos, a√≠ a coisa √© bem diferente. A primeira medida correta a tomar √© a coleta da √°gua para an√°lise independente e depois a informa√ß√£o p√ļblica.

- Assim compreendido e assim formalizado...

√Āgua/Avalia√ß√£o II

Num desses jogos regionais realizados este ano, atiraram, precipitadamente, a culpa por alguns desarranjos intestinais na √°gua ‚Äúdo M√°rio‚ÄĚ, criando at√© r√≥tulo... ‚Äúdo M√°rio‚ÄĚ. S√≥ depois √© que se verificou que os ‚Äúcag√Ķes‚ÄĚ j√° vieram com a infec√ß√£o de outras bandas. Atiraram a culpa sobre a escola sem nenhum crit√©rio, mas j√° se sabia que esses visitantes s√£o mesmo problem√°ticos.

- Ent√£o, todo cuidado √© pouco... at√© para com algumas inten√ß√Ķes camufladas e prejudiciais.

Coração de Mãe

Em Nobres, pela manh√£, hoje (07/11), a m√£e do governador Pedro Taques, a prof.¬™ Eda Taques, conquistou as pessoas pela linguagem simples que usa para falar em p√ļblico. Dona Eda disse que n√£o gosta e n√£o admite ataques pessoais contra o filho nos notici√°rios. Ela vem percorrendo alguns munic√≠pios como integrante do N√ļcleo de A√ß√Ķes Volunt√°rias do Governo do Estado de MT. Em Nobres, gostou do que ouviu, sobre apoio √† reelei√ß√£o de Pedro Taques.

- Fez uma ‚Äúp√°‚ÄĚ de amizades por aqui por conta da simplicidade.

Tucanos

O vereador André Avelino Bezerra (PSDB), falou como tucano ao se posicionar favoravelmente à reeleição de Taques, citando que em Nobres o PSDB goza de muita simpatia e que Taques tem muitos apoiadores dentre os comunitários e lideranças políticas. Dr. André, como é conhecido, elogiou a gestão do prefeito Leocir Hanel e secretariado, em que pese às dificuldades financeiras que os municípios enfrentam. Falou também o que os integrantes do NAV queriam ouvir, sobre a reeleição de Pedro Taques.

- Como nada é impossível, resta saber se o governador vai encontrar respaldo na maioria dos municípios de MT.

Advers√°rio

O ainda conselheiro afastado do TCE-MT., Antonio Joaquim, √© o que vem atirando todas as pedras de que disp√Ķe em dire√ß√£o ao governo de Pedro Taques que est√° com a imagem arranhada. Mas Antonio Joaquim tamb√©m n√£o est√° com tanto prest√≠gio assim e se dependesse da maioria dos servidores do TCE-MT para uma disputa √† presid√™ncia da Corte de Contas, n√£o seria eleito... a soberba o derrotaria naquela que seria a sua pr√≥pria casa atualmente.

- Mal l√°, aqui fora, no cen√°rio estadual, a caminhada de Antonio Joaquim candidato seria tr√īpega e todas as pedras que tem atirado no momento presente, elas caem sobre a pr√≥pria cabe√ßa.

Advers√°rios

A disputa pol√≠tica ao Governo do Estado em 2018 est√° indefinida e √© poss√≠vel vislumbrar algumas posi√ß√Ķes, semelhantes √† de um ‚Äúagente funer√°rio‚ÄĚ, a espera do so√ßobro do governo Taques para conduzi-lo ao lugar comum. Resta saber se esses prov√°veis substitutos ter√£o cacife (eleitoral e financeiro) para enfrentar uma campanha pol√≠tica em clima t√£o desfavor√°vel... tantas e tamanhas s√£o as desesperan√ßas do povo, insuflado pelas correntes negativas que cercam o governo, que s√£o os sindicatos classistas e a oposi√ß√£o, um tanto quanto fragilizada em meio a tantos esc√Ęndalos.

- Procura-se... um imaculado.√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā¬†

100 Imposi√ß√Ķes

Tem gente nos Correios que não fala a mesma língua da comunidade atendida. O Sérgio, pela sua experiência profissional, não acreditamos que pense assim. Nos Correios não recebe dinheiro e não cumpre papel bancário enquanto a seguradora não encontrar uma saída aos problemas de segurança. A mais nova decisão é a de que não vão entregar correspondências naqueles imóveis que não tiverem caixa de correspondência. Então, os Correios não vão entregar, mesmo, já que a maioria dos imóveis não possui essa tal caixinha.

- Qual a raz√£o de ser dos Correios? Se n√£o for o Temer, vai que seja o cidad√£o pagador de impostos.

100 Imposi√ß√Ķes II

N√£o entregar a correspond√™ncia √© uma imposi√ß√£o, principalmente quando se sabe que nem todos possuem essa tal caixinha. Salvo se essa iniciativa for um ‚Äúlobby‚ÄĚ em favor das lojas que vendem o tal produto. √Č preciso paci√™ncia enquanto n√£o surge uma nova imposi√ß√£o, que n√£o representa totalmente os interesses dos Correios e se apresentam como exig√™ncia individualizada. Os Correios est√£o quase em ‚Äúdemod√™‚ÄĚ por conta de posturas individualizadas e imposi√ß√Ķes, como se o cliente fosse obrigado a se adaptar as regras impostas por aquela classe.

- Talvez a cedilha seja mais embaixo, seo menino.

Tadinhos de Nós

As obras de infraestrutura tur√≠stica em Nobres est√£o mais demoradas que constru√ß√£o de igreja. Ou melhor, com a execu√ß√£o em doses homeop√°ticas e muito amargas para a comunidade. A Prefeitura de Nobres que n√£o tem muito a ver com isso, a n√£o ser o relevante fato de a obra ser e estar no munic√≠pio, arca com os √īnus da m√° vontade. Faltava dinheiro, consta que o dinheiro foi liberado, mas a obra segue como uma miragem des√©rtica.

- Aquele argumento de que aqui tem uma cabeça de burro enterrada, não procede. E seguimos assim, sorumbáticos... feito burro à sombra, vendo a banda passar.

Tadinhos de Nós II

Certa vez, muitos chiavam em rela√ß√£o ao governo aqui em Nobres, dias antes do anivers√°rio do munic√≠pio, em 2012, e o ent√£o prefeito saiu-se com essa: ‚Äúenquanto os c√£es ladram, a caravana passa...‚ÄĚ. E tome uivos noturnos e a caravana n√£o passou; salvo se foi ao largo, nos arredores desta cidade. Bem, seguimos ladrando por aqui e a obra de infraestrutura tur√≠stica... est√°tica, feito um bloco de concreto... sem pista decente, sem meio-fio, sem sinaliza√ß√£o e aquela velocidade basiquinha, propicia pra uma trombada entre dois objetos.

- E n√≥s aqui... ‚Äúnesse mundo assim, vendo esse filme passar, assistindo ao fim, vendo esse filme passar...‚ÄĚ. At√© quando?

Sauda√ß√Ķes

O ministro Gilmar Mendes, do STJ, natural aqui de Diamantino, teve uma recep√ß√£o calorosa no Pacaembu, quando a torcida o visualizou soaram palavras dignas de um ‚Äúbarraco‚ÄĚ entre desafetos. S√≥ palavr√Ķes e aquela sa√≠da, √† francesa. J√° vai longe √† fama do ministro e, apesar dos processos, a revista de Mino Carta, a Carta Capital, deu o seu empurr√£ozinho para que isso chegasse ao est√°gio atual.

- Me voy... hasta la vista.

Em Busca da Arca Perdida

O Governo do Estado e a AL-MT correm parelhos na busca da revers√£o das suas imagens, desgastadas no exerc√≠cio do poder. O Governo do Estado tenta limpar da ‚Äúlousa governativa‚ÄĚ os tra√ßos deixados pelo estrelado esquema dos grampos. A AL-MT tenta reverter um quadro que √© desanimador com rela√ß√£o direta √† dela√ß√£o de Silval Barbosa e o seu fiel escudeiro, que mostrou em imagem aquele ‚ÄúPega-Pega‚ÄĚ de dinheiro que √© de ‚Äúderrubar‚ÄĚ qualquer santo do altar. E o que fazem? S√£o iguais no ato de sair por a√≠ em ‚Äúcarruagens de bondades‚ÄĚ, levando bem estar e sa√ļde onde a sa√ļde sofre de fal√™ncia m√ļltipla.

- E o eleitor diz: ‚Äúme engana que eu gosto‚ÄĚ.

Em Busca da Arca Perdida II

Em Nobres, o bondoso eleitor votou em candidato que vem com ‚Äúemendinha‚ÄĚ de 150 mil pilas, dignas de algumas caixinhas de Dipirona. Falar em pavimento asf√°ltico com 150 mil reais, √© como tentar comprar uma Ferrari com essa merr√©ca. Um milh√£o de reais j√° n√£o √© mais uma emenda consider√°vel. O deputado federal F√°bio Garcia, ser√° que vai voltar aqui para pedir votos? O presidente da AL-MT, Eduardo Botelho, tamb√©m precisa melhorar a sua perform√°tica por aqui, que anda p√≠fia e √© de uma aus√™ncia quase ano-luz.

- A temporada é de melzinho na chupeta.

Em Busca da Arca Perdida III

‚ÄúCom que roupa eu vou...‚ÄĚ em Nobres pedir votos? Isso √© o que cada deputado deveria se perguntar. Quase tr√™s anos de muito bl√°-bl√°-bl√° e agora vem √° aproxima√ß√£o, nem t√£o discreta assim. E o cuidado maior tem que ser com aqueles que os trazem, da mesma forma com que vieram na elei√ß√£o passada, montados em ‚Äúcarruagens‚ÄĚ reluzentes, trazendo na bagagem promessas mil. E quem ou quais lucraram com isso? Muitos deputados est√£o em d√≠vida com os eleitores de Nobres e essas ‚Äúemendicas‚ÄĚ de nada, de 150 contos de r√©is, n√£o refrescam em nada.

- E tome mutir√Ķes para fazer estabelecer uma cortina de fuma√ßa entre o passado e o presente. √ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā¬†

Na Terra do Marketing I

O ex prefeito Zeno Gon√ßalves assumiu em meio a uma das mais bem armadas jogadas de marketing, com a cara e o DNA do PT, atendendo em baixo de uma barraca de lona, considerando-se que o pr√©dio da sede do governo amea√ßava desabar. Isso, em janeiro de 2001, depois de arrastar multid√Ķes para seus com√≠cios, onde usava de toda a sua habilidade na orat√≥ria. Muitos at√© hoje se lembram dessa passagem e o seu carisma ainda ecoa em Ros√°rio Oeste. A tradu√ß√£o de tudo isso em termos de governabilidade √© a de que Ros√°rio Oeste ainda vai permanecer com as suas car√™ncias pol√≠ticas e administrativas.

- Não há milagres, só marketing.

Na Terra do Marketing II

Agora, com praticamente 17 anos após a sua ascensão ao poder, Zeno voltou para abrir caminho a ex primeira dama, contribuindo para a sua eleição à vice prefeita na reeleição do prefeito João Balbino, que claudica em gestão e perante à Justiça Eleitoral. O cenário lhe é desfavorável, politicamente, mas há que se reconhecer a mão que Zeno deu para a continuidade do atual governo. Entre causa e efeito, o marketing petista rende bons frutos a Zeno até hoje e aquela petista de carteirinha que o ajudou, voltou para apoiar a eleição do atual prefeito.

- Influências daquela barraca de atendimento.

Na terra do Marketing

‚ÄúCriada na d√©cada de 80, efetivando a municipaliza√ß√£o no ano de 2000, no governo de Zeno Jos√© Gon√ßalves. A partir de 2010 com o Processo de Estadualiza√ß√£o, transforma-se em Salas Anexas da E.E. Marechal Rondon (Ensino Fundamental) e E.E. Elizabete Evangelista Pereira (Ensino M√©dio) e houve por 02 (dois) anos pelo CEJA 25 de Junho na modalidade de Educa√ß√£o de Jovens e Adultos‚ÄĚ. Essa √© a nota divulgada pela assessoria pedag√≥gica estadual em Ros√°rio Oeste. Mas, Zeno assumiu somente em 2001.

- Alega-se que a escola não pertença nem ao Estado e nem ao município. Seria um ato de lavar as mãos?

Mentes em Eclipse

Em uma gest√£o administrativa l√° atr√°s, que buscava a reelei√ß√£o, desta saiu-se com a ideia de que f√©rias coletivas seria o maior canal para economizar dinheiro. O gestor saiu t√£o desgastado, que para catar o seu desgaste, s√≥ com pin√ßa e vis√£o aumentada 200 vezes mais. ‚ÄúPisar‚ÄĚ no funcionalismo p√ļblico √© uma m√° ideia, cujos resultados s√£o os mais previs√≠veis poss√≠veis.

- O Governo do Estado que o diga.

Mentes em Eclipse II

Ainda, l√° em 2012, o ent√£o prefeito de Nobres contava para si o apoio da Educa√ß√£o, ap√≥s a aprova√ß√£o do PCCS do setor. Os n√ļmeros nas urnas foram desanimadores, t√£o desanimadores que a reelei√ß√£o naufragou e foi aquele tal de abandonar o barco. O funcionalismo p√ļblico municipal deu as costas ao governante em 2.000 e de l√° para c√°, ao menos uma secretaria e quem nela passar, carrega consigo a maldi√ß√£o (nem sabemos se de algum Fara√≥ ou de quem quer que seja...), mas carrega.

- Renegado, proscrito, degredado, escanteado e outras negativas mais est√£o na boca de um sapo. V√īte!!!!!!

Mentes em Eclipse III

Assim como na teledramaturgia, onde vemos em plena atividade uma ‚ÄúR√°dio Pe√£o‚ÄĚ no hotel Carioca Palace e quem vira not√≠cia ali, cai em desgra√ßa; nas reparti√ß√Ķes p√ļblicas tamb√©m tem a ‚ÄúR√°dio Pe√£o‚ÄĚ e o boato chega primeiro que o fato. L√° atr√°s, algu√©m dizia e previa: ‚Äúo Z√© vai levar fumo na elei√ß√£o‚ÄĚ, e o papo circulava na R√°dio Pe√£o. Acertaram o resultado mas erraram no placar... at√© porque, foi escachapante.

- Rezada a missa... é hora de botar fé. Todo cuidado com tiro mal dado é pouco... vai que ele sai pela culatra?!

Retomada

As obras de infraestrutura tur√≠stica que tiveram in√≠cio em 2015, at√© hoje continuam sendo tocadas e levadas em ‚Äúbanho-maria‚ÄĚ e ainda terceirizada, segundo se sabe. A cidade de Nobres vive a espera da conclus√£o dessa obra desde 2016, cujo aditivo j√° saiu e ela continua a√≠, ‚Äúsarrando‚ÄĚ em todos, lentamente. O meio fio est√° a√≠, ao menos o que restou dele, a espera da conclus√£o.

- Prazo alongado, custo aumentado. √Č Brasil.

Retomada II

E não foi por falta de reclames, que até foi para o MPE a situação em que foi deixada a obra em 2016, por conta e risco da empresa sob alegada falta de pagamento de medição em relação ao Governo do Estado. Será que não seria para aguardar um aditivo? A obra, vale reiterar, teve a licitação realizada pelo Governo do Estado, através da Sedtur, e o município de Nobres só espera a sua conclusão para, de fato, receber a obra com recursos do Governo Federal.

- A licita√ß√£o neste Pa√≠s ainda √© um velho problema, apesar das leis, aos borbot√Ķes, editadas pelos pol√≠ticos profissionais, √ļnicos interessados na demora.

Bagulho Doido

‚ÄúUma ronda pela avenida Andr√© Maggi, em Sinop (421 km da Capital), resultou na pris√£o de tr√™s pessoas por envolvimento com o tr√°fico de drogas no munic√≠pio. Policiais militares do Comando de A√ß√£o R√°pida (CAR) seguiam em patrulhamento urbano pela avenida quando identificaram uma motocicleta com dois rapazes que apresentaram atitude suspeita com a aproxima√ß√£o da guarni√ß√£o‚ÄĚ. A informa√ß√£o √© da assessoria da PM-MT.

- Pelo menos, a PM por l√° age firme.

Bagulho Doido II

‚ÄúAo ser dada a ordem de parada para realiza√ß√£o da abordagem, os indiv√≠duos empreenderam fuga, sendo alcan√ßados pelos militares alguns metros √† frente ap√≥s a queda da motocicleta. Com os suspeitos, no momento da abordagem foi encontrado um tablete de maconha. Questionados sobre a droga, os rapazes apontaram uma resid√™ncia onde haveria mais da subst√Ęncia guardada para comercializa√ß√£o no munic√≠pio. Chegando √† resid√™ncia, foi percebida a presen√ßa de outro rapaz identificado como integrante do grupo‚ÄĚ, segundo nota veiculada pelo portal da Secom-MT.

- A PM mostrou servi√ßo e ‚Äúquebrou o jogo‚ÄĚ da rapaziada.

Bagulho Doido III

‚ÄúMilitares do Grupo de Apoio (GAP) local auxiliaram nas buscas pelo local. No fundo do im√≥vel, um buraco foi localizado pelos militares com 50 tabletes de maconha, balan√ßa de precis√£o e diversos materiais utilizados para embalagem e comercializa√ß√£o do entorpecente. Os tr√™s suspeitos, G.E.S, 26, W.L.G.S, 18 e L.R.K, 22 anos, foram encaminhados para a delegacia local junto com a droga e o material apreendido para seguir com a autua√ß√£o do flagrante‚ÄĚ, conclui a nota.

- Isso é o que se pode falar, foi uma operação de desmonte dessa fábrica de dinheiro fácil.

Averiguação

Nesta semana que passou ‚Äúuma guarni√ß√£o de Tr√Ęnsito apreendeu arma e muni√ß√£o no KM 08 da MT-040 (Palmiro Paes de Barros), que liga Cuiab√° a munic√≠pios como Santo Ant√īnio de Leverger e Bar√£o de Melga√ßo. Policiais do 1¬ļ Pelot√£o encontraram uma espingarda calibre .22, com carregador e 13 muni√ß√Ķes em um ve√≠culo Ford Ka dirigido por J.C.N., de 28 anos, que seguia viagem para o interior do Estado. J√° no final do m√™s passado, na MT-251, que liga Cuiab√° a Chapada dos Guimar√£es, policiais do posto do 3¬ļ Pelot√£o apreenderam explosivos, armas, 30 muni√ß√Ķes, uma escopeta calibre 12, tr√™s pares de luva, uma toca ninja e um carregador de r√°dio HT. Todos os materiais estavam em um carro que circulava na rodovia. Semanas antes, na mesma rodovia, no KM-16, policiais prenderam um homem e no carro dele apreenderam mais de 30 comprimidos ecstasy que estavam no porta-luvas. O carro, um Fox, de cor branca,√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā√ā¬† era conduzido por R.S.B., de 32 anos. A droga sint√©tica de uso proibido tamb√©m √© conhecida como a ‚Äúp√≠lula do amor‚ÄĚ e seria levada para uma festa em Chapada dos Guimar√£es‚ÄĚ. A nota √© da assessoria da PM.

- E assim, caem nas garras da lei onde a PM não dá moleza a ninguém.

Averiguação II

Ainda, segundo nota da assessoria da PM: ‚ÄúNa MT-010 (rodovia Helder C√Ęndia), via de acesso ao distrito de Nossa Senhora da Guia, KM-22, em maio deste ano foram apreendidos quase 50 quilos de pasta base de coca√≠na. A droga, dividida em 49 tabletes, estava no compartimento falso instalado na capota de uma caminhonete Ford, modelo F-1000 Turbo, de cor preta, com placa de Cuiab√°. O Batalh√£o de Tr√Ęnsito √© uma unidade do Comando de Policiamento Especializado (Cesp), o mesmo que integra os batalh√Ķes Ambiental, Bope, Rotam e Cavalaria‚ÄĚ.

- Sem sopa para o azar. A casa caiu.

Escuta(gem)

No rol daqueles que foram alvos das escutas telef√īnicas, ningu√©m menos que um agente funer√°rio. Ser√° que era para ‚Äúsaber‚ÄĚ o que falava com o al√©m? Ainda n√£o foi relacionado o coveiro na lista dos escutados. Vai que, nos campos santos tenham inserido um microfone. Olha, isso da√≠, de fu√ßar a vida alheia, ainda n√£o tinha vindo √† tona tamanha barbaridade. E s√≥ militares na parada, os estrelados, ent√£o, eram alguns.

- Tudo para adivinhar o futuro e por conta de um chapéu de viking.

Condomínio

Nem tudo s√£o flores naquele condom√≠nio cuja visita de cambur√Ķes diversos j√° fugiu das contas. Se fosse numa favela, daria muni√ß√£o pra muito assuntos na m√≠dia, mas como √© s√≥ graduado no alpinismo social, pouco se ouve falar sobre esse tipo de ‚ÄúUber‚ÄĚ s√≥ para picaretas... tamb√©m conhecido como cambur√£o... de n√≠vel estadual e federal. S√≥ da Interpol que ainda n√£o esteve l√°.

- Como diria Geraldo Vandr√©: ‚ÄúPra n√£o dizer que n√£o falei das flores...‚ÄĚ.

Uns e Outros

Tinha gente que reclamava, barbaridade, das velhas fun√ß√Ķes do atualizado SNI (Servi√ßo Nacional de Informa√ß√£o). Mas o que se v√™ em Mato Grosso atualmente, o SNI parece aluno de prim√°rio em concurso de doutores. Por absoluta especula√ß√£o, digamos que em Mato Grosso tenha SEMTI (Servi√ßo Mato-grossense de Investiga√ß√£o), que √© pra bisbilhotar a vida alheia. S√≥ gente grande envolvida na parada e se algu√©m soubesse de algum ‚Äúpodre‚ÄĚ seu, dele ou de qualquer um... passava a vis√£o para o resto do tal ‚Äúhigth society‚ÄĚ. Olha! Nunca se viu tanta podrid√£o no ar como agora.

- E pensar que tem gente que se escandaliza com o BBB da Globo.

Uns e Outros II

Aquele um ali d√° um ‚Äútapa na macaca‚ÄĚ, o outro acol√° gosta de dar uma cafungada; a fulana ali √© como samambaia... trepa que √© uma beleza; o fulano l√° est√° com uma ‚Äúgalhada‚ÄĚ enorme. Existia, provavelmente, at√© um grupo de zap para comentar o que vinha das escutas telef√īnicas, cujos meandros eram de altas patentes. Se o cara dava uma cafungada, era chamado para uma conversa particular... ou voc√™ est√° com n√≥s ou tudo vai para os ares. Realmente, a invas√£o de privacidade faz parte dos notici√°rios da m√≠dia baseada na capital e √© de deixar tomate verde... coradinho.

- A√≠ o sujeito est√° em um restaurante vip e o povo da escuta ‚Äúdebulha‚ÄĚ o que sabe... que o boi da cara preta t√° pegando ele. Uuuuuuuuiiiii!!!

Uns e Outros III

Em um certo tempo atr√°s, tive a oportunidade de ler a publica√ß√£o liter√°ria de Adelaide Carraro, cujo t√≠tulo era ‚ÄúAsco‚ÄĚ e abordava o lado obscuro do mundo musical. S√≥ o t√≠tulo j√° seria sugestivo, mas a realidade de agora √© qualquer coisa absurda e causa ‚ÄúASCO‚ÄĚ, o vilipendio a privacidade, a chantagem inominada, o abuso de poder e todo o resto dessa barbaridade exposta cotidianamente pela m√≠dia em um estado arrasado pela roubalheira e agora pelo desnudamento da vida particular.

- Vai que o sujeito resolve sair para amenizar aquela coceira anal e fala ao telefone... logo alguém vai passar a visão sobre o fato. Ihhhhhh!

Uns e Outros IV

Outra publica√ß√£o liter√°ria que a pregui√ßa n√£o me permitiu ler at√© o fim tem o t√≠tulo ‚ÄúO Bispo‚ÄĚ, que revela situa√ß√Ķes individuais temer√°rias sobre as patentes clericais. Mas essa de escutas telef√īnicas se tornarem objeto de piadas e de chantagem contra este ou aquele, realmente √© de se acreditar que haja muito de realidade na cita√ß√£o ‚Äúpodres poderes‚ÄĚ. Se l√° atr√°s tivesse escuta telef√īnica, o Brasil ficaria ingovern√°vel com as puladas de cerca de Dom Pedro e a√≠, by by Independ√™ncia.

- Causa de quê essa bisbilhotagem toda?

Polêmica no Ar

Investido no cargo de vereador e representante da comunidade, o vereador André Avelino Bezerra mexeu num vespeiro, mas é por absoluta necessidade, lembrar que a sonegação só atrapalha de um lado e fomenta melhores possibilidades a poucos. Como ninguém quer se envolver, o parlamentar municipal ousou tocar na ferida e isso incomoda a alguns. Pelo menos, do mal da vista grossa ele não vai sofrer.

- Hoje em dia, até tomar doce da mão de criança causa polêmica... e como causa. Mas sonegar, será que não?

Polêmica no Ar II

Pense numa situa√ß√£o complicada e a multiplique por tr√™s, e o resultado vai estar aflorando em breve. Uma verdadeira bomba deve ser detonada em rela√ß√£o a Funcultur em Ros√°rio Oeste no que se refere a gastos p√ļblicos. Dizem que o √ļltimo comandante ali juntou toda a ‚Äúroupa suja‚ÄĚ e a enviou para o √≥rg√£o competente. Pelo que se prev√™, muita coisa que estava debaixo do tapete faz parte de uma juntada que, se analisada com calma, pode render peixe na rede.

- Nuvens anunciadoras de mau tempo vem por aí.

D√ļvida

O munic√≠pio de Nobres possui um mecanismo modelar de amparo ao meio ambiente, possu√≠a, supostamente, um conselho de meio ambiente, mas tudo parece que √© para ‚Äúenfeitar p√© de pav√£o‚ÄĚ ou pra ingl√™s ver. A legisla√ß√£o n√£o funciona, na √°rea urbana a cria√ß√£o de galinha √© tida como normal, na √°rea rural, o lixo √© depositado √† entrada da ‚Äúmeca‚ÄĚ do turismo e todos acreditam que s√≥ o poder p√ļblico seja respons√°vel. √Č preciso que a comunidade e os setores respons√°veis debatam essas quest√Ķes o mais breve poss√≠vel, j√° que o instrumento existe para combater esses desregramentos.

- O lixo à porta de entrada da vila turística, ninguém merece.

Chegando o Relho

O vereador Andr√© Avelino Bezerra (PSDB) est√° de guatamb√ļ na m√£o e descendo a borduna na sonega√ß√£o de impostos oriundos do Voucher √önico, que √© aquele recibo obrigat√≥rio a ser fornecido ao turista que visita Nobres. Nessa ‚Äúreligi√£o‚ÄĚ, s√≥ o ‚Äúvenha a n√≥s‚ÄĚ √© que √© rezado, enquanto que ao ‚Äúvosso reino‚ÄĚ, ao nosso reino... nada. J√° faz tempo que alguns empres√°rios s√≥ auferem lucros e ao munic√≠pio s√≥ transferem os problemas.

- E olha que é só uma minoria. Alguns, para desviar a atenção sobre os lucros, tornaram-se contumazes críticos dos governos.

Circulação?

Olha, por mais resistente que o pavimento asf√°ltico seja, esse vai e vem de uma compactadora pelas ruas da cidade n√£o causaria impacto nas ruas? √Č que esse ‚Äúpasseio‚ÄĚ tem deixado sinais evidentes de que nem tudo √© poss√≠vel e aquilo que √© fr√°gil pode piorar, al√©m do risco de rompimento de tubula√ß√Ķes nas ruas. As obras de infraestrutura tur√≠stica que j√° est√£o demoradas podem trazer novos transtornos ao que j√° est√° saturado.

A pergunta é pertinente?

Tenso

Os poderes est√£o em clima de beliger√Ęncia e o que mais se ouve e se v√™ na m√≠dia s√£o frases atiradas ao vento com o efeito daquelas faltas que o velho e saudoso Didi ‚ÄúFolha Seca‚ÄĚ batia... com muito efeito... as faltas cobradas, √© claro. J√° as frases, s√£o meramente especulativas e pr√≥prias do ‚Äújuridiqu√™s‚ÄĚ. Executivo, Judici√°rio e MPE est√£o em ‚Äúp√©-de-guerra‚ÄĚ e se pintam para as batalhas vindouras.

- √Č como minha saudosa av√≥ dizia: ‚ÄúEm briga de cachorro grande, malandro que √© malandro n√£o se fantasia de lingui√ßa‚ÄĚ.

Tenso II

Desde os tempos do Para√≠so, que mais parece uma f√°bula, que a mulher √© sempre um motivo para se detonar uma guerra. Primeiro foi aquele caso da tal ma√ß√£, que anos (e bota anos nisso!) mais tarde foi parar na logomarca da Apple. Depois vieram os casos em que a Dalila cortou o cabelo do Sans√£o; a da mulher do ex-prefeito Celso Pitta, de S√£o Paulo; o intrincado caso da ex-mulher do ‚Äúagiota de pol√≠tico‚ÄĚ J√ļnior Mendon√ßa; e agora, mais recentemente, a tal amante de um ex-secret√°rio de Governo que pode ter detonado a crise dos grampos em MT.

- E por falar em mulher, o Lula est√° ‚Äúfu‚ÄĚ por causa da Dilma. Alguma d√ļvida?

Na Moita

Tem muita gente torcendo para que o circo continue em chamas que √© para usufruir do resultado dessa batalha em 2018. O ex-senador Jaime Campos √© algu√©m que pode usufruir desse cen√°rio e voltar √† cena pol√≠tica. J√° o senador Blairo Maggi, tudo indica que as chamas ir√£o em sua dire√ß√£o nos dias que vir√£o. O ex-presidente do TCE-MT., Antonio Joaquim seria carta fora do baralho e n√£o h√° nenhum emergente com cara e jeito de quem possa fazer a diferen√ßa em 2018, salvo o atual presidente da AL-MT., Botelho, desde que se mantenha neutro nessa ‚Äúbriga‚ÄĚ.

- Paciência para ver os próximos capítulos, só.

Bicho Solto

O afastamento do secret√°rio de Seguran√ßa P√ļblica de Mato Grosso, Rogers Jarbas, agita ainda mais o conturbado momento pol√≠tico em Mato Grosso. Ele vai passar a usar tornozeleira e a acusa√ß√£o √© a de atrapalhava as investiga√ß√Ķes no caso dos grampos em MT, que ainda vai render muitas not√≠cias √† imprensa. O presidente do TJ, desembargador Perri √© que tomou as provid√™ncias e emitiu decis√£o pelo afastamento do secret√°rio de Seguran√ßa P√ļblica do Estado.

- O Estado de MT que j√° andava cinzento por causa das queimadas e da dela√ß√£o do ex-governador Silval Barbosa, agora escureceu de vez com a desmoraliza√ß√£o p√ļblica.

Bicho Solto II

Se a coisa j√° andava feia em MT, agora que desandou de vez com a decis√£o do TJ-MT, de afastar o secret√°rio de Seguran√ßa P√ļblica. E ainda assim, tem gente que se acha em cargos de menor escal√£o por a√≠. Se o secret√°rio de Seguran√ßa P√ļblica caiu, imagine aqueles que est√£o abaixo dele. O clima est√° tenso em MT e ainda vem nova dela√ß√£o por a√≠, a do ex-deputado Jos√© Riva. Se ele usou o estilo ‚Äúbig brother‚ÄĚ e gravou os seus ex companheiros de Casa, as ‚Äúreputa√ß√Ķes‚ÄĚ que estavam penduradas no arm√°rio v√£o cair.

- Os esp√≠ritas andam dizendo que na ‚ÄúEra de Aqu√°rio‚ÄĚ, tudo o que estava debaixo dos tapetes vir√£o √† tona. Uuuuiiiii!

O Truco e os Sapos

No Cisne Branco, quando o jogo de truco est√° em atividade, quem leva ‚Äúchumbo‚ÄĚ paga a despesa e os ‚Äėsapos‚ÄĚ (ao redor do jogo) bebem a vontade. A situa√ß√£o anda t√£o c√īmoda, mas t√£o c√īmoda, que tem sapo ‚Äúda elite‚ÄĚ, que escolhe que cerveja vai beber no camarote. Tem o ‚ÄúSapo Skol‚ÄĚ, o ‚ÄúSapo Heineken‚ÄĚ, enfim, nessa lagoa s√≥ tem coisa fina.

- √Āgua com sal... n√£o cai bem para o sapo; Creolina... nem pensar.

Escolhendo o Time

E por falar em truco, a escala√ß√£o dos jogadores vem desafiando a l√≥gica. No m√≠nimo, pela l√≥gica, seria um time equilibrado, mas tem ca√≠do tr√™s atletas numa mesma equipe que n√£o jogam l√° essas coisas. Est√° mais f√°cil acertar na Mega Sena que escolher time de truco e o resultado √© esse, ‚Äúaguentar‚ÄĚ os ‚Äúsapos fin√≠ssimos‚ÄĚ e bancar o bom gosto deles.

- Jogar tênis de quadra anda saindo mais barato que ser escalado em time ruim. Bora lá... sapo quer beber!

Multas & Multas

As multas aplicadas de forma aleat√≥ria em uma cidade que sempre esteve em desalinho, com carros e caminh√Ķes estacionados na contram√£o, sobre cal√ßadas, motoqueiros fazendo acrobacias (empinando) em plena via p√ļblica; estudantes que desrespeitam o tr√Ęnsito e andam na rua; enfim, o tr√Ęnsito √© complicado. Leis municipais s√£o desrespeitadas, as que disciplinam o tr√°fego de carretas; animais expelem estrumes em vias p√ļblicas e vai por a√≠.

- E pessoas sendo multadas aleatoriamente, v√° entender isso.

Multas & Multas II

Pessoas s√£o obrigadas a entregar seu carro ou sua moto sob mira de arma de fogo e ningu√©m √© preso. Os impostos que s√£o pagos aparecem sendo rateados entre pol√≠ticos nas mais diferentes esferas de governo e o cidad√£o ainda √© multado sem saber, como que, para ‚Äúconsertar o mundo?‚ÄĚ. Agentes p√ļblicos praticam agiotagem e at√© usariam de trucul√™ncia para receber. Quando se diz ‚Äúusariam‚ÄĚ, √© porque n√£o vimos de perto e apenas tomamos conhecimento. √Č de se esperar que sejam apenas boatos.

- E a Receita Federal, onde está que não entra em ação?

Impostos & Impostos

A sociedade civil est√° ref√©m daqueles que s√£o escolhidos para defender os interesses do povo, seja em que esfera ou reparti√ß√£o for. Pessoas s√£o esbulhadas por altos impostos e taxas; s√£o perseguidas de todas as formas, ora por ladr√Ķes e na maioria das vezes por quadrilhas do colarinho branco que atuam sob o lume de leis brandas e de resultados demorados, sen√£o p√≠fios. As cenas cotidianas apresentadas na m√≠dia de ‚Äúrachides e rachides‚ÄĚ entre engravatados com o dinheiro do povo e ainda temos que ‚Äúminar‚ÄĚ dinheiro para pagamento de multas praticadas √† revelia do cidad√£o, j√° n√£o seria demais?

- E quando a população se revoltar e resolver denunciar tudo o que sabe e o que vê?

Crise na Imprensa?

Uma nota veiculada por um site da capital pode ser o estopim para uma crise na imprensa, ao menos por estas bandas. Uma inventiva que foi repassada a um site com sede em Cuiab√°, dando contas de atritos entre representantes da imprensa e o prefeito de Nobres. A nota ‚Äúplantada‚ÄĚ √© uma arma√ß√£o ilimitada e foge totalmente do perfil do prefeito do munic√≠pio, sempre sereno e at√© avesso √† excessiva publicidade.

- Pior é que já se tem pista de quem plantou a nota.

Crise na Imprensa II?

Presente, ontem √† noite em Nobres, as supostas v√≠timas j√° descobriram a autoria da nota plantada e vai para o revide. A tentativa de atribuir a outrem a informa√ß√£o fajuta n√£o deu certo e consta que vai ter troco. Vem chumbo grosso por a√≠ e quem n√£o tiver coro duro vai sofrer. Que coisa mais antiga isso. O pior √© que j√° se sabe que ‚Äúfichas‚ÄĚ pessoais ser√£o levantadas.

- Es usted?

Jogando Com a Memória

Depois de longos dias em ‚Äúhiberna√ß√£o‚ÄĚ, alguns dos ex-deputados arrolados e enrolados com o ex-governador Silval Barbosa come√ßam a se expor, buscando desestabilizar a grava√ß√£o. Um dos poucos a comparecer na AL-MT, Romoaldo J√ļnior disse que nada tinha a temer. J√° outros, andam mais sumidos que dinheiro em bolso de pobre. Deve ser do tempo do Imp√©rio Romano a cita√ß√£o: ‚Äúquem n√£o deve n√£o teme‚ÄĚ.

- Well! Não é bem assim.

Jogando Com a Memória II

O agora deputado federal Ezequiel Fonseca (PP/MT), segundo uma nota num site da capital, tem se mantido distante dos aeroportos e indo pra Bras√≠lia de carro, que √© para evitar piadinhas do p√ļblico nos avi√Ķes e nos locais p√ļblicos. Fosse um ‚Äúbon vivant‚ÄĚ, arrumava uma ‚Äúmui√©gada‚ÄĚ e ia aliviar a tens√£o entre elas porque a jiripoca j√° piou, mesmo. √Č como nos brindou aquele baixinho, franzino, o Rui Barbosa: ‚ÄúA convic√ß√£o do bem, quando contrariada pelas hostilidades pertinazes do erro, do sofisma, ou do crime, √© como as catadupas da montanha‚ÄĚ.

- Assim, segundo Rui: ‚ÄúAs revoltas da consci√™ncia contra as m√°s causas, ainda contra as piores, n√£o azedam um cora√ß√£o desinteressado‚ÄĚ. Bora l√°, pov√£o.

Língua Espanhola?

Uma lei municipal de 2.005, assegura o direito de as escolas p√ļblicas municipais lecionarem o espanhol. Ser√° que essa lei n√£o foi para a gaveta? Em Nobres h√° muitas leis criadas para ‚Äúenfeitar p√© de pav√£o‚ÄĚ. J√° outras leis s√£o como a reinven√ß√£o da roda... criando uma ‚Äúredondeza‚ÄĚ redonda com circunfer√™ncia independente, o que em outras palavras vem a ser um remendo de pano velho em tecido novo.

- A ESAN já conhece uma lei existente que trata da isenção na religação da água, provavelmente de autoria do vereador Dena de Almeida.

Lei Paulista

Uma lei do Estado de São Paulo, datada de 1943, proibia a circulação de veículos de tração animal na avenida Paulista que era evitar que os animais defecassem na pista. Isso ficou lá atrás, ao menos em São Paulo/capital, já por aqui, estrume de cavalos na pista é tão comum quanto político receber propina nas esferas estaduais e federal.

- Em ambos os casos, n√£o deixa de ser uma cagada.

Bombas & Bombas

Muita coisa ainda est√° por vir atrav√©s do ex-governador Silval Barbosa e setores da grande imprensa estariam nas etapas vindouras da abertura do ba√ļ do Silval. A m√≠dia interiorana, principalmente de C√°ceres, tomou chap√©u de Silval e n√£o recebeu. A grande m√≠dia, pelo contr√°rio, com o poder b√©lico que tem, aprontava barraco na Secom para receber e ainda ficaram restos a pagar.

- O pequeno encolheu, o grande estacionou, mas nada t√£o ruim como aqueles que pegaram dinheiro sem nada fazer.

Bombas & Bombas II

Nas elei√ß√Ķes de 2014, andaram torpedeando membros do Minist√©rio P√ļblico Estadual e surgiram amea√ßas de CPI, mas parece que o mar revolto se acalmou. Mas s√≥ parece, porque o Silval, segundo consta, estaria com listagem que pode atingir figuras proeminentes da Justi√ßa. Ser√° mesmo? Dizem que seria s√≥ uma quest√£o de tempo.

- Vamos aguardar, quem viver ver√°.

Amigo?

Ainda me lembro daquele comit√™ pr√≥-Silval instalado ali na antiga Corr√™a Materiais para constru√ß√£o, √† entrada do Despraiado, com aquela m√ļsica bombando e todas as pesquisas apontando Silval... em primeiro lugar. Como ningu√©m conhecia os bastidores do poder, tudo o que est√° sendo colocado pra fora agora ainda n√£o √© tudo. Como nas elei√ß√Ķes gerais em que o Padre Pombo disputou ainda n√£o havia espionagem pol√≠tica e nem grava√ß√£o, muito menos urna eletr√īnica, um delator morreu, o advogado Celso Quintela.

- Ainda vem muita coisa por aí, das mais cavilosas.

T√° Esquisito

Em Lucas do Rio Verde, o sujeito foi flagrado fazendo um ‚Äúboquete‚ÄĚ no amigo em pleno estacionamento de uma churrascaria. Isso, depois de ambos ingerirem bebida alco√≥lica por um bom tempo. E o pior √© que o ‚Äúboqueteiro‚ÄĚ n√£o gostou de ser incomodado e aprontou o maior ‚Äúfuzu√™‚ÄĚ com a dire√ß√£o da churrascaria. Ambos foram parar no xilindr√≥ para explicar que bolseta e gaveta n√£o s√£o as mesmas coisas.

- Se a moda pega, haja estacionamento aqui em Nobres.

Sem Dribles

O ex-vereador e agora prefeito Garrincha, de Jangada, foi convidado a ir até a Delegacia para explicar porque os maquinários da Prefeitura de lá estavam prestando serviços para um curtume. O prefeito tentou, por nota, descaracterizar os fatos sob alegação de que enfrentaria forte oposição. O secretário de Obras, junto na parada, é o ex-prefeito Marcos Bernardino, o Marcão. Não conseguiram driblar a Polícia e ao menos quatro foram parar na escrivania da Del Pol.

- O ruim √© isso, pensar que aquilo que √© p√ļblico seja do prefeito.

Descaracterização

Olha... as imagens s√£o fortes dos parlamentares apanhados em impedimento pelo secret√°rio de Silval Barbosa. Pior √© a tarefa de desmentir os fatos sob a alega√ß√£o que √© para pagamento de d√≠vida de campanha ou de descaracteriza√ß√£o do feito. E todo mundo acreditando que o Silval era o ‚ÄúTonto‚ÄĚ, aquele √≠ndio, amigo do Zorro. Um cidad√£o comum j√° teria trocado de peles at√© mais que uma cascavel com 10 guizos no chocalho.

- Qualquer escurinho teria ficado vermelho com isso. A moeda em circula√ß√£o na lava-jato mato-grossense √© ‚Äúmerr√©quinha‚ÄĚ perto daquela da Petrobr√°s/Odebrecht.

Foguetório

A alguns dias atr√°s, muito foguet√≥rio no CR Cisne Branco, at√© mais que em dia de bingo por l√°. Foi ver, era a zueira por conta da derrota do Palmeiras para um certo Barcelona sem Messi, de Guayaquil. A galera n√£o perdoou o torcedor fan√°tico do Palmeiras, o famoso Etelvino Casagrande. O compadre de Casagrande, o Braz, segurou as pontas e n√£o soltou roj√Ķes.

- Isso que é compadre bom.

Complicadíssima

O atual senador Cidinho (PR/MT), pode estar com o futuro pol√≠tico comprometido ap√≥s a dela√ß√£o do ex-governador Silval Barbosa. √Č que, a ascens√£o pol√≠tica de Cidinho dos Santos est√° atrelada a escalada do senador licenciado Blairo Maggi, que ocupa o Minist√©rio da Agricultura. Sem Blairo Maggi, Cidinho n√£o decola e o futuro pol√≠tico de ambos √© incerto e com outros complicadores que podem surgir.

- O risco é o de o senador ser riscado do mapa político.

Complicadíssima II

Cidinho √© uma for√ßa municipalista que pode perder prest√≠gio, ali√°s, j√° perdeu a partir das elei√ß√Ķes municipais de 2016, quando o seu grupo pol√≠tico foi derrotado em casa pelo atual prefeito Juvenal, em Nova Maril√Ęndia. Cidinho √© uma esp√©cie de ‚Äúpatrono‚ÄĚ do munic√≠pio e o seu irm√£o perdeu a elei√ß√£o municipal, desmontando toda a sua equipe de governo at√© 2016. E com essa ‚Äútsunami‚ÄĚ causada pela tempestade tropical denominada Silval Barbosa, o futuro pol√≠tico de Cidinho √© incerto.

- √Č semelhante a uma derrota do Corinthians, em casa, para um lanterna, resguardadas as devidas propor√ß√Ķes e o terreno da disputa.

Na Moita

A C√Ęmara de Vereadores de Nobres, por seu representantes, tem feito perguntas sobre perguntas acerca do Programa Farm√°cia Viva e parece que todos querem audi√™ncia p√ļblica para a real implanta√ß√£o do programa. √Č o que se tem ouvido falar por a√≠, mas s√£o tantas as perguntas e, provavelmente, as d√ļvidas sejam proporcionais aos questionamentos. Tartaruga que √© tartaruga, n√£o atravessa avenida movimentada na hora do ‚Äúrush‚ÄĚ.

- E minha saudosa av√≥ dizia: ‚Äúseguro... morreu de velho‚ÄĚ.

Pisca-Pisca

Consumidores est√£o p... da vida com a concession√°ria de energia el√©trica, a Energisa, por conta dos apag√Ķes subsequentes ocorridos na noite de ontem em Nobres e Ros√°rio Oeste. J√° alguns funcion√°rios da Energisa, os que ainda n√£o sabem que a empresa √© apenas prestadora de servi√ßos, continuam agindo como se fosse servidores efetivos, impondo regras aos consumidores. Mas estes mesmos funcion√°rios da empresa Energisa n√£o aparecem para explicar os apag√Ķes que ocorrem.

- Os flamenguistas est√£o p... da vida por n√£o terem visto o gol na hora certa. Tem funcion√°rio que se acha e acredita que est√° ‚Äúpodendo‚ÄĚ na Energisa?

‚ÄúBarretada‚ÄĚ

√önico vereador a fazer uso da palavra na confer√™ncia sobre vigil√Ęncia em sa√ļde, o enfermeiro Rog√©rio Fraz√£o disse que v√™ com preocupa√ß√£o a aus√™ncia popular em eventos dessa natureza. Como uma ‚Äúbarretada‚ÄĚ √† organiza√ß√£o, solicitou que os membros civis se apresentassem e apenas um ou dois foram verificados. A postura do parlamentar municipal √© de clara dist√Ęncia do governo.

- Bem, toda unanimidade é condenada.

Coordenado e Eloquente

O chefe de Gabinete do governo municipal de Nobres, Marcos Cheba, est√° se saindo melhor que a encomenda pelo fato de se estar com o microfone ativado nas suas incurs√Ķes pelo r√°dio e pelo esporte. Durante a confer√™ncia sobre vigil√Ęncia em sa√ļde, saiu-se bem e foi eloquente quando destacou que a sociedade civil n√£o costuma marcar presen√ßa em atos p√ļblicos. Conforme Cheba, h√° muitos cr√≠ticos nas redes sociais, mas ningu√©m quer mostrar a cara em reuni√Ķes p√ļblicas para discutir os problemas que tem o munic√≠pio.

- Seriam os tais ‚Äúprefeitos de facebook‚ÄĚ e ‚Äúgestores de whatsapp‚ÄĚ. Fato.

Delação e Tensão

Quando o agente político se encontra como está o ex-governador Silval Barbosa, os amigos se distanciam e o sujeito parece que está cagado. Na verdade, o ex-governador está acuado e começa a fazer a sua delação ou já fez, mostrando algumas realidades e uma verdadeira extorsão de aliados ou amigos de outrora. O estoque de maracugina nas farmácias precisa ser reposto e os ansiolíticos estão na moda... e vai sem receita, mesmo.

- Dinheiro é bom, mas não dá que nem chuchu e nem como trepadeira.

Delação e Tensão II

No TCE-MT, mesmo com aquele ambiente suntuoso de trabalho e a remunera√ß√£o mensal polpuda, a casa anda mais mal falada que ZBM de beira de estrada. Silval anda detonando aquela casa, colocando em xeque todo o papel fiscalizador... n√£o da institui√ß√£o, mas dos ditos ‚Äúaconselhadores‚ÄĚ dos √≥rg√£os governamentais. Isso conjumina com o velho dito popular: ‚Äúse conselho fosse bom, ningu√©m dava, mas vendia‚ÄĚ.

- No caso da propina, supostamente paga por Silval, os indicativos s√£o de que ‚Äúconselho‚ÄĚ seja algo negoci√°vel.

Delação e Tensão III

E na Assembleia Legislativa, nada de novo. Para se ‚Äúabortar‚ÄĚ uma CPI tem seu pre√ßo e seus intermediadores, de acordo com Silval Barbosa. Aceitou o ‚Äúberer√©‚ÄĚ, o comprometimento est√° feito. E tem gente que acreditava que o ex-garimpeiro fosse t√£o tabar√©u a ponto de ‚Äúdar‚ÄĚ um dinheiro que n√£o era seu sem comprovante ou algum tipo de prova. O atual prefeito de Cuiab√° est√° em maus len√ß√≥is por ter, supostamente, aceito uma grana extra.

- Até tu... Emanuel!?

Bunda Larga

No setor de presta√ß√£o de servi√ßos de telefonia, o sujeito paga por uma Ferrari, mas a realidade √© a de um Ford (Bigode) 1929. Lenta, feito jaboti transportando c√īco na carapa√ßa. A cobran√ßa n√£o atrasa e a pontualidade nem √© mais brit√Ęnica, mas √© a mesma da concession√°ria de energia el√©trica, outro setor em que alguns funcion√°rios ‚Äúse acham‚ÄĚ, em que pese √† terceiriza√ß√£o. Mal sabem alguns que ainda s√£o prestadores de servi√ßo.

- Difícil de entender, mas na terra de Temer, Dilma e Lula, manda quem pode e obedece até quem não quer.

Fatos Estranhos

Um pedreiro, trabalhador que dá duro e que sofreu acidente de trabalho, não consegue (de jeito nenhum) uma vaga ao ortopedista desde 2015. Ele segue trabalhando com o tornozelo inchado e vendo os problemas aumentarem ao exercer a atividade capengando. E olha que nós não estamos no Rio de Janeiro, mas em Nobres. Será que de lá para cá ninguém mais conseguiu uma vaga ao ortopedista ou foi só esse pobre trabalhador.

- Procede isso?

Força Estranha

S√≥ falta a intercess√£o de algu√©m em um terreiro de macumba, porque entre os vivos j√° n√£o h√° mais peti√ß√£o a fazer. A necessidade √© simples, algu√©m olhar pela Rua Corumb√°, em frente da Escola Estadual ‚ÄúPromotor F√°bio Silv√©rio de Farias‚ÄĚ, onde escorre uma √°gua servida para a rua e onde se cria galinha em plena √°rea urbana. O diretor da escola, seus alunos e professores aguardam por uma solu√ß√£o que j√° vem sendo cobrada desde 2015.

- A√≠ o sujeito cobra e ningu√©m atende, mas depois que o fato se torna mais p√ļblico ainda, vem a pergunta: ‚ÄúPor que n√£o falou comigo?‚ÄĚ.

Força Estranha II

Salvo se surgir uma ‚Äúindica√ß√£o psicografada‚ÄĚ, vinda de alguma mesa branca por a√≠ com o pleito de que a comunidade escolar da Escola ‚ÄúF√°bio‚ÄĚ merece essa aten√ß√£o. Vale lembrar que a mesa do MPE n√£o √© branca... por√©m, todavia,de tanto levar flechada... isso at√© parece ‚Äėtauba‚Äô, de tiro ao √°lvaro.

- Algum simples mortal para ver essa realidade?

Finalmente

De tantas e tantas reclama√ß√Ķes, o Governo do Estado parece que vai formalizar parceria com a Prefeitura de Nobres para encontrar uma solu√ß√£o para as obras de infraestrutura tur√≠stica que abrangem as avenidas Get√ļlio Vargas e Marechal Rondon, principalmente. A Mal. Rondon se tornou pista de velocidade m√©dia e os riscos de acidente s√£o iminentes. Pontos de travessia elevada devem ser construidas no trecho que vai da Get√ļlio Vargas at√© as proximidades do est√°dio ‚ÄúBaliz√£o‚ÄĚ.

- Ufa!

Paciência

Durante a solenidade de entrega de uma patrulha mecanizada, sábado (11/08), na sede da Associação Sela Dourada, o deputado Zé Domingos (PSD), pediu paciência para com a administração municipal do prefeito Leocir Hanel sob a argumentação de que a arrecadação caiu drasticamente e sem dinheiro ninguém faz nada. Apesar da crise, Zé Domingos disse acreditar muito no sucesso da gestão do prefeito Leocir.

- Companheiro é companheiro.

Papo Sincero

Super sincero, o vice-presidente da Associa√ß√£o Rural Sela Dourada, seu Emir Ferreira, disse que apesar da sua pouca instru√ß√£o escolar, sabia da import√Ęncia da entrega da patrulha mecanizada e do seu papel como vice. Avaliou positivamente o evento agradeceu rapidinho. Ah! Que bom se todos os pol√≠ticos fossem assim, evitando o tradicional ‚Äúvai l√° e volta‚ÄĚ no mesmo assunto.

- Papo reto e sem delongas.

Sem Remédios

Tem gente reclamando da falta de medicamentos, principalmente de um simples Captopril. Ser√° que ‚Äúprocede‚ÄĚ a informa√ß√£o? Vamos ver na farm√°cia municipal, mas j√° est√£o gritando nas redes sociais e a solu√ß√£o precisa ser encontrada, o mais r√°pido poss√≠vel. Esse √© o b√°sico do b√°sico e est√° na hora de driblar a burocracia.

- Se há um fato, ele veio de um boato e passou pela ausência de um ato ou de uma atitude.

Figura Notória

Em busca de uns cliques √† mais para suas postagens, uma personalidade das redes sociais anda criticando at√© mensagens para os dia dos pais. Nem isso n√£o se pode mais fazer que a danadinha critica. Ela entende de pol√≠tica como ningu√©m; de gest√£o p√ļblica, idem. O que n√£o se faz por notoriedade nas redes sociais? No mundo das apar√™ncias, todos os an√īnimos querem ser famosos, custe o que custar. Fosse essa personalidade virtual um pouco mais esperta, veria que as ‚Äúuvas ainda est√£o verdes...‚ÄĚ.

- Fui... tomar um refresco de maracuj√°.

Dois Mundos

Por ocasião dos Jogos da Juventude, realizado em Nobres, no mês de junho, uma delegação visitante fez um escarcéu danado por conta de suposto mal-estar de alguns atletas que se empanturraram com açaí e culparam a água de uma escola. Pois bem, em Londres, na Inglaterra, atletas de nível internacional passaram por contaminação e o barulho foi bem menor. Como se vê, em país de primeiro mundo, ninguém está livre de bactéria.

- São José do Rio Claro que nos livre de todo mal... amém.

Papo Vai... Papo Vem

Dizem que a professora Paula, atual vice-prefeita de Nobres, pode se candidatar ao cargo majorit√°rio nas pr√≥ximas elei√ß√Ķes. Ela n√£o tem se preocupado em gastar solas das suas sapatilhas no contato (corpo-a-corpo) com pessoas da comunidade. Como dizem os cuiabanos, a vice-prefeita est√° s√≥ de ‚Äúpunqu√©ro ou stand by, como queiram‚ÄĚ, esperando o frigir dos ovos.

- Bem, h√° uma ponte no caminho e por debaixo dela muita √°gua pode passar.

Distrit√£o

Tem vereador que est√° na reserva e acredita que se o tal do ‚ÄúDistrit√£o‚ÄĚ estivesse em voga nas elei√ß√Ķes municipais passadas, ele estaria no mandato. Foi bem votado, mas o ‚Äúquociente‚ÄĚ eleitoral n√£o permitiu. A Matem√°tica, por vezes, confunde e mais acaba sendo menos, quando deveria ser mais e n√£o menos... menos mal ou menos melhor?

- De repente, dois e dois não são cinco e passa a ser três... noves fora?

Burac√£o Verd√£o

A cratera aberta no cruzamento das avenidas Maur√≠cio Sampaio e Marechal Rondon, na √°rea central de Nobres, coincidiu com a derrota do Palmeiras para o Barcelona... mas √© de Guayaquil, e a a√≠ nos grupos foi aquela zoa√ß√£o toda. ‚ÄúBurac√£o do Verd√£o‚ÄĚ e piadinhas sobre se algu√©m via o mundial do Verd√£o que afundou ali.

- O torcedor que n√£o tem mundial fica mesmo enCUCAdo.

Peculato

‚ÄúUma servidora de carreira da 42¬™ Circunscri√ß√£o Regional de Tr√Ęnsito (Ciretran) do munic√≠pio Comodoro (644 km a Oeste) foi presa, na ter√ßa-feira (08.08), durante a√ß√£o integrada da Pol√≠cia Judici√°ria Civil e do Departamento Estadual de Tr√Ęnsito (Detran). C.A.M.G. de 49 anos foi autuada em flagrante por crime de peculato contra a administra√ß√£o p√ļblica. Ela foi surpreendida circulando pela cidade com uma motocicleta, que deveria estar apreendida no p√°tio do Ciretran de Comodoro‚ÄĚ.

- A informação é da assessoria da PJC-MT.

Peculato II

‚ÄúA moto Honda Biz de cor azul deveria estar no p√°tio do Ciretran de Comodoro desde o dia 03 de julho de 2012. No entanto, estava na posse da servidora desde 2013. A investigada foi descoberta durante as dilig√™ncias, em continuidade a opera√ß√£o ‚ÄúLegado‚ÄĚ, deflagrada pela Pol√≠cia Civil no final do ano de 2016, em conjunto com a Coordenadoria de Fiscaliza√ß√£o de Credenciados (CFISC) e a Corregedoria do Detran de Mato Grosso‚ÄĚ.

- Um recado sobre a coisa p√ļblica.

Peculato III

‚ÄúNa ocasi√£o v√°rios materiais de proced√™ncia il√≠cita foram apreendidos. Entre eles tr√™s motocicletas que estavam em circula√ß√£o, quando deveriam estar paradas no √≥rg√£o de tr√Ęnsito. Ainda na oportunidade, duas pessoas foram presas, sendo uma delas o chefe do Ciretran de Comodoro. A funcion√°ria p√ļblica foi conduzida √† Delegacia de Pol√≠cia, interrogada e indiciada pelo crime de peculato. A motocicleta foi devolvida ao √≥rg√£o‚ÄĚ.

- As informa√ß√Ķes est√£o no portal da SSP-MT.

Gente Jovem

‚ÄúQuatro autores de v√°rios roubos a resid√™ncia, com restri√ß√£o de liberdade da v√≠tima, cometidos na cidade de Cuiab√°, foram presos na manh√£ de ter√ßa-feira (08.08), pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), da Pol√≠cia Judici√°ria Civil, em cumprimento de mandados de pris√£o tempor√°ria. T√ļlio Arruda Ferreira Curado, 21, Ney Junior Moraes Queiroz, 19, e Cleuves Gon√ßalo de Jesus, 22, todos reincidentes em crimes de roubo, estavam com os pedidos de pris√£o deferidos pela Justi√ßa por roubo e associa√ß√£o criminosa. Ao ser encontrado, Ney Junior foi autuado em flagrante delito por tr√°fico de drogas. O quarto √© Caique de Jesus Fran√ßa, identificado ap√≥s a pris√£o dos tr√™s comparsas. Ele foi reconhecido em um dos roubos‚ÄĚ.

- A informação é da PJC-MT., mas não há como não associar a violência ao desinteresse total pela educação, considerando-se a faixa etária e o querer ter sem ser.

Gente Jovem II

‚ÄúConforme investiga√ß√£o, os suspeitos articulados para crimes s√£o respons√°veis por v√°rios assaltos √† resid√™ncia. Fortemente armados eles agiam com agressividade e graves amea√ßas, efetuando o roubo de ve√≠culos, aparelhos eletr√īnicos, joias, entre outros objetos de valores da casa e das v√≠timas. Um dos roubos ocorreu no dia 21 de junho, em uma resid√™ncia no bairro Jardim Shangri-l√°. Na ocasi√£o, quatro homens chegaram ao local e renderam os moradores. Tr√™s indiv√≠duos adentraram no im√≥vel e o quarto envolvido ficou do lado de fora dando cobertura. Em seguida, os criminosos fugiram levando o autom√≥vel Honda Civic da fam√≠lia, al√©m de v√°rios pertences das v√≠timas. Outro roubo ocorreu no bairro Jardim Imperial, onde v√°rios pertences das vitimas foram levados‚ÄĚ. Esses dados s√£o da PJC-MT.

- Caem os índices de violência... será mesmo?

Salve-se Quem Puder

No dia 26 de julho, j√° no meio da tarde, enquanto se realizava uma confer√™ncia na C√Ęmara de Vereadores, uma ambul√Ęncia desceu pela av. Marechal Rondon feito um b√≥lido, e quem estivesse atravessando a rua naquele dado momento, seria colhido. Pensa que √© tudo? No Jardim Petr√≥polis, como contaram algumas pessoas, os quebra-molas foram ‚Äúpatrolados‚ÄĚ. Se algu√©m disser que isso √© efici√™ncia, pense s√≥ com os seus bot√Ķes e n√£o conte a ningu√©m.

- E nas redes sociais ninguém falou nada sobre nada. Já sobre a suspensão do carro... nada também.

De Primeira

Quem foi ontem (25/07) a casa Taberna Portuguesa, em Cuiab√°, por volta das 22:00 horas, nem imaginava a presen√ßa ilustre que jantava l√°, em ambiente separado e exclusivo. Quatro caminhonetes de alto luxo l√° fora, al√©m de ao menos seis guarda-roupas, devidamente armados, faziam a seguran√ßa da figura... ningu√©m menos que Joesley Batista e alguma ‚Äúvaca gorda‚ÄĚ ou emin√™ncia parda de algum governo por a√≠.

- Enquanto isso, a galera que usufruiu da propina dele dan√ßa o ‚Äúdespacito‚ÄĚ e aumenta impostos.

De Primeira II

O brasileiro √© lesado, √© esbulhado de tudo quanto √© jeito. O sujeito enriquece com dinheiro do povo, paga propina com o dinheiro do povo, vira ‚ÄúX-9‚ÄĚ e anda com seguran√ßa armado at√© os dentes, passa com sinal fechado nas ruas de Cuiab√°, tem um monte de seguran√ßa e o Michel Temer ainda aumenta impostos para cobrir o rombo deixado pelo a√ßougueiro que virou dono de frigor√≠fico.

- Desde que vieram para o Brasil aqueles malditos portugueses, em 22 de abril de 1.500, que n√£o paramos de ser lesados.

De Primeira III

A ‚Äú√Āguia de Haia‚ÄĚ, o ilustre orador, advogado e senador Rui Barbosa j√° bradava ao mundo a roubalheira perpetrada h√° mais de 100 anos atr√°s, quando lamentava: ‚ÄúAs revoltas da consci√™ncia contra as m√°s causas, ainda contra as piores, n√£o azedam um cora√ß√£o desinteressado. O meu tem atravessado as maiores procelas pol√≠ticas, √†s vezes sossobrado, ferido, sangrando no entusiasmo e na esperan√ßa, mas sem fel.‚ÄĚ.

- Bem, isso ficou l√° atr√°s e agora... Joesley, Temer, Renan, Eduardo Cunha, Lula, Dilma et caterva, deixariam Rui Barbosa ainda mais ‚Äúp... da vida‚ÄĚ.

Jardim Petrópolis

A √ļnica pracinha existente no Jardim Petr√≥polis est√° sendo usada para dep√≥sito de lixo e restos de constru√ß√£o de uma obra nas proximidades. √Č lament√°vel esse registro e aquele que joga restos de constru√ß√£o ali deveria ser notificado por quem de direito. O que n√£o pode √© o cen√°rio ser piorado quando j√° n√£o √© apresent√°vel; menos ainda quando h√° um C√≥digo de Posturas em vig√™ncia.

- Sendo assim e assim entendido...

Audi√™ncia P√ļblica

O vereador Andr√© Avelino Bezerra (PSDB) √© um dos mais experientes do atual conjunto de parlamentares municipais de Nobres e pelo que se tem ouvido falar, ele deve apoiar a reativa√ß√£o do Projeto Farm√°cia Viva, mas √© de opini√£o que tudo deve ser feito √†s claras, com a realiza√ß√£o de audi√™ncia p√ļblica para que toda a comunidade saiba como andar√£o as coisas, atos e fatos.

- A transpar√™ncia come√ßa por a√≠, j√° que o assunto √© recurso p√ļblico federal.

Audi√™ncia P√ļblica II

O ato p√ļblico ou audi√™ncia p√ļblica tem a for√ßa de clarificar e respaldar qualquer atividade que tenha interesse em capta√ß√£o de recurso p√ļblico, principalmente, se for da √°rea federal. Com tudo sendo feito √†s claras, a popula√ß√£o pode questionar e ser questionada sobre os rumos de qualquer projeto ou investimento realizado pelo poder p√ļblico municipal. No caso do ‚ÄúFarm√°cia Viva‚ÄĚ, tudo come√ßa pelo setor rural e a comunidade pode (e deve) saber sobre come√ßo, meio e fim das a√ß√Ķes que v√£o nessa dire√ß√£o.

- A experiência é que leva a agir assim, dentro dos conformes.

Conserto Executado

Nós lembramos daqui que era feia a situação da avenida Presidente Castelo Branco, entrada de Rosário Oeste, até o viaduto na rodovia federal. Pois não é que a prefeitura de lá em parceria com o DNIT já arrumou a via por onde passam milhares de carros por semana, indo e vindo de Cuiabá para o Médio Norte e Norte de MT.

- Os motoristas que trafegam ali agradecem a deferência.

Templo?

As obras de reforma da sede do INSS de Ros√°rio Oeste est√£o mais duradouras que constru√ß√£o de igreja. E l√° se v√£o ao menos uns tr√™s anos que aquela constru√ß√£o segue em ‚Äúbanho-maria‚ÄĚ. Com o governo cortando tudo, at√© verba da Pol√≠cia Rodovi√°ria Federal, √© certo que at√© o fim de 2018, n√£o chegue ao fim. Se em cidade grande demora, no interior... pode esquecer.

- O aluguel seria mais barato e mais c√īmodo que a sede pr√≥pria.

Pra Inglês Ver

Chegar em Ros√°rio Oeste pela MT-010, parece at√© uma viagem sem percal√ßos. √Č subir o Morrinho e entrar pela av. Castelo Branco que os problemas come√ßam a serem sentidos. O pavimento da avenida est√° aos cacos, cheia de buraquinhos e outros um pouco maiores enquanto √†s margens da pista h√° buracos na fila, querendo entrar. Do Morrinho at√© o viaduto, buracos n√£o pedem licen√ßa e est√£o na pista, feito solteiro em baile... querendo pegar todo mundo.

- √Č pra ingl√™s e n√≥s que ali trafegamos vermos... a dan√ßa dos buracos.

Alguém Aí?

Algum vereador precisa pegar o secret√°rio de Obras pelos bra√ßos e fazer o percurso pra ver a extens√£o... dos buracos e dos problemas. √Č feio para uma via bastante frequentada por pessoas que v√£o e que vem do Norte de Mato Grosso. O segundo mandato n√£o √© s√≥ pra cumprir tabela, mas √© pra trabalhar, at√© mais que o primeiro, que vai al√©m da falta de experi√™ncia pol√≠tica e administrativa.

- Vai que T√Ęnia ascende ao poder, a cidade ficaria um brinco. Ela √© caprichosa.

Balança Comercial?

Ros√°rio Oeste vai bem na ‚Äúimporta√ß√£o?‚ÄĚ de gado de Diamantino. A balan√ßa comercial daqui apresenta ‚Äúd√©ficit‚ÄĚ com a ‚Äúimporta√ß√£o‚ÄĚ do mercado externo. Gado roubado em Diamantino estaria sendo escondido na Forquilha do Rio Manso, de acordo com o que informou a PJC ap√≥s opera√ß√£o policial. Ali√°s, a regi√£o da Forquilha √© promissora nesse tipo de ‚Äúinvestimento‚ÄĚ, a do gado roubado. Uma super opera√ß√£o policial por l√°, poderia trazer bastante tranquilidade aos bons produtores rurais que existem por aquelas bandas.

- ‚ÄúMoc√≥zado‚ÄĚ por aquelas bandas, segundo as informa√ß√Ķes policiais.

Recapitulação

O Sintep foi derrotado em Ros√°rio Oeste ap√≥s uma reuni√£o tumultuada na C√Ęmara de Vereadores, onde os parlamentares foram literalmente colocados √† parede. Mas..., n√£o foi a petista Girlene que ajudou na reelei√ß√£o do atual prefeito? Aquela que trabalhou com o ent√£o prefeito Zeno? Afinal, quem estava certo... o governo ou os derrotados pela vota√ß√£o na C√Ęmara de Vereadores? Pela nota expedida, o prefeito Jo√£o Balbino fez ver quer ele e o seu governo estavam certo.

- Os vereadores é que estariam errados? São culpados? Qual o veredito?

Mal no Amor

Um casal (dois homens) foi ao motel e depois de uns ‚Äúpegas‚ÄĚ entre ambos, foi ver, n√£o tinha dinheiro para pagar o ‚Äúmomento‚ÄĚ. Depois de muito conversar, o pessoal do motel chamou os ‚Äúh√īme‚ÄĚ da lei e a dupla, lisa e lesa, ainda demonstrou fricotes e foram parar nas barras da lei. E um deles estava de moto, com a documenta√ß√£o atrasada. Podem estar bem no jogo, j√° que no amor, mandaram mal.

- Cara de paus... assim, s√≥ na Pin√≥quiol√Ęndia.

Encarnação

Como é possível, o canal aberto de tevê, o mais popular do Brasil, querer fazer acreditar que os telespectadores desejam só ver política e a derrubada de mais um governante. A Rede Globo está empenhada em transformar o seu noticiário apenas em Temer e no ocaso do seu governo. E pra embasar a informação, entrevista políticos do PT, filhos diletos de toda essa porcariada que aí está. Agora, vamos falar com Vanessa Graziotin... com o senador Lindberg Farias..., reservas morais da derrocada petista.

- Francamente.

Postos

‚ÄúA Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor vai instaurar 24 inqu√©ritos policiais para responsabilizar postos de combust√≠veis com irregularidades detectadas na fiscaliza√ß√£o ocorrida entre os dias 27 a 30 de junho. O trabalho foi realizado por uma for√ßa tarefa compostas por √≥rg√£os estaduais, municipais e federais, inseridos nas opera√ß√Ķes "Clone" e de "Olho na Bomba", em defesa dos direitos do consumidor‚ÄĚ.

- A informação é da PJC-MT.

Postos II

Segundo a PJC-MT: ‚ÄúForam vistoriados 21 postos, dos quais 10 foram considerados postos "Clones" - aquele que utiliza fachada de determinada marca reconhecida no mercado, mas o combust√≠vel √© adquirido de outra distribuidora; cinco tiveram algum tipo de irregularidade encontrada em bomba de abastecimento e em oito foram encontrados produtos vencidos nas lojas de conveni√™ncias‚ÄĚ.

- Jeitinho brasileiro de levar vantagem.

Postos III

‚ÄúAt√© o momento foram instaurados 14 inqu√©ritos policiais, que envolvem postos clones, irregularidades ou fraudes em bombas e a qualidade do combust√≠vel. Tamb√©m ser√£o abertos inqu√©ritos para os postos que tiveram apreendidos produtos vencidos nas conveni√™ncias fiscalizadas pelo Procon Estadual e Municipal‚ÄĚ, de acordo com a assessoria da PJC-MT.

- E o consumidor... só levando fumo.

Posto Clone

A PJC-MT informa que o ‚ÄúPosto ‚ÄúClone‚ÄĚ √© o estabelecimento que utiliza cores, padroniza√ß√£o na fachada, uniformes e demais itens de comunica√ß√£o visual de redes de marcas de credibilidade do p√ļblico, mas em que o combust√≠vel vendido ao cliente n√£o tem a mesma qualidade da marca apresentada, sendo oriundo de outra distribuidora. Conforme auto de constata√ß√£o do Procon-MT, o posto clone induz o consumidor a erro por manter exposi√ß√£o sem autoriza√ß√£o legal identifica√ß√£o visual com combina√ß√£o de cores semelhantes e com disposi√ß√£o equivalente √†s utilizadas pelo revendedor de combust√≠vel, como o da Petrobr√°s.‚ÄĚ.

- Parece, mas não é. Bonitinho... mas ordinário.

Olho na ‚ÄúChuranha‚ÄĚ

De acordo com a PJC-MT: ‚ÄúAp√≥s den√ļncia an√īnima sobre dois estabelecimentos que estariam adulterando a numera√ß√£o de identifica√ß√£o veicular (NIV) de motores de motocicletas, a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Ve√≠culos (Derrfva), da Pol√≠cia Judici√°ria Civil, autuou em flagrante C.V.R.C., 49, respons√°vel pela oficina ‚ÄúChuranha Motos‚ÄĚ, no bairro 1¬į de Mar√ßo em Cuiab√°. A fiscaliza√ß√£o ocorreu na segunda-feira (10.07), quando foram encontrados no local dois motores de motocicletas com chassis adulterados.‚ÄĚ.

- Agente de transformação.

‚Äú√Āgua F√°cil‚ÄĚ

‚ÄúPrincipais beneficiados com a melhoria na qualidade da √°gua e sistema de distribui√ß√£o, prefeitos e moradores de comunidades rurais inclusas no projeto ‚Äú√Āgua F√°cil‚ÄĚ acompanharam a assinatura da ordem de servi√ßo para a implanta√ß√£o de po√ßos artesianos. O ato foi realizado no √ļltimo dia 09.05, no Pal√°cio Paiagu√°s, em Cuiab√°. Ao todo, 40 comunidades de Mato Grosso receber√£o Sistemas Simplificados de Abastecimento de √Āgua (SSAA), que auxiliar√£o tanto na quest√£o da sa√ļde quanto na atividade da agricultura familiar, fonte de subsist√™ncia para 16 mil pessoas que vivem em comunidades rurais e assentamentos. As obras ser√£o conduzidas pelas empresas Geopo√ßos Hidroconstru√ß√Ķes e √Āgua Viva Po√ßos Artesianos, com a aplica√ß√£o de R$ 4,98 milh√Ķes. A previs√£o para conclus√£o √© de oito meses.‚ÄĚ.

- As informa√ß√Ķes s√£o do GCom/Governo do Estado, atrav√©s da sua assessoria.

Más Línguas

Em Cuiabá, ao lado da Prefeitura da cidade, à rua Campo Grande, quase esquina com a Barão de Melgaço, era onde funcionava o Senadinho, ponto de encontro de intelectuais cuiabanos para comentar política. Advogados, poetas, professores e outros falavam sobre o cotidiano de Cuiabá e, se desse, rufavam o bombo nas mazelas cuiabanas. Intelectual é outro nível embora a conversa flua em tom menos casual.

- Os mais emblem√°ticos j√° partiram deste plano.

Más Línguas II

Em clomid online V√°rzea Grande, √† Pra√ßa Aquidaban, no denominado ‚ÄúBeco do Porrete‚ÄĚ, o pau come solto nos pol√≠ticos e muitos dos mais problem√°ticos e ‚Äúcraques‚ÄĚ faladores daquelas bandas j√° se foram. Ali, a madeira utilizada era o ‚Äúguatambu‚ÄĚ na ponta da l√≠ngua. Uma esp√©cie de ‚ÄúR√°dio Pe√£o‚ÄĚ, dessas que funcionam em corredores de reparti√ß√Ķes p√ļblicas, que garante repercuss√£o a muitos boatos e poucos fatos.

- clomid online E tome cacete nos políticos.

Más Línguas III

Na buy levitra online capital paranaense, dizem que à Praça das Flores, em Curitiba, nos cafés tradicionais, os ambientes guardam algumas tendências políticas que caem no gosto dos frequentadores daquele ambiente. Eles não poupariam os de lá e Michel Temer deve ser o alvo de agora e disputaria firme com o prefeito Jaime Lerner a disputa negativa.

- Linguarudos h√° em toda parte.

Más Línguas IV

Em kamagra online Nobres, n√£o bastasse o ponto de t√°xi, chamado de ‚Äúboca maldita‚ÄĚ, ainda temos o Cisne Branco como uma boa filial da ‚ÄúR√°dio Pe√£o‚ÄĚ. L√° no clube, uma enquete est√° elegendo os mais fofoqueiros da cidade e um campe√£o j√° surge na linha de frente como o n√ļmero 01 da city. Mas a vantagem n√£o √© muito grande sobre o segundo colocado, que √© de peso. E n√£o √© s√≥ sobre os pol√≠ticos que eles disparam suas flechadas, mas o alvo √© qualquer um que esteja na al√ßa de mira.

- Altos, fortes, elegantes, ambos com bagagem internacional, ostentam essas posi√ß√Ķes na corrida para eleger o maior fofoqueiro.

Más Línguas V

Vai buy propecia online ganhar uma piscina, dessas de caixa d‚Äô√°gua, o eleito em primeiro lugar e aquele que largou na ‚Äúpole position‚ÄĚ segue acelerando, de l√≠ngua afiada quando era o motor que deveria ser potente. Mas o combust√≠vel que abastece essas ‚Äúm√°quinas‚ÄĚ do muito falar √© exatamente a vida alheia. E n√£o adianta querer transferir para a ‚ÄúTrincheira‚ÄĚ esse t√≠tulo que est√° em disputa, considerando-se que, individualmente, eles superam qualquer edi√ß√£o de jornal.

- priligy online Ganhar√° uma rapadura de leite quem acertar os nomes dos dois que est√£o na frente dessa corrida.

Cortejo Duplo

O agente funer√°rio que transporta esse tipo de ‚Äúcliente‚ÄĚ necessita de dois ve√≠culos... um para o corpo e outro para a l√≠ngua, dizem os seus alvos. Mas, calma, vamos entender o regulamento da competi√ß√£o... n√£o vale falar mal de amigos e nem de parentes. Ser√° que tem algum deles que j√° quebrou essa regra? N√£o precisa responder agora.

- Dezinho √© o presidente do instituto de pesquisa. Aquele um segue √† frente com 49,33% na prefer√™ncia dos entrevistados. Tem palmeirense que aparece na lista, com 1,1% nas inten√ß√Ķes de votos.

Last Updated ( Monday, 20 November 2017 13:54 )  

TRINCHEIRA LII

Bastidores da Pol√≠tica H√° quem diga que o ex-prefeito Gilmarzinho da Ecoplan tenha sa√≠do de cena ap√≥s o dia 31 de dezembro de 2016. Muito se tem ouvido falar sobre a sua perman√™ncia na milit√Ęncia pol√≠tica, segundo seus amigos mais pr√≥ximos. Onde h√° fuma√ßa √© porque j√° houve fogo. Mas √© qu

Persistência e desigualdade

Como fazer para reverter á desigualdade na luta contra os crimes ambientais nos rios de Nobres? A pergunta faz sentido na medida em que se sabe e se vem percebendo que o Rotary Club de Nobres vem insistindo na preservação e em muitos trechos na recuperação da mata ciliar dos rios Nobres e Serra
Banner
Banner
Banner
Banner